Marketing Digital é uma expressão muito utilizada nos últimos anos, e se refere a uma série de estratégias e ações de empresas e empreendedores, para alavancarem as vendas de seus produtos e serviços



Baixar 115.85 Kb.
Página1/3
Encontro15.06.2020
Tamanho115.85 Kb.
  1   2   3

INTRODUÇÃO

Estamos no ano 2019 e nos bolsos da maioria da população, estão smartphones, celulares; todos com inúmeros aplicativos, com acesso à Internet. São bilhões de pessoas conectadas todos os dias, em milhares de centenas de páginas pela Internet. Não há como negar que as oportunidades de comunicação no meio digital, são imensas, inclusive o Marketing Digital pode aproveitar os recursos do meio digital e o faz a um bom tempo, porém, o caminho até o surgimento do Marketing Digital é longo e deve ser explicitado de maneira clara e objetiva.

Marketing Digital é uma expressão muito utilizada nos últimos anos, e se refere a uma série de estratégias e ações de empresas e empreendedores, para alavancarem as vendas de seus produtos e serviços. Porém, não podemos simplificar este processo a algumas poucas linhas. É preciso conhecer vários conceitos para que possamos entender de fato o poder e o alcance do Marketing Digital e ainda mais sua importância nos negócios de diversos setores da economia.

Para iniciar a compreensão da expressão Marketing Digital, vamos estudar as duas palavras “Marketing” e “Digital” separadamente, mas, ao longo de uma ordem cronológica, as duas palavras irão se fundir e se tornarem a origem da expressão Marketing Digital. Temos de ter em mente que o Marketing surgiu em tempos remotos, enquanto que a Internet e todo o aparato que envolve a qualidade e maior alcance desta surgiram apenas em meados do século passado. Através disto, os profissionais do Marketing acompanharam as novas tendências e criaram inúmeras estratégias que se encaixam perfeitamente nos inúmeros aplicativos e plataformas disponíveis na Internet e mais precisamente em nossos smartphones.

Segundo os estudiosos do Marketing, este, como disciplina universitária, surgiu a pouco mais de 100 anos, mais precisamente nas primeiras décadas do século XX. Entretanto, há ainda uma série de estudos que estendem este período até as primeiras trocas comerciais nas antigas civilizações de milhares de anos atrás. Como nosso foco não é um material completo sobre a Historia do Marketing, vamos nos centrar às soluções criadas nos primeiros cursos de Marketing das universidades estaduinidenses, que buscavam solucionar os problemas da distribuição de algumas empresas.

Após o início de cursos específicos de Marketing nas universidades dos EUA, as disciplinas e conteúdos passaram por inúmeras mudanças em seus conceitos, pensamentos e maneiras de se relacionar com o mercado. O mercado passou a adotar novos formatos de mercado, com a evolução da era industrial e das inovações do século XX, garantiram ao Marketing se firmar como nova disciplina e permitiram resolver os problemas pontuais em diversos setores.

No começo do século XX, a propaganda e a força da necessidade de escoamento da produção, fizeram surgir técnicas, para aumentarem o desejo de compra nos clientes (BARTLES, 1976). As primeiras técnicas de Marketing se voltaram portanto, para a colocação dos produtos no mercado. O termo Marketing apareceu pela primeira vez apenas em 1911. A partir desta data, é que se definem os conceitos de Marketing, bem diferentes do que temos atualmente. Mas o Marketing ainda demorou um tempo para ser reconhecido como uma atividade de negócio, até 1948 era considerado uma função distinta dos negócios.

Entre as décadas de 1920 e 1930, com a Grande Depressão dentro deste intervalo, retardou o avanço de novas tecnologias estagnou e por conseqüência, a produção seguiu o mesmo destino, a preocupação maior era com a distribuição e abastecimento de mercadorias ao comércio. Novas propostas de técnicas de Marketing ficaram em segundo plano.

As próximas décadas foram de reconsideração para os conceitos de Marketing. A necessidade do reconhecimento do Marketing, foram considerados os seus aspectos científicos. O final da Segunda Guerra Mundial, trouxe consigo inúmeras inovações em diversos campos, entre eles, o da Psicologia e nas técnicas de persuasão de vendas. É também neste período entre as décadas de 1940 e 1950 que temos o início do chamado Marketing de rede. Pois, devido à técnicas de distribuição entre comerciantes mais próximos, foi possível criar um plano de comissões para diferentes níveis.

A primeira tentativa de Marketing de rede, ou seja, uma rede de distribuição de produtos ou serviços, em que o objetivo é fazer com a rede de distribuição seja cada vez maior, através da indicação de novos distribuidores por aqueles que já conhecem e distribuem os produtos e serviços. E a cada nível, ou número de novos distribuidores, dá direito a uma comissão em valor crescente de acordo com a evolução do número de novos distribuidores cadastrados e que efetivem novas vendas e tragam resultados positivos para a empresa. Infelizmente, alguns grupos organizarem sistemas paralelos, aos quais receberam o nome de pirâmide, que corresponde ao recrutamento de pessoas que investem um valor, porém este esquema não trabalha com produtos ou serviços, muito diferente do Marketing de rede.

A contribuição da Psicologia na década de 1950, foi essencial para a compreensão do comportamento do consumidor. Para Miranda e Arruda (2002), a Escola do Comportamento do Consumidor, com foco nos mercadores consumidores. O objetivo destes teóricos era aplicar os princípios comportamentais (psicológicos) às ações dos indivíduos no ato de consumir. Sendo assim, algumas discussões foram geradas, para influenciar a maneira de consumir. Chauvel (2001) afirma que a idéia de satisfação do consumidor foi a motivação para esta evolução.

Foram nos anos 1960, que trouxeram os primeiros bancos de dados e a exploração destes, onde estavam dados sobre os hábitos dos consumidores. Estudantes dos cursos de Marketing foram recrutados para desenvolverem ferramentas analíticas e modelos de necessidades. Este esforço tinha o objetivo de encontrar a relação entre o Marketing e os resultados de venda.

As empresas de diversos setores que dependiam das vendas e distribuição de produtos e serviços, se viram obrigadas a manterem departamentos de Marketing. Por ter contribuído de maneira positiva no meio empresarial, esta ação passou a ser utilizada em outras áreas de diversas atividades humanas. O governo, organizações civis, entidades religiosas e até partidos políticos passaram a utilizar as técnicas do Marketing, adaptando-as às suas necessidades e realidades.

Foi também nesta década que temos o surgimento dos shopping-center e das redes de supermercado. Mas também os assuntos ligados à satisfação e bem-estar dos consumidores, isto só foi possível pois nesta década vários grupos de consumidores de uniram e surpreenderam os responsáveis pelos departamentos de Marketing. Assim os movimentos denunciaram problemas óbvios e acabaram por alavancar a criação do Movimento de Defesa do Consumidor, baseado no conceito de bem-estar econômico propagados por bons economicistas como Schumpeter, Keynes, Modigliani (SETH; GARDNER, 1982).

Após ter afetado as grandes companhias e grandes empresas varejistas, o Marketing voltou sua atenção às médias e pequenas empresas. Inaugurava-se uma era do fenômeno dos gurus. Este tipo de Marketing, levou este ao conhecimento a todo tipo de profissional. Agora, o Marketing era uma necessidade mercadológica e não estava mais restrito a um departamento dentro das corporações, independente do porte destas. Infelizmente isto levou a um descuido com o rigor cientifico, o que ocasionou uma onda de modismos.

Miranda e Arruda (2002) colocam em sua tese que neste período, entre 1970 e 1980 temos o nascimento de uma Escola especifica para estudar o comportamento e estratégias do Marketing de Relacionamento, com foco na criação de lealdade, na satisfação e na retenção de clientes. Entre o final da década de 1970 e início dos anos 1980, há também a explosão do Marketing de rede por conta de grandes empresas apostarem neste filão de negócios.

O começo dos anos 1980, as grandes empresas apostaram pesadamente no Marketing de rede nos EUA. Era uma iniciativa que contava com uma rede de distribuidores independentes que vendiam os produtos e serviços no fundo dos seus quintais e nas suas garagens, porém não contavam com uma infra estrutura adequada. A experiência foi frustrante para muitos empreendedores, por conta de terem de acumularem inúmeras tarefas, necessidade da aquisição de um estoque muito grande para atingirem os níveis maiores dentro das companhias. Estas questões fizeram com que as conseqüências fossem estoques parados, desgaste físico e emocional dos distribuidores e pouco ou ainda nenhuma margem de lucro.

As inovações tecnológicas dos anos 1990 trouxeram grande impacto nas estratégias do mundo do Marketing. Com o advento da Internet a nível comercial; o comércio eletrônico passou a ser uma realidade e levou a uma revolução da Logística, distribuição e formas de pagamento, aos centros de atendimento ao consumidor. Agora a Internet era um novo canal de comunicação. Ou seja, esta se tornou um era de por uma constante busca pela personalização em massa. Outra tendência do período, foi o fortalecimento do conceito de Marketing Social, preocupado com o bem-estar social da sociedade, que se tornou um exigência do mercado. A responsabilidade social tornou-se uma característica competitiva.

Umas das ultimas escolas de Marketing, surgiu entre o final dos anos 1990 e no início dos anos 2000, surgiu como um instrumento facilitador do Marketing, com foco em trabalhar a personalização em massa, proporcionar agilidade às atividades comerciais e permitir a interatividade entre os clientes e também uma maior interatividade entre as empresas e os clientes. Uma outra, chamada de Marketing Experiencial, tem seu foco nas sensações que os produtos podem proporcionar aos clientes e não meramente só focadas às necessidades dos clientes.

Já o Marketing de rede também pode contar com as benesses das inovações do mercado e da especialização da mão-de-obra destinada ao Marketing tradicional. E esta maior especialização, fez com que o trabalho dos profissionais do Marketing de Rede se tornasse menos árduo. As companhias apostaram em sistemas informatizados, novas tecnologias de informação e também em técnicas sofisticadas de administração, para tornar o Marketing de rede mais eficiente. Os distribuidores já não precisavam de fazer grandes esforços e os rendimentos passaram a serem mais atraentes.

A virada do milênio assistiu ao aumento da demanda por TV a cabo, à popularização da telefonia celular e à democratização do serviço de Internet. A World Wide Web já se encontrava madura o suficiente para suportar várias páginas e até redes sociais, e, principalmente o comércio eletrônico. Isto revolucionou a Logística, a oferta de produtos, sendo assim, agora o cliente tinha acesso a informações sobre produtos e serviços como nunca havia ocorrido antes. Isso influenciou a maneira como os clientes interagiam com as empresas.

Os especialistas apostaram que o Marketing de rede cresceria a partir do século XXI e, este estavam certos. É fato, que as maiores multinacionais tem investido em empresas especializadas em Marketing de rede. Este fato só está sendo possível devido à imagem que o Marketing de Rede tem construído através de empresas que trabalham de maneira correta com o sistema e o aplicam com seriedade.

Atualmente temos a mais nova onda no conceito de Marketing digital e Marketing de Rede na Internet, que é agora o caminho para o “network”, pois a Internet é uma rede mundial de pessoas integradas por meio de um receptor da mesma (smartphones, tablets, computadores ou notebooks). Para além da ampliação da rede de contato dos distribuidores, a Internet agrega inovações ao processo de comunicação e relacionamento entre clientes e empresas e distribuidores. Muitas empresas do ramo de Marketing de Rede contam com esta tecnologia desde seu projeto inaugural.

O sucesso para o Marketing e para o Marketing de Rede, nas últimas décadas, só foram possíveis devido ao surgimento da Internet e todo o seu desenvolvimento, e, melhoras nos serviços de telefonia e de telecomunicações até o presente momento. Temos de destacar que as inovações não surgiram repentinamente, são fruto de inúmeras pesquisas, experimentos e investimentos púbicos e privados nesta área. Várias disputas políticas entre nações e até continentes ocorreram no caminho da melhoria do serviço de telecomunicações e por conseqüência do estabelecimento do serviço de Internet.

DESENVOLVIMENTO DA WEB 1.0 PARA 2.0;

Antes de nos aprofundarmos em todo o aparelhamento necessário para a realização do Marketing Digital, é preciso entender como surgiu a Internet, fator imprescindível para o funcionamento do Marketing Digital (MD), sem a Internet, inúmeras possibilidades, serviços, programas, redes sociais, não existiriam, e este material não teria sentido.

Os esforços competitivos entre EUA X URSS, durante a chamada “Guerra Fria” (1946-1991), segundo GILES (2010), a Internet surgiu durante este período, como uma estratégia do exército dos EUA. Era preciso criar um sistema de informação e comunicação em rede que sobrevivesse a um ataque nuclear e agilizar a troca de informações de pesquisas científicas (CORREA, 2013). Os primeiros pacotes de rede só foram possíveis após grandes embates, sobre protocolos de informação e comunicação na Europa. Sendo assim, coube mais uma vez ao EUA, o pioneirismo, e com tecnologia européia iniciou o projeto ARPANET, em 1967, um protótipo de ligação remota e compartilhamento de arquivos, porém a primeira dificuldade do projeto, era a variedade de computadores que precisariam estar interligados. (CARVALHO, 2006).

Os projetos do ARPANET não tinham protocolos precisos sobre interfaces e comunicação, mas mostrou que a rede de computadores era viável e deu inicio à sua estratégia de expansão. Somente no ano de 1972, Tomlinson da BBN, inventou um programa para escrever emails, e logo ganhou novas funções. Porém, só em 1974, a ARPANET passaria a ser internacional e no ano seguinte, os militares passaram a comandar a rede. Somente em 1977 é que se faz a primeira demonstração da transmissão de dados via satélite (SATNET) e rádio (PRNET), integrando a ARPANET. Foram utilizados computadores dos EUA e da Europa. Cinco anos depois temos a assinatura por parte dos militares de um protocolo que define o uso da conexão TCP/IP para o uso da Internet.

No início da década de 1990, o TCP/IP estava disponível a todos os computadores. Duas medidas foram importantes para acelerar o surgimento da Internet civil: a separação da rede militar da ARPANET e o investimento na disseminação do TCP/IP. (CARVALHO, 2006.) A CSNET entrou em operação em 1982 e foi financiada pela NSF até 1985, quando passou a se autofinanciar através da contribuição dos seus participantes. A NSF, inclusive, tomou mesmo uma medida inédita em relação aos seus financiamentos de pesquisas ao assumir a administração centralizada do projeto (por um período de dois anos) para garantir que a experiência não falhasse por falta de uma coordenação arbitral não vinculada diretamente a nenhuma instituição participante (DENNING, 1983, p. 14).

A visão de uma infra-estrutura universal que permitisse a comunicação e a troca de dados , em qualquer lugar e tempo, se tornou atrativo a muitas pessoas. No inicio a Internet era de uso exclusivo de acadêmicos e de militares. Agora havia a possibilidade de comunicação um-para-um. Em 1995, após os discursos da Global Information Infrastructure Commission (GIIC), se aumentou a demanda e alcance da Internet nos EUA, e esta começou a ser utilizada por um público fora do âmbito acadêmico. Porém o surgimento da Internet como a utilizamos hoje, passou por uma série de dificuldades e precariedades.

Em 1993, as redes comerciais de provedores passaram a se popularizar. A Embratel começou a oferecer seu serviço de acesso à Internet discada, em dezembro de 1994, porém o alcance comercial só atingiu um relevante patamar em 1996, porém sem a infra-estrutura suficiente para atender seus clientes de maneira satisfatória.Pouco mais de 25 anos depois que Tim-Berners Lee colocou a “World Wide Web” à disposição do público, muita coisa tem mudado. Atualmente, metade da população mundial utiliza a Internet por meios como computadores, notebooks e smartphones (que são celulares que tem várias funções integradas em um único aparelho, e que são levados no bolso).

O Marketing e a Era Digital

Depois de assistirmos a invenção da televisão, foi preciso aguardar algumas décadas para uma nova inovação de tamanha importância. Em 1973, a primeira chamada de celular foi realizada e apenas em 1981 a IBM apresenta o computador pessoal e só em 1984 teremos o lançamento do Macintosh. O computador pessoal deu origem ao acesso à Internet e ao e-mail. Em 1994 foi enviada a primeira mensagem automatizada em larga escala, o spam, que atingiu milhares de pessoas. Essa foi um demonstração do poder do email marketing. Como resultado, hoje ele faz parte de uma das inúmeras estratégias de marketing.

As inovações não pararam de aparecer a partir da década de 1990 por conta da união das estratégias de Marketing com o mundo digital. No momento atual as estratégias de Inbound Marketing estão alinhadas às necessidades do consumidor que está mergulhado em uma infinidade de informações e tem a necessidade de buscar o aprendizado e a compreensão sobre o produto ou serviço antes de tomar a decisão definitiva da compra.

Conceitos do Marketing Digital

Além dos fundamentos do Marketing Digital, temos de aprender os conceitos do Marketing Digital, que podem ser muito simples, porém, muitos profissionais da área do Marketing não o sabem utilizar da maneira correta, na realização de campanhas eficientes para os seus clientes.

Temos de ter em mente os 8Ps do Marketing Digital: Produto, Preço, Praça, Promoção e People (pessoas), Processos, Posicionamento e Performance. O Marketing Digital tem seus próprios termos e portanto cada um deve ser compreendido e posto em prática para resultados mais eficientes.

O Marketing Digital tem estratégias próprias, e trabalha com o conceito de persona, que são perfis semifictícios, baseados em clientes reais, e que correspondem a um comprador ideal. Assim, criam-se ações segmentadas e diretamente para as pessoas certas.

Temos também de conhecer o conceito de Lead, que são oportunidades de negócios. Contatos captados em estratégias de Inbound marketing, que deixam suas informações chave para que você possa identificar futuros compradores e injetar neles uma série de informações relevantes sobre o seu produto ou serviço, até que eles estejam próximos do momento de compra.

Até o momento da compra, o cliente traça um caminho, e este, se chama Jornada do consumidor, desde a compreensão de um problema, passa pela consideração da compra do produto e a própria compra do produto. A isto, chamamos de Funil de Vendas. Os Funis de Venda seguem

As Landing Pages, são páginas de capturas de leads, focadas em absoluto para a conversão. A idéia é que nestas páginas tenha algum tipo de recompensa como e-Books, e assim os clientes mais interessados acabam deixando seus dados para contatos, e assim se tornam leads.

O importante é que o profissional de marketing tenha uma página, blog; que comportam vários tipos de mídias e são excelentes para a divulgação das características do produto ou serviço. Porém é necessário que se apliquem técnicas de SEO (Searching Engine Optimization) para que os clientes sejam sempre direcionados àquele conteúdo.

Páginas com CTA (Call To Action), ou seja, páginas com botões de chamada que direcionem a ação que os seus usuários

Surgimento das redes sociais

Para além das inovações tecnológicas, temos um fenômeno iniciado junto com o nascimento da Internet, que é o surgimento das redes sociais; a primeira rede social documentada é a Classmates.com, que tinha por função conectar estudantes universitários.

“Por apresentarem caráter colaborativo e social, permitem que as pessoas se conheçam, troquem mensagens e criem grupos e comunidades virtuais, através de suas diversas ferramentas de relacionamento, facilitando a criação e a interação de tribos que tenham interesses em comum. A essência das mídias sociais é o relacionamento nascido da criação e do compartilhamento coletivo de conteúdo.” ( ARAÚJO e RIOS, 2012).

As redes sociais são primeiramente formadas por membros, e estes tem a capacidade de influenciar outros membros. Deste modo, grandes redes sociais como Facebook, Whtaspp, Instagram, entre outras, permitem a interação de diversas pessoas.

Assim, a partir de 2004, há a criação do Orkut, com suas comunidades, que reuniam os membros de acordo com características específicas. Porém, se popularizou entre as camadas C e D, o que fez as classes A e B migrarem rapidamente para o Facebook, que contém maior quantidade de ferramentas e recursos. (CORREIA e MOREIRA, 2014)

Com mais de 800 milhões de usuários, o Facebook, está modificando a maneira como as pessoas se comunicam e também como consomem conteúdo publicitário na Internet. As funcionalidades do Facebook são várias e atualmente temos inúmeros grupos de venda e também Marketplace. Com a oportunidade de criar conteúdos com imagens, vídeos e discussões e com alcance irrestrito; de acordo com a sua configuração de privacidade; o Facebook, abre um leque inimaginável de oportunidades para quem tem o desejo de realizar o Marketing Digital com poucos recursos.

No Facebook, há a opção de Grupos, dentro destes há inúmeros tipos de grupos, algo muito similar às antigas comunidades do extinto Orkut. A melhor opção para se escolher um grupo do Facebook é escolher um grupo de vendas que seja da sua cidade ou região. Você pode ainda criar uma página dentro do Facebook, porém, a partir de um certo alcance a página terá um custo mensal.

O Instagram que foi criado em 2010 pelo americano Kevin Systrom e o brasileiro Mike Kriegger; em 2012 foi comprada pelo Facebook e a versão que opera hoje é uma adaptação do primeiro aplicativo chamado Burbn; é uma rede social que permite o compartilhamento de imagens, vídeos; que também permite a criação de conteúdos diferenciados. Basta seguir seus clientes ou amigos para que estes tenham acesso às suas publicações.Você pode publicar simples posts com uma imagem e uma breve descrição (legenda), o ideal é colocar hashtags na descrição das imagens ou vídeos, pois isto faz com que os usuários ao procurarem a palavra correspondente ao produto que você lançou a hashtag, irão ser direcionados ao seu conteúdo.

O aplicativo Instagram ainda tem as funções para produzir conteúdos de variadas formas, como, stories (pequenos vídeos que serão notificação para seus seguidores); nesta opção você poderá fazer pequenas demonstrações sobre o seu produto e de seus serviços; como estes funcionam, modo de usar, vantagens, ou aquilo que você mais considerar relevante. Nas imagens, vídeos, stories, o Instagram tem opções de filtros, efeitos, marcar usuários, indicar sua localização, compartilhar sua publicação com outras redes sociais. Há uma função interessante neste aplicativo, que é a Biografia, um espaço em que você poderá colocar uma breve descrição sobre as atividades ou publicações do seu Instagram, isto fará com que seu negócio seja encontrado mais facilmente pelos usuários.

A plataforma de vídeos Youtube, criada em 2005, da simples idéia de três programadores para otimizar a tarefa de assistir vídeos pela Internet. Atualmente são centenas de milhares de usuários nesta plataforma que a acessam todos os dias para assistirem a todo tipo de vídeos. Então nesta plataforma há a possibilidade da criação de um canal pessoal com o intuito de divulgar seus produtos ou d seus serviços; aqui é importante ressaltar que caso você seja um distribuidor, este canal tem de ficar claro e explicito aos telespectadores que não é um canal oficial da empresa a qual você representa; o canal só poderá ser oficial de você for o dono do negócio ou da marca que está sendo divulgada.

O YouTube que é uma plataforma exclusiva de vídeos, lhe dá a liberdade de criar conteúdos mais extensos, pois alguns produtos ou serviços precisam de tutoriais de modos de usar maiores, por conta de algumas especificações. Também há a possibilidade de gravar depoimentos de clientes satisfeitos ou que tenham tido alguma experiência com os produtos ou serviços que você oferece, ou ainda de eventos ligados às suas atividades comerciais. Não é necessário uma super produção para a realização dos seus vídeos, pois assim estes passarão mais credibilidades quanto aos resultados prometidos por seus serviços, do que super produções que podem estar recheadas de edição para um impacto visual maior.

Embora o Twitter seja o queridinho de jornalistas, políticos ou de uma população mais intelectualizada, este aplicativo criado em 2006, permite uma troca de status muito parecida com o MSN, que já foi muito utilizado, porém há uma dificuldade para com o Twitter; suas publicações são limitadas a 140 caracteres, mas assim como no Facebook e no Instagram, tem também a possibilidade do compartilhamento de imagens e vídeos neste aplicativo. Para alavancar suas publicações, há o recurso da hashtag para destacar seu Twitt (nome dado a cada publicação do Twitter), para que seja encontrado com mais facilidade pelos usuários. Vale ressaltar que as quatro redes socais tem a opção de comunicação direta com o criador do conteúdo, no caso os usuários poderão entrar em contato via caixa de mensagens com você com facilidade.

Temos ainda o Whatsapp, que praticamente todo o usuário de telefonia móvel tem, criado em 2009, primeiramente apenas para usuários do Iphone, mas em 2012 já estava disponível a todos os sistemas disponíveis nos smartphones. O aplicativo é o preferido da maioria da população mundial. Com inúmeras funções como mensagens de texto, mensagens de voz (áudio), envio de imagens e vídeos, tem o status que segue o mesmo funcionamento do stories do Instagram.

Como o aplicativo mais popular do momento, disponibilizar a comunicação no Whatsapp para o seu cliente, pode ser uma estratégia comum, porém tem se mostrado muito eficiente. Há a possibilidade de se montar um grupo dento do aplicativo com as pessoas mais interessadas nos seus produtos ou serviços. Por exemplo, após uma campanha bem sucedida no Facebook em que você deixou o número do Whatsapp disponível, o cliente entra em contato e você pode adicionar o número deste ao seu grupo de negócios ou vendas, facilitando o envio de mensagens, pois o conteúdo terá de ser compartilhado apenas uma vez e irá impactar um número maior de pessoas.

Estas são as redes sociais mais utilizadas pela grande maioria da população brasileira. Porém existem uma grande opção de redes sociais com fins mais específicos que podem servir para alavancarem o sucesso e a captação de leads para o seu negócio. Temos ainda o Google Adwords, Linkedln, iTunes,Google+, Pinterest, Snapchat, Messenger e Skype. É mais uma lista de plataformas e aplicativos para você utilizar mais tornar o seu negócio mais atrativo e para que ele seja visto por milhares de pessoas, empresas, fornecedores e clientes.

O Google Adwords, que atualemente recebeu a denominação de Google Ads, que consiste em um serviço fornecido pelo Google para que você coloque seu anúncio, pois é no Google e no Google Maps que as pessoas procuram todo tipo de coisa, produtos ou serviços e o seu pode estar ali em um dos primeiros clique do usuário em sua busca. Você paga apenas pelos resultados, você paga apenas quando o cliente acessar seu site ou ligar para sua empresa. Um anuncio bem colocado e no momento certo pode alavancar lucros incríveis.

O Linkedln uma rede social lançada em 2003, tinha como função básica apenas realizar o networking profissional de seus usuários. Com o aumento dos inscritos, a plataforma ganhou outras funcionalidades. Se você tem um currículo de sucesso na área de vendas ou ainda na área de marketing digital, o ideal é que você monte um perfil profissional nesta plataforma para que você seja encontrado por profissionais ou empresas que invistam nesta área. Você pode se tornar um fornecedor ou ainda um contratante de pessoas qualificadas para o seu empreendimento.

O Pinterest é uma rede social de compartilhamento de fotos, criada em 2010, um pouco diferente do Instagram, onde as imagens são chamadas de “pins”, e há possibilidade de agrupar estas imagens em coleções chamadas de “pinboards”. Todo o conteúdo armazenado no aplicativo pode ainda ser agrupado em categorias de assuntos. Para avaliar os resultados da sua campanha neste aplicativo é só acompanhar a quantidade de vezes que os usuários acionaram o botão “Pin It’, o equivalente ao botão curtir do Facebook. O Pinterest se tornou uma grande vitrine virtual, isto faz com que o tráfego de usuários seja maior e que o volume de vendas. É um dos sites de venda mais visitados do mundo.

O Snapchat é um aplicativo desenvolvido em 2011 e permite o compartilhamento de imagens e vídeos. Porém, o Snapchat tem particularidades bem diferente dos seus similares. A partir de 2015, foram lançadas novas funções ao aplicativo como filtros de aceleração, câmera lenta, exibição de vídeos ao contrário (de trás para frente), filtros que adicionam carinha de cachorro, coroa de rei, entre outras, para deixar as publicações mais divertidas. É uma das redes sociais preferidas dos famosos. É possível iniciar uma conversa com texto ou vídeo com seus amigos, mesmo sem ativar sua câmera para conversar. O tempo de cada Snap é de no máximo 10 segundos, portanto é ideal para fazer chamadas de lançamento de algum produto ou serviço, e a imagem ou vídeo poderá ser visto apenas pelo tempo determinado por você.

O Messenger também é mais uma opção de comunicação instantânea, que permite o compartilhamento de mensagens de texto, imagens, vídeos, áudios. Quando foi criado em 2011, estava incorporado ao Facebook e a partir de 2014 foi desagregado do Facebook e não há possibilidades por ora de criação de melhorias e novas funcionalidades para o aplicativo do Messenger.

O Skype é um software que permite a comunicação através de vídeo e voz pela Internet lançado em 2003. É o aplicativo mais famoso do mercado. Tem comunicação ilimitada e grátis para outros usuários Skype no mundo inteiro; qualidade de som; criptografado; porém, pode exigir antivírus e firewalls, que podem bloquear portas de acesso; a lista de contatos mostra quando estes estão online ou não; há a possibilidade de enviar arquivos enquanto se realiza um conferência, algo muito útil para o mundo do empreendedorismo; Skypefind é uma poderosa ferramenta para informações sobre estabelecimentos comerciais. Atualmente é a Microsoft quem opera o sistema.

Outra plataforma de divulgação de conteúdos, porém de conteúdos de áudios exclusivamente, onde podem ser compartilhadas músicas, mas também os chamados “podcasts”, que são uma série de áudios com conteúdo relevante que você pode incluir na plataforma como forma de motivar os usuários e clientes a conhecerem novos lançamentos, palestras sobre planos de negócios. Tal plataforma vem ganhando cada vez mais adeptos por ser fácil de usar e ao mesmo tempo permite que os usuários organizem os conteúdos mais relevantes. Mas os conteúdos são todos pagos e, é necessário adquirir cartões pré-pagos para ter acesso aos conteúdos.

Bons conteúdos não sobrevivem a maus hábitos

Todas as plataformas e aplicativos, listados anteriormente são ferramentas poderosas para a divulgação e estratégias de Marketing, porém algumas pequenas atitudes podem prejudicar ou fazerem com que todo o investimento na criação do conteúdo seja desperdiçado. Pretendemos listar alguns exemplos de má conduta em algumas plataformas, ou ainda de algumas atitudes que parecem inofensivas mas podem te levar a perder vários leads.

No Facebook o ideal é que se crie um perfil profissional, ou seja, desvinculado da sua conta pessoal, pois questões como política, futebol e religião, ou ainda de questão de preferências são polêmicas; portanto, evitem expor este tipo de publicação, e outras, que denotem ostentação excessiva, ofensas a grupos específicos (que podem vir a se configurar como crime), publicações violentas ou com situações de risco de vida, mortes, ou de crimes violentos em seu perfil são algo que fazem seu cliente considerarem a trocar de distribuidor, marca, produtos. E o mais importante o Facebook tem as regras da sua Comunidade, você pode ser denunciado pelos usuários ou ainda ter sua conta temporariamente bloqueada, até por excesso de publicidade.

No Instagram as regras sobre publicações de violência, opiniões e gostos pessoais também não fazem os usuários recorrerem ao seu conteúdo. Neste caso o ideal também é criar um perfil profissional, apenas com o objetivo de divulgar sua marca, produto ou serviço. Evite também imagens ou vídeos com pouca ou nenhuma roupa, pois assim como no Facebook, o aplicativo tem suas regras, infringir estas podem ter as mesmas conseqüências como bloqueio da sua conta.

Assim como os demais aplicativos ou plataformas, o Youtube tem suas regras sobre o conteúdo produzido e compartilhado, tome cuidado com o que irá compartilhar nesta rede que pode assim como as demais ter o acesso de crianças, portanto, linguagem de baixo calão, ofensiva, ou que contenham alguma conotação sexual; a não ser que seu produto se destine a este fim, como no caso de produtos para sex shop. Procure conceber os vídeos e conteúdos de forma natural e orgânica, demonstre resultados reais, os usuários não gostam de serem enganados e você pode estar prejudicando não apenas sua imagem como também da sua distribuidora e da empresa para a qual você trabalha, o que pode render até um processo.

Embora o Twitter trabalhe com produções textuais mais elaboradas e não seja tão popular entre a maioria da população, como foi colocado anteriormente, ainda temos a opção de compartilhar imagens e vídeos no aplicativo. Tente criar horários fixos para suas aplicações e conteúdo diferenciado. Como o público neste aplicativo costuma ser mais sensível, observe bem seu vocabulário, e esteja sempre atento à caixa de mensagem direta, onde você terá mais liberdade para interagir com o cliente.

O Whatsapp por sua popularidade é o aplicativo mais usado no Brasil e no mundo para a comunicação rápida e direta. Os grupos do Whatsapp facilitam a tarefa do profissional de Marketing, pois agrupam um grande número de indivíduos com o mesmo interesse, porém podem agrupar indivíduos com opiniões divergentes. Deixe claro para todos os integrantes do grupo, que este é exclusivo para negócios e que publicações sem este intuito não são bem vindas, parece ser um pouco indelicado, mas assim você evitará muitos constrangimentos futuros.

Aos outros aplicativos e plataformas, as regras e indicações de normas de boa conduta, para que você realiza um bom trabalho de Marketing são muito parecidas. Só há uma pequena e importantíssima ressalva quanto ao Linkedln, por ser uma plataforma em que dados profissionais e pessoais serão apresentado, certifique-se que está se relacionando com pessoas e empresas sérias. Da sua parte é necessário todo o cuidado, pois dados pessoais falsos ou a invenção de cargos, uma carreira falsa apenas para atrair mais atenção pode ser muito perigoso, pois trata-se do crime de falsidade ideológica.

Outras opções bem viáveis para fazer o seu Marketing Digital alavancar um número significativo de Leads, contatos, clientes, visualizações é a opção de criar uma página, um blog na Internet. Nos blogs ou páginas da Internet você pode colocar todo tipo de informação que considerar relevante sobre seu negócio, produto ou serviço como, tabelas, infográficos, imagens, vídeos, pesquisas de opinião, formulários, criar promoções, mais uma infinidade de recursos e opções para o seu Marketing Digital estar entre os primeiros resultados de busca na Internet. Procuramos listar 30 opções de ferramentas para o seu trabalho ser mais ágil e profissional, entre elas algumas são gratuitas por certo período de experiência e logo após pagam a ser pagas, resta você pesquisar com foco e objetividade a ferramenta que mais se adéqüe à sua metodologia e condições de investimento.



PRINCIPAIS FERRAMENTAS DO MARKETING DIGITAL

  1. Google Analytics: é uma plataforma unificada de publicidade e análise para tomar decisões de marketing mais inteligentes e gerar resultados melhores. É uma plataforma que tem como objetivo coletar dados e que faça o empreendedor entender seus clientes. A plataforma tem ferramentas para a realização de relatórios, testes de variação dos sites e aplicativos, testes de opinião em tempo real, gerenciador de tags, edição de vídeos, além dos dados em tempo real, há insights unificados das suas campanhas.

  2. Semrush: kit de ferramentas integradas de Marketing. São inúmeras as tarefas que os funcionários podem realizar com esta ferramenta. Tais como: auditoria técnica de SEO; coleta de núcleo semântico; monitoramento de posição; idéias para melhorar seu tráfego; inteligência competitiva; análise e auditoria de backlinks; análise de estratégias de anúncios; agrupamento e gerenciamento de palavras-chaves; otimização de negativas entre grupos; pesquisa de criativos e palavras-chave do anúncio; análise da concorrência; veja como o público das redes sociais e o envolvimento se alteram ao longo do tempo; identifique as postagens de melhor desempenho; compare seu desempenho com o de seus concorrentes; tenha uma perspectiva imediata da sua estratégia nas redes sociais; colete referências à marca, aproveite novas oportunidades de divulgação; escolha os canais de divulgação mais eficientes; descubra assuntos que estão em alta; ajuste seu conteúdo de acordo com a base de dados de envolvimento. Estas são apenas algumas características desta ferramenta, uma das mais completas.

  3. Moz: é uma das líderes do mercado de fornecedoras de ferramentas SEO, porém, o site está todo em inglês, é preciso o domínio desta língua para trabalhar com esta ferramenta. Há tutoriais de cada ferramenta disponível, e são muitas ferramentas que podem deixar até SEOs mais experientes um pouco confusos. Uma equipe de suporte técnico estará sempre à sua disposição. É uma das ferramentas com o custo mais flexível e oferece planos para empresas de todas os tamanhos.

  4. SEO Certo: é um dos produtos da King Host. A página inicial do relatório oferece a nota geral e outros indicadores de SEO no site analisado. Além, conforme o site for modificado, há uma atualização das correções feitas diretamente no painel do site, isso faz com que seja possível fazer atualizações em tempo real de acordo com a resposta do público. O SEO Certo disponibiliza um blog, e também uma ferramenta que cria as palavras-chaves mais eficientes para o seu negócio. São mais de 150 recomendações personalizadas de Marketing.

  5. Wix: esta é uma ferramenta que disponibiliza a construção de sites e blogs para iniciantes, porém contem ferramentas engessadas e no plano gratuito não será possível construir algo muito atrativo, somente no modo pago é que você poderá usufruir de todas as vantagens e inúmeros templates exclusivos. Em sua maioria no Wix, temos muitas ferramentas pré-prontas.

  6. WordPress: este tipo de plataforma de gerenciamento de sites e blogs é chamado de CMS; Sistema de Gestão de Conteúdo. Ou seja, qualquer pessoa sem grande experiência consiga publicar um site e administrá-lo. É fácil de operar; amigável ao adicionar mecanismos de busca; pode ser exportado com facilidade; tem uma comunidade gigantesca, possuem milhares de especialistas. O WordPress ainda conta com editor de páginas e posts (com recursos avançados de de formatação de textos); biblioteca de mídia; gerenciador de comentários; editor de aparência do site; editor de widgtes; gerenciador de plugins, temas, usuários e plugin anti-spam.

  7. Google Optimize: é um programa que permite criar testes A/B com integração com outras ferramentas. Há versões gratuitas e pagas, sendo óbvio que as versões pagas terão mais possibilidades e oportunidades. Para fazer seus testes é muito simples, sendo possível configurar variantes de teste, objetivos e hipóteses.

  8. Clicktale: é um conjunto de ferramentas que permite avaliar o comportamento dos usuários quanto ao seu site. Há ainda um mapa de calor que mede onde os usuários estão clicando em seu site. A informação é apresentada através dos tradicionais relatórios e sites. Esta identificação permite acompanhar o caminho do cliente que abandonou o site antes da compra e por que o fez.

  9. Crazy Egg: esta é outra ferramenta muito semelhante a citada anteriormente. Há 3 funções principais da ferramenta; o heatmap, mapa que mostra todos os cliques feitos pelo usuário, assim é possível analisar o que chama mais atenção no site; o overlay, mostra a quantidade e a proporção em cada botão dentro do site, em qualquer opção clicável dentro do site; o scrollmap, mapa de calor criado de acordo com as áreas mais visualizadas e em quais o usuário permanece mais tempo. É possível utilizar a ferramenta gratuitamente por 3 meses, após este período, ela passa a ser paga de acordo com o plano assinado.

  10. Hotjar: esta ferramenta é muito semelhante com as ferramentas descritas anteriormente. Porém esta ferramenta fornece alguns diferenciais: testes de links; teste de distração; teste de informação; teste de dispositivo; teste de profundidade; teste de engajamento; fold test, é mudar a posição de um conteúdo dentro do site para que este chame a atenção primeiro; teste do header, muito semelhante com o teste de distração.

  11. Tinypng: esta ferramenta é útil para montar layouts, templates que sejam mais leves, pois o Tinypng comprime as imagens selecionadas, como por exemplo, diminuem o tamanho ocupado da imagem de 100kb para 10kb, sem prejudicar sua resolução. Geralmente a ferramenta diminui a imagem de 50 a 90%.

  12. Thrive Leads: é uma ferramenta que captura contatos, através dos sites e das visitas que você recebe em seu site e serve também para divulgar algum tipo de recompensa que você possa a oferecer aos seus clientes. Sendo que o melhor é que você tenha mais de uma forma de chamar atenção do seu cliente e fazer com que eles se convertam em vendas reais. Ou seja, a ferramenta faz com que o seu números de Leads cresça exponencialmente.

  13. Sumo: é uma ferramenta ideal para sites recentes que tem ainda pouco tráfego mensal, e oferece opções poderosas para que você possa capturar Leads, com vasta coleção para colocação de pop-up; barra inteligente, que faz com que seu cliente seja convidado a integrar seu e-mail. A conta é gratuita, mas carece de recursos importantes para a maior captação de Leads, porém apenas para o modo básico, conforme o tráfego em seu site for aumentando, a ferramenta pode ficar cara.

  14. Hello Bar: é uma ferramenta que cria uma barra de apresentação de um produto, serviço ou vantagem que rola junto com a página, para atrair a atenção do seu cliente e assim gerar mais Leads para o seu empreendimento.

  15. Infogr.am: é uma ferramenta digital gratuita que permite criar infográficos, relatórios de marketing, gráficos de alta qualidade, painéis de controle ao vivo, mapas interativos, visuais de redes sociais; permite criar imagens impressionantes para colocar em anúncios do Facebook, entre outras, devido a um grande banco de dados e ícones disponíveis na plataforma.

  16. Pikto Chart: com esta ferramenta, o usuário que não tem experiência com produção de infográfico, poderá produzir infográficos completos, visando temas específicos, utilizando modelos temáticos. É uma das ferramentas que mais cresce em número de usuários desde a sua criação em 2012.

  17. Visme: mais uma ferramenta poderosa, que permite o usuário criar apresentações de slides, como se estivesse no Power Point, mas só que tudo isso online. A ferramenta cria infográficos, wireframes e apresentações em geral para quem não entende nada de design. O serviço tem imagens, fontes, ícones, ferramentas de edição e cria mapas interativos e gráficos visuais a partir de dados de tabelas. Além disso permite o upload de vídeos direto do Youtube. Após o trabalho concluído, é possível publicar o conteúdo de forma pública, para compartilhamento social ou privado. O conteúdo pode ser convertido o material como imagem, em formato PDF ou até em HTML5.

  18. Beacon: Beacon Marketing é uma ferramenta, mais precisamente um plugin para Wordpress que transforma os posts de um blog em um e-Book. Desta forma, os visitantes são incentivados à leitura além de aumentar a taxa de conversão de acordo com o fabricante. Com o Beacon você pode criar e-Book com templates exclusivos e gratuitos, mesmo sem experiência nenhuma de edição e design. Outras ferramentas podem ser complicadas para leigos no assunto, com o Beacon, horas de trabalho serão economizadas.

  19. Trakto: este site é uma plataforma onde você pode criar e organizar todo o seu material de Marketing em e-books com templates exclusivos. Com 300 templates para posts em redes sociais, os e-books interativos com a página de captura de e-mails da Trakto. A plataforma ainda conta com modelos de propostas de pagamento via cartão de crédito ou boleto bancário. Apresentações integradas com análise da quantidade de visualizações e downloads ou ainda crie seus próprios cartões de visitas, folders, flyers também podem ser uma oportunidade para alavancar seu projeto de Marketing de seus produtos e serviços.

  20. Rawshorts: é uma plataforma que transforma sua campanha em um vídeo animado e narrado de acordo com o roteiro previamente estipulado por você. Você não precisa se preocupar com os detalhes, as imagens são inseridas pela plataforma e é criado seu storyboard, você precisa apenas revisar o resultado. São possibilidades de animações para qualquer tipo de negócio. As imagens, tudo o que há na plataforma está devidamente licenciado.

  21. PowToon é um software de animação baseado na Web que permite aos usuários criar apresentações animadas, manipulando objetos pré-criados, imagens importadas, músicas e vozes criadas pelos usuários. O PowToon usa um mecanismo Apache Flex para gerar um arquivo XML que pode ser reproduzido no visualizador online do PowToon, exportado para o YouTube ou baixado como um arquivo MP4. Também há a possibilidade de se criar apresentações profissionais através de sua apresentação Power Point. Temos de citar o gerenciamento dos e-mails dos seus Laeds através deste software.

  22. ShowBox é um dos recursos oferecidos pelo PowToon e é uma plataforma de edições de vídeo baseada em nuvem que permite organizações com grandes bases de usuários que fornecem a estes ferramentas de criação de vídeos totalmente controladas, com qualidade de estúdio de edição. Em abril de 2016 a companhia criou uma parceria com o YouTube e com outros canais multimídias, o que permite aos seus usuários o acesso a plataforma através do canal. Existem versões pagas e gratuitas, sendo óbvio que as versões pagas disponibilizaram mais recursos para o seu trabalho.

  23. FluxVFX é outra plataforma que transforma suas fotos e vídeos em animações profissionais. Ideal para iniciantes, pois tem a possibilidade de instruções durante toda a realização do trabalho. Você também pode contar com um e-mail do suporte da plataforma a qualquer momento, no caso de dúvidas. Você tem a possibilidade de descarregar seu vídeo em qualquer lugar da Internet que desejar. A linguagem utilizada nesta plataforma é universal, portanto é acessível em qualquer lugar do mundo. Há versões pagas e gratuitas, é só você escolher o que se adéqua melhor às suas necessidades.

  24. Desygner é uma ferramenta que lhe ajudará a criar conteúdo bonito e rapidamente para suas redes sociais, de graça. São mais de 5 milhões de pessoas ao redor do mundo que utilizam esta ferramenta não só para a criação de conteúdo para as redes sociais, mas como também para a criação de anúncios, apresentações, cartões, folhetos, entre outros conteúdos. Você pode alterar os milhares de templates, a qualquer momento. Todos os recursos são totalmente livres de royalties. O melhor de tudo é que você não precisa de muitos aplicativos funcionando simultaneamente para trabalhar, apenas com a plataforma você tem todos os recursos que necessita para criar seu conteúdo de Marketing.

  25. Recite this: em bom português a expressão utilizada para dar nome à plataforma, significa, cite isto. A plataforma tem inúmeras opções para customizar a sua frase favorita, para muito além das fontes e cores existentes no Word ou em qualquer outro aplicativo. É uma plataforma simples, mas pode lhe ajudar a criar um banner, flyer ou qualquer outro material que não precisa de muitas informações ou ainda que não tenha muito espaço para muito elementos.

  26. Pablo.buffer: é mais uma plataforma que lhe permite criar conteúdo com templates em que você mesmo pode manipular a imagem, modificando o tamanho, inserindo textos, modificando o filtro, modificando a Logo ou criando uma Logo, com o auxílio do Canvas.

  27. Flimbo: a plataforma foi lançada para auxiliar profissionais do Marketing a criarem artes para redes sociais. Embora não substitua uma equipe especializada, é um primeiro passo para pessoas que não tenham conhecimento sobre o assunto ou recursos para contratarem um profissional da área de design gráfico. As criações com a ajuda Flimbo podem ser feitas sem nenhum tipo de cadastro, é possível ter acesso à plataforma pelo Login do seu Facebook. Além de usar os modelos pré-configurados, você pode modificar estes graças ao editor online, usando os diversos ícones e imagens disponibilizados gratuitamente oferecidos pelos criadores, o usuário cria conteúdos mais atrativos e assim conseguir uma maior reação do público e profissionalizar seus trabalhos.

  28. Buffer: este site tem não apenas ferramentas para criação de conteúdos mais criativos para você compartilhar nas redes sociais, e a ferramenta ainda cria planos e cronogramas para que seus conteúdos sejam mais visualizadas nas redes sociais e para que se convertam em curtidas, você ainda pode fazer um acompanhamento detalhado do engajamento dos usuários na sua campanha de Marketing nas redes sociais. Há ainda a possibilidade de tirar dúvidas ao vivo com consultores de Marketing digital ao vivo, através de uma live ao menos uma vez por mês. No site há o estudo de casos, em que você pode comparar seus resultados com os resultados dos demais usuários do site. O melhor de tudo, você ainda tem inúmeras dicas sobre a cultura dos blogs, o que pode lhe beneficiar ou quais textos podem ser prejudiciais para a sua campanha. O site também cuida da contabilidade do seu empreendimento e uma infinidade de outras ferramentas para as necessidades dos mais diversos perfis.

  29. Instamizer (Postgrain): Postgrain é a nova versão do Instamizer, que por sua vez funciona como uma poderosa ferramenta para gerenciar o seu perfil do Instagram. Quem tem o perfil do Instagram muito movimentado ou com posts diversos precisa sempre organizar as idéias e horários para as melhores fotos. O Postgrain permite o agendamento de posts para o Instagram, com a possibilidade também de compartilhar automaticamente em outras redes sociais como Facebook e Twitter. Os planos são um dos mais baratos do mercado.

  30. Hootsuite: é um sistema de gerenciamento de gerenciamento de redes sociais fundado em 2008. Foi a primeira plataforma criada para gerenciar várias redes sociais e contas de e-mails de uma só vez. O aplicativo também que você poste suas mensagens minutos ou horas depois para todas as suas redes sociais, ou seja, um agendamento. Faz também o check-in dos lugares onde você esteve. Também é possível compartilhar arquivos, mídias como imagens ou vídeos, salvar links, buscar trend topics e visualizar os históricos das mensagens.

MARKETING DE ATRAÇÃO E SEUS ESTÁGIOS

Quando o conceito de Inbound Marketing decolou nos EUA, conceito este que consiste; em um conjunto de estratégias de marketing que visa atrair e converter clientes, usando conteúdo relevante. Ao contrário do Marketing tradicional, no Inbound Marketing a empresa não sai à caça de novos clientes, mas explora mecanismos de busca, blogs e redes sociais. Se popularizou no ano de 2009, após o lançamento do livro: “Inbound Marketing: seja encontrado usando o Google, as mídias sociais e os blogs”. Em tradução livro, Inbound Marketing, quer dizer exatamente; Marketing de atração. A diferença do marketing tradicional; Outbound Marketing; é que no Inbound Marketing, é o cliente que procura o produto ou o serviço.

Há 5 etapas ou estágios dentro do Inbound Marketing. Cada uma possui uma importância crucial para o desenvolvimento e para fazer com que o objetivo seja cumprido: atrair, converter, relacionar, vender e analisar.Na fase de Atrair, que é muito parecida com a estratégia utilizada com os contatos frios. Há de se levar em conta que o cliente desconhece seus produtos, empresa ou serviços. Estão procurando soluções para os seus problemas. É importante ressaltar que o conteúdo terá de transmitir confiança e afeição do público, para mostrar os passos que irão resolver seu problema, sem citar seus produtos e serviços de imediato. Não é interessante fazer uma propaganda imediatista do seu serviço ou produto, neste momento o importante é mostrar o valor agregado e despertar o interesse e a curiosidade do cliente para seu serviço ou produtos e fazer com que isso se torne um possível contato comercial.

Na fase de Converter, devemos utilizar a etimologia da palavra, e transformar o cliente de um desconhecido de sua marca ou produto a um consumidor fiel. Isso só é possível, graças a informações que você irá obter, através de diálogo e posteriormente iniciar um relacionamento com o usuário. Neste momento entram mais estratégias do Inbound Marketing em ação, como o Call to Action, entre outras ações que permitem o preenchimento de um formulário, para transformar o usuário da rede social em um lead, e um possível cliente. Para isso, é preciso estudar os hábitos do seu público-alvo. Ao conhecer perfeitamente sua área de atuação, suas campanhas serão cada vez mais assertivas e lucrativas. Fazendo com que os usuários sejam influenciados a tomar alguma atitude.Precisamos relacionar o seu produto ou serviço com a necessidade e com as características pessoais do cliente. Nos contatos frios, que são a grande maioria, apenas 3% deles, tem real intenção de compra. É preciso filtrar as informações fornecidas pelo nosso Lead, e driblar as dificuldades que o nosso cliente em potencial estiver tendo para a aquisição de nossa marca, produto ou serviço. Com esta estratégia também é possível acelerar futuras vendas, ou seja, cada cliente é único; porém; outros clientes que apresentarem dificuldades similares, serão oferecidas as mesmas facilidades já utilizadas anteriormente.

As necessidades e as oportunidades do seu cliente foram identificadas, agora é o momento de realizar a venda. Faça uma breve retrospectiva dos diálogos e analise os pontos fortes e fracos do processo de venda. Esta análise será utilizada para a futura criação das campanhas publicitárias, que tem como objetivo impactar o maior número possível de indivíduos com as mesmas características daqueles a quem foram realizadas as vendas anteriores.O Marketing Digital nos dá a possibilidade de análise em tempo real, como já foi colocado anteriormente. Nas mídias sociais há a oportunidade de mudar a estratégia a qualquer momento, caso os resultados não forem positivos ou ainda, quando a procura ou contatos fiquem abaixo da média. Após o término desta análise, o conteúdo a ser recriado com todas as técnicas e levando em conta, também a experiência do cliente, será agora um conteúdo inteligente, de maneira a seduzir e encantar seu cliente.

Contatos quente e frio, como identificá-los e quais estratégias utilizar em cada caso.

Após trabalhar com as ferramentas e captar os Leads gerados por estas ferramentas é preciso classificar estes Leads, mais uma vez é importante frisar este trabalho meticuloso para que você não tenha perda de recursos como tempo e dinheiro. Existe uma linguagem específica quanto à qualificação dos clientes que demonstram interesse, em sua campanha ou anúncios. Podemos dizer que existem contatos quente, morno ou frio.

Contatos frio: são os clientes que tem uma necessidade e vão até a Internet e fazem uma busca por produtos ou serviços que possam solucionar seu problema. Esses clientes, não conhecem sua marca, não conhecem seu produto ou serviço, estes terão de serem impactados pela campanha, para que ao menos venham a visitar ou conhecer melhor o seu trabalho.

Contatos mornos: geralmente esta categoria não é apresentada; porém, estes são os clientes que por muita das vezes, acabam por escorrer entre os dedos. Estes, podem ser os clientes que conhecem sua marca, produto ou serviço, porém algo o está impedindo de decidir pela compra, e isto pode envolver vários fatores: preço, distância, falta de oportunidade de um teste ou degustação, entre outros.

Contatos quentes: estes são aqueles contatos que conhecem a sua marca, produto ou serviço e até já fizeram uso destes, uma ou mais vezes. Você já os tem na sua lista de contatos e mantém um relacionamento duradouro com estas pessoas. No processo de decisão de compra estas pessoas já identificaram sua necessidade, e já pesquisaram preços e condições e já estão com o cartão de crédito na mão.

Os contatos frios são os que tem de ser trabalhados desde a concepção do seu projeto, a escolha do produto, do fornecedor, da necessidade com a qual você vai trabalhar. Campanhas que tem alguma imagem ou vídeo de como o produto funciona, ou a descrição das suas vantagens são as campanhas que terão mais engajamento. O cliente tem uma necessidade e você precisa fazer com que o cliente faça do seu produto ou serviço a única solução. Neste caso, não convém colocar um valor ao seu produto ou serviço, o cliente tem que entender que no valor está agregado as vantagens que ele irá obter com a aquisição do seu produto ou serviço.

É interessante que estes contatos frios sejam apresentados de maneira clara e sucinta; campanhas com textos muito longos ou com termos muito técnicos; não obterão resultados favoráveis; ao seu produto ou ao seu serviço. Os contatos frios, precisam ser tratados como únicos e importantes. Quanto ao valor, é bom que o cliente saiba tudo o que pode receber com o investimento que irá realizar. É preciso transmitir confiança ao cliente, e para isto nada melhor do que estudar; estudar e muito; o produto ou o serviço, é preciso ter conhecimento sobre composições, materiais, sobre o fabricante, como está o produto no mercado em geral, é preciso ter dados sobre a concorrência, ou seja, toda e qualquer informação que possa impactar o seu contato e o faça adquirir seu produto ou serviço.

Os contatos mornos são aqueles que já tem todo o conhecimento, sabem como usar o produto ou o serviço, sabem de sua marca, porém, não sabem onde e com quem o encontrar, não disponibilizam de tempo ou até dinheiro para adquirir o produto ou serviço, a distância para aquisição podem pesar, se for o caso, faça entrega em locais e horários flexíveis. Seguindo alguns pequenos passo, praticamente todos os contatos mornos se tornarão contatos quentes.Seu produto ou serviço já é conhecido, já tem uma cartela razoável de clientes, que consomem freqüentemente seus produtos ou serviços. Por favor, anote dados importantíssimos, que farão você conquistar a confiança dos clientes como se fosse alguém da família, ou até como um amigo. Fidelize este cliente, tenha; sem invadir a privacidade de ninguém; o maior número de informações possíveis sobre este cliente.

Além de vantagens; como descontos, promoções; os clientes gostam, e é essencial, como regra de bom atendimento, de serem tratados como únicos. Lembre do que ele mais gosta dos seus produtos ou serviços, e, o informe quando isto estiver na promoção ou desconto. Qualquer novidade deve ser anunciada aos clientes fiéis. Faça pequenos afagos aos sentimentos do seu contato; sem exageros e de maneira ética; como, mandar os parabéns pelo aniversário, ou algum outro evento; pergunte como tem sido a vida dele. Enfim, faça-o sentir que não é apenas mais um número.

Ou seja, muitas das vezes o preço de algum estabelecimento não é tão atraente, porém o atendimento é incomparável. O portal G1, um dos maiores portais de noticiais do país, nos colocou em 2014, que 61% dos clientes no Brasil preferem bom atendimento, a valor e qualidade, dos produtos ou serviços. Mesmo que seu produto ou serviço não for melhor que o da concorrência, ou ainda não for possível diminuir o valor, com um bom atendimento e um pós-venda bem elaborado, é possível adquirir uma cartela de clientes fiéis em um curo prazo de tempo e aumentar seu retorno.

Para o caso do contato frio lhe indagar algo que não tenha ficado claro a ele, responda de maneira clara e objetiva. Ele está estudando, observando possibilidades, não é o momento de se estender. Porém não deixe que este contato se perca, marque um compromisso, defina uma data para a resposta ou até uma demonstração; já que o contato frio não conhece seu produto ou serviço; o prazo não pode ser muito longo, pois o cliente pode acabar por se esquecer do seu produto ou ainda optar pela concorrência.No caso dos contatos mornos, o convença quanto ao custo benefício; que provavelmente ele já conhece, demonstre que a sua opção é superior a da concorrência, ofereça entrega gratuita, descontos, promoções.

No caso dos contatos quentes, que já conhecem e confiam em seus produtos e serviços, ofereça sempre todas as novidades e vantagens. Saiba identificar novas necessidades no seu cliente com diálogos triviais. Tenha em mente, que este cliente pode gerar inúmeros outros contatos e assim por diante. Este é um dos principais objetivos do marketing de rede. O Marketing de rede tem como objetivo formar um elo de distribuidores e consumidores, e não há atualmente, ambiente mais propício para a implantação de projetos do gênero, haja vista que o alcance das campanhas é potencializado se forem colocadas em prática de maneira eficiente as estratégias do Marketing Digital.

Marketing digital para marketing de rede. Funciona ou não?

O marketing de rede ou marketing multinível surgiu por volta de 1940, e consistia em comissões a partir de certos níveis, e nunca pode ser confundido ou comparado com o sistema de pirâmide; sistema criminoso e ilegal em que apenas a fundador do esquema obtém vantagem , lesando os demais participantes.Portanto o Marketing de rede, tem por objetivo negociar produto ou serviços e não apenas movimentar dinheiro, como ocorre no esquema de pirâmide. Apenas em 1970, no fim da primeira onda do Marketing de Rede, que a Comissão Federal de Comércio legaliza o Markting de rede nos EUA.

A partir da década de 1980, se inicia a segunda onda do Marketing de rede, em que a troca de produtos e serviços se dão em garagens e fundo de quintais. Esta experiência acaba frustrando muitos participantes, pois estes acumulavam muitas funções e tinham que ter muito estoque. Os efeitos foram negativos, pois o lucro demorava a aparecer.Na terceira onda, em 1990, temos uma especialização na administração deste tipo de negócio, os distribuidores deixaram de precisar de investir tanto tempo e dinheiro que muitas das vezes, não dispunham. Na próxima fase, grandes corporações passam a aderir ao Marketing de rede, devido à credibilidade que os projetos passam a transmitir.

E eis que chegamos na fase atual em que se encontra o Marketing de Rede, hoje conhecida como Marketing Network, ou seja, compreende-se que a Internet é uma rede que liga inúmeras pessoas e que agrega inovações úteis ao compartilhamento de idéias, e é aqui que nos encaixamos.O Marketing de rede em geral, tem por objetivo expandir suas vendas, de modo diferente daqueles já utilizados, como por exemplo, varejo, venda direta, venda por catálogo. O crescimento da base de clientes depende do número de contatos que o distribuidor possui. É recomendado a estes, que indiquem pessoas interessadas para trabalharem no mesmo cargo.

Àqueles que indicam novos revendedores ou distribuidores é pego uma recompensa. Se os indicados também recomendarem novos indicados , assim se inicia o processo de formação de rede de revendedores. Cada um assume uma postura profissional de acordo com as suas possibilidades.Esta apresentação do Marketing de rede foi necessária para que possamos compreender como as estratégias do Marketing Digital se aplicam a esta modalidade do Marketing. Campanhas bem elaboradas, podem atrair inúmeras pessoas interessadas em seu projeto.

Nas redes sociais, temos uma gama inimaginável de alcance devido à engenharia da comunicação. Portanto, tendo isto em mente, podemos trabalhar estratégias, para além de reter a atenção e curiosidade dos clientes e fazermos destes, novos distribuidores.O Marketing Digital para o Marketing de rede pode funcionar, porém se as estratégias do Marketing digital forem colocadas em prática de maneira eficiente, observando todas as características já citadas no capítulo anterior. Qualquer campanha de vendas ou marketing que NÃO forem realizadas de maneira calculada, com estratégias bem definidas e com metas sólidas, estão fadadas ao fracasso e terão de contar com a sorte para obterem algum resultado.

Referencias bibliográficas

CORREA, F.S. Um estudo qualitativo sobre as representações utilizadas por professores e alunos para significar o uso da Internet. Tese (Mestrado em Psicologia) – Departamento de psicologia – Universidade de São Paulo – USP. Ribeirão Preto – SP. 2013

SANTOS, Tatiani. et. al. O desenvolvimento do marketing: uma perspectiva histórica. 2009. 14p. – Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2009. [Orientador: Acyr Seleme].

MIRANDA, C.M.C. e ARRUDA, D.M.O. A evolução do Pensamento de Marketing: uma análise do corpo doutrinatário acumulado no século XX.




Compartilhe com seus amigos:
  1   2   3


©historiapt.info 2019
enviar mensagem

    Página principal