Jangada de pedra Olga Pombo Lisboa, fcul, 16 Maio, 2013


Antero de Quental (1871) Causas da decadência dos povos peninsulares, Lisboa: Ulmeiro, pp. 30, 45 e 60



Baixar 28.1 Kb.
Página11/11
Encontro17.03.2020
Tamanho28.1 Kb.
1   2   3   4   5   6   7   8   9   10   11

Antero de Quental (1871)

Causas da decadência dos povos peninsulares, Lisboa: Ulmeiro, pp. 30, 45 e 60.

episódios felizes

  • Fim da escravatura (1761)
  • Independência do Brasil (1825)
  • Implantação da República (1910)

Portugal foi

o primeiro país a abolir a escravatura (1761)


Portugal pioneiro do abolicionismo

O Marques de Pombal aboliu a escravatura em Portugal e na Índia por decreto de 12 de Fevereiro de 1761. Mais tarde, no reinado de D. Luis, foi proclamada a abolição da escravatura em todo o território português.

“Todos os indivíduos dos dois sexos, sem excepção alguma, que no mencionado dia se acharem na condição de escravos, passarão à de libertos e gozarão de todos os direitos e ficarão sujeitos a todos o deveres concedidos e impostos aos libertos pelo decreto de 19 de Dezembro de 1854.“



Portugal foi também pioneiro do comércio de escravos



independência do Brasil

a família real portuguesa no Brasil


nas margens do Ipiranga, o príncipe regente proclama a independência do Brasil: “independência ou morte!”

implantação da República (1910)

“o patriotismo fora a sua arma ideológica antes do triunfo, seria a sua justificação permanente apos 1910

(…)


uma Pátria, aquela mesma que em música e palavras se definira na Portuguesa, como ‘herois do mar, nobre povo, nação valente’”

Eduardo Lourenço, Labirinto da Saudade, Lisboa: D. Quixote, 1978,

p. 28

o estado novo

censura

presos políticos

tortura


imigração massiva

guerra colonial


Grândola vila morena

Grândola, vila morena Terra da fraternidade O povo é quem mais ordena Dentro de ti, ó cidade

Dentro de ti, ó cidade O povo é quem mais ordena Terra da fraternidade Grândola, vila morena

Em cada esquina, um amigo Em cada rosto, igualdade Grândola, vila morena Terra da fraternidade

Terra da fraternidade Grândola, vila morena Em cada rosto, igualdade O povo é quem mais ordena

À sombra duma azinheira Que já não sabia a idade Jurei ter por companheira Grândola, a tua vontade

Grândola a tua vontade Jurei ter por companheira À sombra duma azinheira Que já não sabia a idade


mas, que revolução é esta ????

prec

poder popular

reforma agrária

tractores oferecidos às cooperativas alentejanas pela solidariedade

internacional. Com o fim da reforma agraria, foram entregues aos

proprietários juntamente com as terras que haviam sido expropriadas.

Sonho que sou a poetisa eleita, Aquela que diz tudo e tudo sabe, Que tem a inspiração pura e perfeita, Que reúne num verso a imensidade! Sonho que um verso meu tem claridade Para encher todo o mundo!  E que deleita Mesmo aqueles que morrem de saudade! Mesmo os de alma profunda e insatisfeita! Sonho que sou Alguém cá neste mundo... Aquela de saber vasto e profundo, Aos pés de quem a Terra anda curvada! E quando mais no céu eu vou sonhando, E quando mais no alto ando voando, Acordo do meu sonho... E não sou nada!...



Vaidade, Livro de Mágoas (1919) Florbela Espanca

a terra – essa – ainda lá está. Limpa e pura

entre a perda irreparável e a abertura ao impossível

Compartilhe com seus amigos:
1   2   3   4   5   6   7   8   9   10   11


©historiapt.info 2019
enviar mensagem

    Página principal