Luana lais schwantes museu da cerveja



Baixar 10.72 Mb.
Página8/41
Encontro17.03.2020
Tamanho10.72 Mb.
1   ...   4   5   6   7   8   9   10   11   ...   41
Definição



Imagem 1.1: Copos de cerveja

Fonte: http://laboratorioghanem.blogspot.com/2010/12/estudo-diz-que-um-copo-de-cerveja-por.html

Todos nós sabemos o que é cerveja. Será? Se você encontrasse alguém que nunca tivesse provado ou mesmo ouvido falar da bebida, como a conceituaria? Certamente pensaria em várias formas de defini-la, como por exemplo, uma bebida de cor amarela; ou talvez como um líquido que mata a sede, uma bebida que contém espuma, um produto alcoólico, uma bebida amarga... Mas, tecnicamente, qual é a definição que cabe aos mais variados tipos?

De acordo com Seidl (2003), “a cerveja é uma bebida de teor levemente alcoólico, sendo o álcool obtido pela fermentação do amido sacrificado.” (SEIDL, 2003, pág. 22)



      1. Origem

Embora não existam registros que narrem o surgimento da cerveja, sabe-se que ela faz parte da cultura humana há milhares de anos. “Acredita-se que os povos primitivos já a consumiam há cerca de 10 milênios, na Mesopotâmia, pois se trata de uma bebida fermentada a partir dos cereais que eram a base da alimentação dos povos que ali habitavam.” (SACHS, 2001, pág. 2).

Placas de argila datadas de 4 milênios, da Mesopotâmia, referem à arte cervejeira como sendo uma atividade exercida pelas mulheres. Outras placas de argila datadas de 6 milênios, também da Mesopotâmia, relatam uma grande festa dos sumérios regada à cerveja.

A produção de cerveja pelos sumérios era muito rudimentar, feita a partir de grãos moídos e transformados em pão, que posteriormente eram umedecidos e deixados ao sol para fermentar. Tal a importância da cerveja a esta civilização, que era esta usada na medicina e até como moeda nas transações comerciais.

A cerveja também teve grande importância nas civilizações assíria e babilônica, sendo que os assírios tinham legislação a respeito no código Hamurabi, regulamentando a fabricação e comercialização do produto.

No Egito a cerveja já era consumida a cerca de 5 milênios, e sua fabricação ficava por conta das sacerdotisas dos templos de seus deuses. Zythos era a denominação dada à cerveja pelos egípcios, que além do uso como bebida, e nos rituais religiosos, também tinha grande aplicação na medicina, entrando na formulação de mais de 100 medicamentos.

A cidade de Peluse, localizada no delta do Nilo, ficou famosa pela produção de diversos tipos de cerveja: claras; escuras; fortes; leves; adocicadas; com adição de mel; frutas; ervas aromáticas; e pelo esmero na fabricação. Ainda hoje se fabrica uma cerveja rústica no Egito, sob o nome de Bouza, feita a partir de massa de cereais fermentada e cozida, que posteriormente é desmanchada em água e posta a fermentar novamente.

Os chineses também já preparavam bebidas fermentadas de cereais desde épocas remotas, sendo que a Samshu já era produzida a cerca de 4300 anos, fermentada a partir de arroz. Também a Kin remonta a esta mesma época.

Na América, os incas já produziam bebidas fermentadas de milho, muito antes do descobrimento, um exemplo é a Chicha, Chica ou Chicara, produzida até hoje no Peru e Bolívia.

Podemos mencionar ainda outras bebidas do grupo das cervejas como o pombe, produzido a partir do sorgo, pelos nativos africanos; a soma, a haoma, o kanji e o pchwai, produzidos pelos antigos hindus e persas; a karva, por nativos de ilhas do pacífico; Oo, da Tailândia; binuburam, das Filipinas; torani, das Índias; rakshi, do Nepal; kuva, dos nativos Platinos da América do Sul; kwass, da Rússia: bosa, da Macedônia; kalja, da Finlândia; braga, da Romênia, além de inúmeras outras.

A origem das denominações atuais da cerveja vem da antigüidade. Plínio menciona o uso da cerveja na península Ibérica com o nome de célia e céria e na Gália, com o nome de cerevisia ou cervisia. Provavelmente derivados do nome da deusa Ceres.

Muito antes disto, Platão, na antiga Grécia, a denominava de cerialis liquor.

Archiloco menciona a bryton, produzida com cevada, pelos frígios e pelos trácios (búlgaros). Os ilíricos e os panônios a chamavam de sabaja ou sabajum.

O nome cerveja (português), cerveza ou cervesa (castelhano), giarvusa (retorromânico), cervoise (francês arcaico), derivam das palavras cerevisia ou cervisia do latim.

Já o nome birra (italiano), bière (francês), beer (inglês), bier (alemão) e pivo (povos eslavos), derivam dos termos peor, bior e pier do alemão arcaico, que por sua vez deriva dos termos biber ou biberis do latim.

Outros antigos termos alemães (alu, alo, e ealo) ainda são conservados no inglês (ale). (SACHS, 2001, pág. 2-3).





    1. A CERVEJA NO RIO GRANDE DO SUL






      1. Compartilhe com seus amigos:
1   ...   4   5   6   7   8   9   10   11   ...   41


©historiapt.info 2019
enviar mensagem

    Página principal