O programa Bolsa Família entre os povos indígenas Autora: Alda Lucia Monteiro de Souza1 Resumo



Baixar 61.96 Kb.
Página1/10
Encontro20.12.2019
Tamanho61.96 Kb.
  1   2   3   4   5   6   7   8   9   10

O Programa Bolsa Família entre os povos indígenas

Autora: Alda Lucia Monteiro de Souza1

Resumo
As discussões sobre a pobreza e a fome entre os povos indígenas são temas frequentemente abordados pela sociedade, pelo governo, pela mídia e pelo ambiente acadêmico, com certo grau de discordância e polemização que decorrem, principalmente, do fato de que os povos indígenas, rurais em sua maioria, encontram facilidades para disporem de alguns itens alimentares, visto que desenvolvem atividades de extração e coleta.

O fato é que a situação de grande parte das populações indígenas hoje é de vulnerabilidade, seja pela desorganização dos modos de produção de subsistência tradicionais, advinda do contato e das pressões ocasionadas pelas frentes de expansão da sociedade nacional brasileira, seja pela ausência de políticas direcionadas à inclusão social e ao desenvolvimento sustentável deste segmento.

Dias et al. (2010)2 na produção de seu relatório sobre o estado nutricional e os hábitos alimentares de uma comunidade indígena Maxakali, em Minas Gerais, revela que a atual forma de assentamento dos povos indígenas prejudica o processo de sustentabilidade, de tal forma que essas populações revertem paradoxalmente a fartura e a diversidade alimentar numa dieta monótona e nutricionalmente pobre.

Fávaro et al. (2007), estudando a segurança alimentar3 de famílias Terena do Mato Grosso do Sul, assim descreve os problemas encontrados: o padrão de alimentação observado entre as crianças aponta para sério comprometimento alimentar, em que menos da metade das crianças tem acesso a uma alimentação que ofereça micronutrientes essenciais para o seu crescimento e desenvolvimento, e nas famílias que foram classificadas como inseguras e com restrições quantitativas de alimentos, o déficit é mais acentuado quanto à ingestão de proteína e ferro.

Em contrapartida, a SENARC (Secretaria Nacional de Renda de Cidadania) vem discutindo diretrizes para viabilizar a inserção e permanência das famílias indígenas no Cadastro Único e Programa Bolsa Família. Esta é uma das formas de reverter às situações de vulnerabilidade social, insegurança alimentar e de ameaça à dignidade humana em que se encontram.


Catálogo: acta -> 2015
2015 -> As mudanças na forma de integraçÃo japonesa na amazônia brasileira jonatha Rodrigo de Oliveira Lira1 Katiani Tatie Shishito2 Bladimir Carabali3 Alberto Augusto Eichman Jakob4 Resumo
2015 -> Passos em direçÃo a uma metodologia pós-colonial: pesquisando educaçÃo do campo no brasil
2015 -> Alas costa rica 2015 gt 17 reestructuración productiva, trabajo y dominación social auto-organizaçÃo social em espaços de trabalho e produçÃO: notas para uma crítica à economia solidária
2015 -> Relativismo e universalismo: a dialética intercultural como condiçÃo de possibilidade dos direitos humanos na sociedade multicultural ana Leticia Anarelli Rosati Leonel Universidade do Vale do Rio dos Sinos – unisinos – Brasil resumo
2015 -> Congreso alas, costa rica 2015 ponencia redes complexas, sociais e sociotécnicas ana camila garcía lópez
2015 -> Ies capitalistas: o ensino como mercadoria1 Wesley Pereira Lobo de Lima2 Resumo
2015 -> O consumo cultural da leitura
2015 -> A presença indígena na Universidade Federal do Rio Grande do Sul: uma análise sobre o perfil dos inscritos no Processo Seletivo Específico
2015 -> Xxx congreso alas costa Rica, 2015 gt 17 Reestructuración Productiva, Trabajo y Dominación social Canavieiros no Nordeste brasileiro: trabalho assalariado formal e informal
2015 -> O lugar da infância na escola de tempo integral no brasil. Resultado de investigación finalizada


Compartilhe com seus amigos:
  1   2   3   4   5   6   7   8   9   10


©historiapt.info 2019
enviar mensagem

    Página principal