O que fazer quando chegam aqueles dias terríveis. Aqueles dias de muita dor em que até a nossa fé entra em crise, e nós somos tentados a perguntar: "por que Deus?"



Baixar 16.82 Kb.
Encontro03.08.2022
Tamanho16.82 Kb.
#24459
Enfrentando o sofrimento

O que fazer quando chegam aqueles dias terríveis. Aqueles dias de muita dor em que até a nossa fé entra em crise, e nós somos tentados a perguntar: “por que Deus?”. Aqueles dias em que nos questionamos por que Deus permite que algumas coisas ruins aconteçam em nossa vida. Normalmente nessas fases, surge em nossa mente. Será mesmo que Deus se importa? Será que Ele existe? Será que Ele está presente?
No começo do ano de 2010, aconteceu uma grande tragédia na cidade de Petrópolis e Teresopólis – RJ – eu fui ajudar – eu era um dos voluntários lá.
Ao ajudar as vítimas, naquele momento, eu tinha muita convicção da minha fé. Não conseguia explicações para o que estava acontecendo. Nós encontramos muitas famílias e muitas pessoas sofrendo – e todas as vezes que conversávamos com alguém as minhas palavras eram: “Olha, eu não entendo – eu não compreendo o que está acontecendo, mas eu confio que Deus está no controle”. Da minha posição, com base na minha realidade, era fácil falar sobre isso porque o sofrimento não era comigo – eram aquelas famílias que estavam sofrendo. E eu preguei muitas vezes sobre isso – eu já falei várias vezes sobre o sofrimento. O problema começa quando a dor e o sofrimento acontecem com a gente – quando sentimos na pele.
Quando a situação acontece com a gente, a nossa fé entra em crise. A dor é forte, nós somos tentados a perguntar: “mas Deus por que isso está acontecendo comigo?”.
Ficamos atemorizados. Nos questionamos quais são as razões. Muitas vezes chegamos a duvidar um pouco do amor de Deus. No ano passado, eu passei por um tempo de aflição. E nesse momento de dor e de dificuldade que eu enfrentava, uma pessoa chegou para mim e disse, bem intencionada inclusive: “Filipe, não fique assim porque há tanta gente que sofre mais do que você com doenças terminais, pobreza, guerras e tantos conflitos que existem no mundo. Realmente a dor dessas pessoas é muito grande, mas, mesmo assim, ainda dói, pois a dor de cada pessoa é única – não é suficiente eu chegar para uma pessoa e dizer “para de sofrer porque há tanta gente que sofre mais que você” – não faz sentido nenhum porque a dor continua lá. E muitos de nós, não encontramos respostas do porquê do sofrimento que enfrentamos. Diante disso, quero mostrar uma palavra que Deus tem falado muito comigo nesses dias e eu quero compartilhar com você.
Há algo incrivelmente poderoso quando nós olhamos para a pessoa de Jesus Cristo. No evangelho de Marcos, no capítulo 14, versículo 34, nós encontramos algo incrível. O texto diz que Jesus começou a afligir-se e a angustiar-se e disse-lhes: “a minha alma está tão triste que eu estou a ponto de morrer”. Nisso nós vemos algo muito interessante. Jesus Cristo, Deus entre nós, está angustiado, está sofrendo muito. E a pergunta é: por que Jesus está sofrendo tanto? Se nós formos comparar a morte de Jesus com outros mártires que morreram por causa de sua fé – que morreram de forma até pior que Jesus – nós encontramos pessoas que morriam contentes, felizes e convictas naquilo em que elas acreditavam, enquanto Jesus encontra-se angustiado por causa da sua morte. Por exemplo, em 1555, em Oxford, Handley e Nicolas foram queimados por causa da convicção da sua fé e em vez de ficarem profundamente angustiados quando estavam prestes a ser queimados, Leitermann disse para o seu colega: “console-se, Mr Heiter, seja forte! Nesse dia, pela graça de Deus acenderemos na Inglaterra uma vela que garanto jamais se apagará”. Nós encontramos tantos e tantos cristãos, que morrem convictos de sua fé em meio a tanto sofrimento. Por que então parece que Jesus foi muito mais afetado através da sua morte do que todos os outros que morreram como mártires? Para entender isso, podemos olhar para os evangelho de João cap. 11 – quando diz que através de Jesus todas as coisas foram feitas – que Jesus sempre esteve em perfeita comunhão com Deus Pai e Deus Espírito Santo. Jesus faz parte da trindade – de um perfeito relacionamento de amor com Deus. Talvez não exista maior agonia interior do que perder um relacionamento que você gostaria muito de manter. Um amigo que você amava muito lhe deu as costas trazendo uma tristeza profunda, um relacionamento de namoro, um noivado, ou um casamento ainda muito mais, se uma esposa ou marido deixa o cônjuge, o sofrimento parece infinitamente maior. Quando um pai ou uma mãe abandona os seus filhos, por exemplo, o dano psicológico pode ser enorme. Agora, imagine só o que seria perder não só um relacionamento de namoro, de casamento, ou um relacionamento paternal, mas imagine o que seria perder o infinito relacionamento de amor entre Jesus e Deus. Imagine o que Jesus sentiria caso ele perdesse esse relacionamento, e foi exatamente isso que aconteceu.
Na bíblia, nós encontramos Jesus sendo separado de Deus para que ele pudesse morrer numa cruz e levar sobre si o peso de todos os nossos pecados para que nós pudéssemos ter o nosso relacionamento com Deus restaurado. Jesus foi abandonado – imagino a profunda agonia de Jesus ali na cruz. Isso é retratado quando ele mesmo disse: “Deus meu, Deus meu, por que me abandonaste?”. A morte de Jesus foi distinta de qualquer outra, o sofrimento físico não foi nada comparado à experiência de abandono espiritual, do abandono cósmico que Jesus sofreu ali na cruz – sendo abandonado da relação que ele matinha com Deus. Jesus passou por um grande sofrimento. Somente no cristianismo nós encontramos algo assim, um Deus que vem ao nosso encontro para sofrer, um Deus que enfrentou o desespero, a rejeição, a pobreza, o abandono, a humilhação – Jesus Cristo sofreu em nosso lugar. Jesus Cristo sofreu por nós. Então, quando nós olhamos para a cruz e buscamos respostas para nossa angústia, quando buscamos resposta para o nosso sofrimento talvez não teremos como entender racionalmente as razões porque nós estamos sofrendo, mas a resposta não pode ser que Jesus não nos ama, a resposta não pode ser que Jesus não se importa porque quando nós olhamos para Jesus, nós vemos um Deus, um Deus Todo Poderoso que veio e sofreu, e ele sabe exatamente o que nós estamos passando.
Diante disso, é possível perceber que em Jesus nós encontramos forças para enfrentar qualquer tipo de sofrimento porque nós olhamos para um Deus que também sofre. Nós olhamos para um Deus que se importa – para um Deus que se envolve. Quando nós olhamos para a cruz talvez não tenhamos respostas que expliquem o porquê de nosso sofrimento, mas com certeza nós temos um abraço, com certeza nós temos o consolo – temos forças para enfrentar essa situação porque nós vemos que Jesus sofreu muito mais que nós – ele sofreu na cruz para levar toda a nossa culpa, todo nosso pecado e permitir que o nosso relacionamento com Deus fosse restaurado. No entanto, quando olhamos para Jesus, nós encontramos algo maior do que apenas o consolo em seu sofrimento, porque Jesus Cristo não permaneceu morto, mas ele ressuscitou ao terceiro dia – e por causa da ressurreição de Jesus temos esperança – por causa da ressurreição de Jesus há algo poderoso que acontece em nosso interior – a nossa esperança é renovada – a esperança de que o sofrimento não é em vão – a esperança de que Deus tem sob controle tudo o que estamos enfrentando. Ele continua no controle dessas circunstâncias. Ele realmente se importa. Ele realmente nos ama e através desse sofrimento nós encontraremos uma glória ainda maior – através desse sofrimento nós encontraremos maturidade e sabedoria porque Deus trabalha através de nós em meio ao sofrimento. Uma vez eu escutei que “o sofrimento é a academia da fé”. É através do sofrimento que nos tornamos bombados. É através do sofrimento que a nossa fé é fortalecida. Nossos músculos espirituais são treinados pelo sofrimento. Podemos fortalecer nossos músculos espirituais por meio de situações que geram sofrimento, mas trazem grande perseverança – o resultado é força, nos tornamos fortalecidos – resistentes.
Talvez você esteja passando um tempo de muita dor neste momento. E você não consegue encontrar respostas para entender a razão de tudo isso – certamente faz constantemente a clássica pergunta: “por que Deus permite tudo isso?”. Mas eu sei o que não é a resposta para essa questão – a resposta não é que Deus não te ama, a resposta não é que Deus não se importa – porque em Jesus Cristo nós encontramos alguém que sofreu, e sofreu muito mais – sofreu o abandono cósmico – sofreu o abandono de Deus. Tudo para que nós pudéssemos ter o nosso relacionamento com Deus restaurado. E agora quando nós olhamos para Cristo – nós encontramos forças para ter esperança. Talvez você não esteja sofrendo agora e você não esteja passando por nenhum desses momentos, mas eu tenho certeza de que o sofrimento vai chegar porque ele faz parte da vida – então, esteja preparado para quando o sofrimento chegar. Diante de tudo isso, importa que nos apeguemos a Jesus, temos de permanecer em Jesus – nesse Deus amoroso que sofre junto conosco
Baixar 16.82 Kb.

Compartilhe com seus amigos:




©historiapt.info 2023
enviar mensagem

    Página principal