Livro didático novas palavras: uma análise das concepçÕes de aprendizagem 1


A CONCEPÇÃO SOCIOCULTURAL DE APRENDIZAGEM



Baixar 465.92 Kb.
Pdf preview
Página5/13
Encontro18.11.2022
Tamanho465.92 Kb.
#26035
1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   13
34145-128347-1-PB (2)
A CONCEPÇÃO SOCIOCULTURAL DE APRENDIZAGEM
A perspecti va sociocultural, concebida por Lev Semenovick 
Vygotsky (1896-1934), trouxe para a área da Psicologia e
consequentemente, para a área da Linguísti ca e da Educação, 
uma nova visão sobre o desenvolvimento da linguagem e 
a construção do conhecimento nos indivíduos. Essa nova 
visão buscou se afastar de concepções anteriores sobre o 
desenvolvimento da mente humana, como as concepções 
behaviorista e cogniti vista do desenvolvimento.
Essa concepção
postula que as mentes das crianças 
desenvolvem-se como resultado de 


Caderno Seminal Digital, nº 31, v. 31 (JUL-DEZ/2018) – e-ISSN 1806-9142
123
DOI: htt p://dx.doi.org/10.12957/cadsem.2018.34145
interações constantes com o mundo social – 
o mundo das pessoas que fazem coisas com 
e para o outro, que aprendem uns com os 
outros e usam as experiências de gerações 
anteriores para enfrentar com sucesso as 
exigências da vida no presente. (STETSENKO; 
ARIEVITCH, 2013, p.4)
Dessa maneira, é através das relações com o meio social 
que se dará o processo de aprendizagem. Nessa abordagem, 
o papel do professor é de grande importância, no senti do 
de
que a aquisição do conhecimento não pode ser separada 
de um processo coleti vo de elaboração de senti dos. A 
construção de signifi cações por parte do aluno se dá de 
forma socialmente comparti lhada, entre bases culturais 
comuns (LEGENDRE, 2010).
Vygotsky ti nha como interesse compreender a gênese da 
cultura e, dessa maneira, compreender as funções psíquicas 
superiores próprias aos humanos (LEGENDRE, 2010). Nesse 
senti do, Vygotsky situa a origem da consciência no mundo 
social, de forma que
pensamento e consciência não consti tuem 
característi cas puramente internas, pois são 
elaborados a parti r de ati vidades externas 
e objeti vas, realizando-se em um ambiente 
social determinado. Eles procedem da 
ati vidade humana, que representa para 
Vygotsky o princípio explicati vo fundamental. 
A noção de ati vidade, considerada como 


Caderno Seminal Digital, nº 31, v. 31 (JUL-DEZ/2018) – e-ISSN 1806-9142
124
DOI: htt p://dx.doi.org/10.12957/cadsem.2018.34145
a unidade de análise da psicologia, integra 
as dimensões ao mesmo tempo social 
e individual, interati va e cogniti va, das 
condutas. (LEGENDRE, 2010, p.451)
Desse modo, a ati vidade não é apenas uma adaptação ao 
meio, e sim uma transformação do meio pelo ser humano, 
o que faz com que ele transforme a si mesmo. A ati vidade 
se cumpre pela mediação de instrumentos, surgindo, assim, 
a concepção de instrumento-e-resultado de Vygotsky, que 
considera que nem todas as necessidades do ser humano 
podem ser realizadas através do uso de instrumentos que 
já existem na sociedade: “frequentemente, precisamos criar 
um instrumento que é especifi camente projetado para criar 
o que afi nal desejamos produzir” (NEWMAN; HOLZMAN, 
1993, p.51).
Essa constatação representa a necessidade de se criarem 
ferramentas para auxiliar o processo de aprendizagem 
do aluno que sejam apropriadas à situação específi ca. Os 
instrumentos da “loja de ferramentas”, prontos para o uso 
coleti vo da sociedade, nem sempre são efi cientes para 
determinados propósitos; é necessário o uso de “ferramentas 
do ferramenteiro” em muitos momentos, aquelas que 
são criadas exclusivamente para ati ngir um determinado 
objeti vo. 


Caderno Seminal Digital, nº 31, v. 31 (JUL-DEZ/2018) – e-ISSN 1806-9142
125
DOI: htt p://dx.doi.org/10.12957/cadsem.2018.34145
A ideia de Vygotsky sobre o instrumento do ferramenteiro 
considera que este é “criado com o fi m de ajudar a criar um 
produto específi co, ele não tem qualquer identi dade social 
pré-fabricada independente dessa ati vidade” (NEWMAN; 
HOLZMAN, 1993, p.52). Assim, os alunos realizam o 
processo de aprendizagem em um meio social através de 
ferramentas adequadas ao seu contexto e apropriadas às 
suas necessidades no momento.
Na abordagem sociocultural, considera-se que todo 
o conhecimento é situado, não podendo dissociar-se da 
cultura em que está inserido, nem das ferramentas a que ele 
recorre.
Nessa perspecti va, a aprendizagem caminha 
ao lado da imersão da pessoa na cultura e 
não poderia, consequentemente, consti tuir 
uma trajetória puramente individual. Isso 
não minimiza o papel do discente, pois, 
para elaborar uma compreensão comum, 
é preciso compreender ao mesmo tempo 
o seu próprio pensamento e o pensamento 
dos outros, é preciso conseguir tomar como 
objeto de refl exão o próprio conteúdo do 
seu pensamento (LEGENDRE, 2010, p.462)
As interações sociais possuem papel de grande importância 
no processo de aprendizagem. Além disso, o professor 
exerce grande infl uência nesse processo, no senti do de que 
deve ser capaz de disponibilizar ferramentas adequadas para 


Caderno Seminal Digital, nº 31, v. 31 (JUL-DEZ/2018) – e-ISSN 1806-9142
126
DOI: htt p://dx.doi.org/10.12957/cadsem.2018.34145
o contexto de ensino. Na elaboração dos saberes, o papel do 
discente possui importância pelo fato de que é necessário 
realizar uma refl exão do que está sendo proposto para que 
seja capaz de construir o conhecimento.
Em contraponto com as perspecti vas anteriores, a 
sociocultural, como o próprio nome evidencia, busca 
evidenciar o papel das interações com o meio social para 
a construção do processo de aprendizagem (LEGENDRE, 
2010). A perspecti va sociocultural considera que o indivíduo 
não pode ser abstraído do seu contexto histórico e cultural, 
pois ele transforma o contexto no qual está inserido e é 
transformado por este.

Baixar 465.92 Kb.

Compartilhe com seus amigos:
1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   13




©historiapt.info 2022
enviar mensagem

    Página principal