Módulo 3: a abertura Europeia Ao Mundo



Baixar 57.48 Kb.
Página1/5
Encontro08.10.2019
Tamanho57.48 Kb.
  1   2   3   4   5

Módulo 3: A Abertura Europeia Ao Mundo:

Unidade 3: A produção cultural

  • Distinção social e mecenato:




Elites sociais


Criação de famosas cortes, como a corte dos Médicis em Florença

Nobres e Burgueses Buscavam ascensão social





Constituíram um círculo privilegiado da cultura e da sociabilidade renascentistas




Rodeadas de Luxo, conforto, beleza e sabedoria




Vestes sumptuosas




Ricos Palácios e Solares

Consumo de diversas iguarias

Adquiriam obras de arte

Saber humanista + talentos artísticos

MECENATO




Nas cortes emergiu então a figura do CORTESÃO



  • Talentos físicos e intelectuais

  • Qualidades morais e boas maneiras

  • Porte e Linguagem corporal

  • Modo do cavalgar, de gesticular e de dançar

  • Civilidade

  • Como se vestia

  • Como comia

  • Como falava

  • Forma de estar



  • Estatuto de prestígio dos intelectuais e artistas:



MECENATO



Papas




Nobres

Burgueses

Monarcas



Eclesiásticos




Fizeram imensas encomendas a eruditos e artistas, acolhendo-os com generosidade



  • Manuscritos antigos

  • Obras literárias

  • Grandiosos projetos de arquitetura, estatuas, túmulos, retratos


Os mecenas tentavam deixar o seu nome imortalizado através das obras que patrocinavam.

Disputavam nas suas cortes a presença de letrados, pintores, escultores e arquitetos, os mecenas expressavam também o prestígio e a consideração que o renascimento nutria pelos seus intelectuais e artistas.

O estatuto do artista como um ser criador, que, orgulhosamente assina as suas obras foi uma invenção renascentistas, uma vez que na Idade média, pintores, arquitetos e escultores eram meros homens anónimos habilidosos.

  • Portugal – O ambiente cultural da corte régia:

Independentemente da riqueza das outras cortes provenientes de Itália, a corte régia portuguesa não se deixou de sobressair no panorama da sociabilidade e da cultura renascentistas. Isto pôde ser provado através do faustoso mecenato dos monarcas ou através das sumptuosas festas realizadas por ocasião de casamentos reais ou de embaixadas.




  • Não se pouparam a despesas para acolher humanistas estrangeiros e para custear bolsas de estudo a estudantes portugueses na Itália, na França e nos Países Baixos.

  • Patrocinaram grandes obras arquitetónicas: Mosteiro da Batalha, Mosteiro dos Jerónimos, Torre de Belém, Convento de Cristo (Tomar); contratando artistas estrangeiros para a corte.

  • Contribuíram para a elevação da arte e da glória.



Monarcas






Compartilhe com seus amigos:
  1   2   3   4   5


©historiapt.info 2019
enviar mensagem

    Página principal