Nome: Francisco das Chagas Sampaio da Silva 3ª SÉrie/turma: c ensino médio



Baixar 15.53 Kb.
Encontro10.12.2021
Tamanho15.53 Kb.
#19184
Literatura 1.0.
Literatura 1.0., LIVRO 3 - SENE E MOREIRA

CEJA LÚCIA BAYMA ARAÚJO

NOME: Francisco das Chagas Sampaio da Silva 3ª SÉRIE/TURMA: C ENSINO MÉDIO

DISCIPLINA: LITERATURA PROFª ANTONIA DE SOUSA ANDRADE DATA: 30/08/2021

ATIVIDADE (livro didático, páginas 102 e 103)

Leitura de Texto

Fazer a leitura do texto A rosa de Hiroshima;



Responder às questões sugeridas pelo texto.

  1. O poema inicia com o verbo no imperativo. Que intenção tem o eu lírico ao optar por esse modo verbal?

A intenção do eu lírico em usar o verbo no modo imperativo é convencer o leitor a pensar nos problemas causados pela bomba de Hiroshima.

  1. O verbo quem abre o poema é repetido mais de três vezes nos versos 3, 5 e 7 criando uma anáfora.



  1. Qual o efeito de sentido desse recurso este estilístico?

A anáfora é considerada uma figura de linguagem que dentro de um texto ao gerar a repetição de palavras nas frases, ou períodos, exerce a função de expressar uma ideia ou pensamento com ênfase.

  1. A anáfora composta por ‘’pensem nas crianças’’, pensem nas meninas’’, ‘’pensem nas mulheres’’ se desdobra em outra figura de linguagem, a gradação. Explique essa afirmação e o efeito expressivo que esse recurso estilístico tem no poema.



  1. Você já sabe que as metáforas são construídas a partir de uma relação de similaridade.

    1. Explique a metáfora “rosa-bomba”.



    1. Estabelecendo uma relação de similaridade entre “rosa” e “bomba”. Vinicius de Morais constrói, ao mesmo tempo, uma metáfora e um paradoxo. Você concorda com essa afirmação? Justifique.

Concordo, no poema de Vinicius Moraes usa a palavra rosa para falar da bomba (metáfora), normalmente a rosa é relacionada a beleza, no entanto a rosa de Hiroshima é caracterizada por coisas horríveis deixada pela bomba (paradoxo).

  1. Embora seja composto por uma estrofe, podemos dividir o poema em duas partes. Na primeira, o eu lírico nos convida a pensar sobre as crianças, meninas e mulheres que tiveram suas vidas alteradas pelo advento da bomba. Na segunda parte, o sujeito poético pede que não nos esquecemos da Rosa de Hiroshima.

    1. Qual o efeito expressivo da anáfora e da recorrência presente na segunda parte do poema?



    1. Nessa segunda parte, o eu lírico atribui características à rosa de Hiroshima. Pense nas consequências da queda da bomba para os seres humanos e analise os versos 12, 13, 14 e 15.



  1. O verso “A antirrosa atômica” poderia ser lido como uma espécie de conclusão dos versos 12, 13, 14 e 15

    1. Explique o neologismo antirrosa, usado para caracterizar a “rosa”. Justifique sua resposta.



    1. Após concluir que a rosa é, na verdade, uma antirrosa, o eu lírico constrói uma gradação para justificar sua conclusão. Analise os versos para justificar essa afirmação.

Baixar 15.53 Kb.

Compartilhe com seus amigos:




©historiapt.info 2023
enviar mensagem

    Página principal