Luana lais schwantes museu da cerveja



Baixar 10.72 Mb.
Página30/41
Encontro17.03.2020
Tamanho10.72 Mb.
1   ...   26   27   28   29   30   31   32   33   ...   41
MATERIAIS E TECNOLOGIAS



    1. ESTRUTURA E VEDAÇÃO: PAREDES DE CONCRETO

De acordo com Misurelli e Massuda, as paredes de concreto são ao mesmo tempo vedação e estrutura nas edificações em que são empregadas. Nesse sistema construtivo, as paredes costumam ser moldadas “in loco”, em uma única etapa de concretagem. Ao montar as fôrmas, é necessário que o profissional já preveja a colocação das tubulações elétricas e hidráulicas, elementos de fixação, caixilhos de esquadrias, etc.



O sistema exige um projeto bastante detalhado e muito cuidado ao dispor as formas. Quanto mais precisas a sua colocação e concretagem, menor o tempo e material gastos com acabamento, tornando-se este dispensável em muitos casos, já que os sinais oriundos da junção entre painéis e as eventuais falhas decorrentes da infiltração de ar, bem como provocadas pela heterogeneidade da granulometria da areia e impurezas presentes podem ser aproveitadas como recurso estético.

Imagem 8.1: Paredes de concreto empregadas no Imagem 8.2: Parede de concreto no

Museu do Pão, em Ilópolis Palácio Itamaraty, em Brasília

Fonte: Autora, 2008 Fonte: Autora, 2010


Há quatro tipos de concreto que são recomendados para esta finalidade: concreto celular, concreto com elevado teor de ar incorporado – até 9%, concreto com agregados leves ou com baixa massa específica e concreto convencional ou concreto autoadensável. Ambos exigem a inserção de tela soldada no eixo vertical da parede. Para as bordas, vãos de portas e janelas, devem ser previstos reforços de tela ou colocação de barras de armadura convencional.



    1. COBERTURA: TELHADO VERDE

O telhado verde é uma das alternativas que vem sendo incorporada às edificações. Ainda que o método já seja conhecido há milhares de anos, nas décadas de 1980 e 1990 começou a ser utilizado com maior freqüência. Entre as inúmeras vantagens, podemos destacar o conforto térmico e a retenção das águas pluviais, retardando o escoamento e minimizando problemas.



Além de sustentável, o sistema pode ser um grande aliado para o projeto. A cobertura verde pode se caracterizar como um elemento de visitação, um grande jardim... No Museu da Cerveja, ela poderia muito bem dar espaço para uma plantação de cevada...

Imagem 8.3: Plantação de trigo na cobertura da Escola de Confeiteiros, em Ilópolis

Fonte: Autora, 2008


    1. ANASTILOSE

Estando uma das edificações existentes na área de intervenção em processo de arruinamento, torna-se necessário restaurá-la. Nesse processo, admite-se apenas a anastilose, isto é, a “recomposição de partes existentes, mas desmembradas. Os elementos de integração deverão ser sempre reconhecíveis e reduzir-se ao mínimo necessário para assegurar as condições de conservação do monumento e restabelecer a continuidade de suas formas.” (Carta de Veneza, 1964, pág. 4).


Imagem 8.4: Restauração utilizando a anastilose e evidenciando as intervenções modernas

Fonte: Apostila da disciplina de THAUVI, 2010





  1. Compartilhe com seus amigos:
1   ...   26   27   28   29   30   31   32   33   ...   41


©historiapt.info 2019
enviar mensagem

    Página principal