Oficina de história: volume 1


Verificação de leitura • 2



Baixar 10.24 Mb.
Página486/556
Encontro08.10.2019
Tamanho10.24 Mb.
1   ...   482   483   484   485   486   487   488   489   ...   556
Verificação de leitura • 2

1. Ataques rápidos a caravanas e oásis promovidos pelos beduínos.

2. Sim. A jihad (guerra santa) tornou-se o núcleo da expansão e unidade muçulmanas. Ao exportar as guerras internas que dividiam as diversas tribos, a guerra santa tornava-se o elemento aglutinador dos diversos grupos árabes.

3. Os povos conquistados pelos árabes muçulmanos puderam manter suas crenças e costumes desde que arcassem com o pagamento dos tributos do Estado. Muitos, por fé ou conveniência, tornaram-se muçulmanos. Outros preferiram manter suas crenças e pagar os tributos.

4. Os cristãos ibéricos receberam forte influência árabe (na arquitetura, na arte, na medicina, na química, na astronomia e na formação da língua portuguesa) e foram submetidos às regras islâmicas. Parte da população refugiou-se ao norte formando pequenos reinos cristãos. No Al-Andaluz, como passou a se denominar a área dominada pelos muçulmanos, as populações cristãs e judaicas puderam manter suas crenças.

5. Não. A religião muçulmana se tornou a fé predominante no norte da África, se propagou através do Saara e criou raízes tanto na África ocidental quanto na África oriental. Entretanto, a exemplo de outras regiões conquistadas por árabes muçulmanos, alguns dos povos conquistados puderam manter suas crenças e costumes, mas arcavam com o pagamento dos tributos do Estado.

6. Do ponto de vista econômico, a expansão islâmica colocou o continente africano no centro do comércio entre a Ásia e a Europa, através do comércio de ouro, marfim e pessoas escravizadas. A faixa mediterrânea do continente africano foi integrada ao mundo islâmico e serviu de base para os avanços na Península Ibérica e Sicília, por um lado, para o Saara e Sudão, por outro. Na região saariana as caravanas de camelos cruzavam o deserto em todas as direções. Ao sul do Saara, o sistema mudava completamente, devido ao limite para a atuação dos camelos. Eles somente podiam bordejar o deserto. Nas regiões de savanas, as mercadorias eram redistribuídas e carregadas por burros e bois que podiam prosseguir para o sul. A imensa caravana se dividia em outras menores. As grandes artérias do deserto se ramificavam numa rede de trilhas que se conectavam com os principais mercados. A floresta também determinava o limite de atuação dos animais de carga. Assim, as trilhas davam lugar a uma rede de vias fluviais. No continente africano estabelecia-se, assim, um imenso sistema de trocas capaz de interligar regiões distantes e populações diversas.

3 Os Impérios cristãos






Compartilhe com seus amigos:
1   ...   482   483   484   485   486   487   488   489   ...   556


©historiapt.info 2019
enviar mensagem

    Página principal