Introdução Projeto Quilombo das Artes: arte da cidadania 9



Baixar 96.47 Kb.
Página1/9
Encontro16.06.2020
Tamanho96.47 Kb.
  1   2   3   4   5   6   7   8   9

Sumário




1.Introdução 6

2.Projeto Quilombo das Artes: arte da cidadania 9

2.2 - Seguindo a caminhada 17

2.3 - Passos que permanecem em processo 19

5. Considerações Finais 30

REFERÊNCIAS 32

ANEXOS 33


  1. Introdução

O diálogo é uma prática que aos poucos vem se dissolvendo. Se pararmos para observar, podemos perceber a frieza como viemos nos tratando, uns aos outros. Começamos pelo núcleo familiar, onde as conversas de família na hora do almoço, do jantar ou dos fins de semana dão lugar a refeições em frente a televisão, ao celular ou ao computador. Até mesmo os encontros entre amigos são substituídos por conversas virtuais, sem o contato físico e sem diálogo (olho no olho).

Partindo dessa observação pessoal e da minha experiência com o teatro dentro de um projeto de extensão da universidade, esse trabalho de conclusão se propõe a refletir sobre importância do diálogo e da escuta nas ações educativas de formação humana desenvolvidas em comunidades carentes.

O teatro é, fundamentalmente, uma experiência de arte coletiva, através da qual os participantes são estimulados a criar, a propor, a interagir, a escutar e, sobretudo a tomar decisões conjuntas onde o diálogo é um âmbito relacional imprescindível.

No projeto de extensão no qual atuei, a prática teatral segue dois caminhos complementares: primeiramente como expressão de arte autônoma e livre, buscando a percepção estética e a capacidade de criação e de fruição; em segundo lugar, como ferramenta pedagógica, buscando o autoconhecimento, prática comunitária, a consciência política e de cidadania.

É preciso ressaltar que o Quilombo das Artes tem suas ações desenvolvidas no Navegantes, bairro de muita pobreza e violência da cidade de Pelotas. O projeto conta com dois parceiros: O Centro de assistência e de Referência Social São Gonçalo (CRAS) e a Escola Estadual Nossa Senhora dos Navegantes. Como as condições do bairro são de miséria e esquecimento, as sedes de nossos parceiros estão em ruínas.

Neste trabalho de conclusão, reúno minhas reflexões assentadas em minha experiência em terreno com depoimentos de monitores e participantes da comunidade e autores que se debruçam sobre os temas da educação, de teatro e do teatro em comunidade.

Começo este escrito explicando o que é o Quilombo das Artes, o projeto de extensão em que atuei e que é a fonte de observação e reflexão deste trabalho. No segundo capítulo relato a minha experiência em terreno ao longo de dois anos, seus aspectos mais significativos, minhas inseguranças, frustrações e alegrias. No capítulo três faço um pequeno recorte sobre a influência da mídia na vida dos participantes do projeto. Já no capítulo quatro, cruzo minhas reflexões e experiências com a reflexão proposta por alguns autores, acompanhada de depoimentos (entrevistas no anexo) de colegas monitores e de participantes da comunidade, acentuando ao longo deste trabalho a escuta e o diálogo como parte substancial de uma relação educativa.

As considerações finais encerram o corpo do texto sem, contudo, dar fim a esta reflexão.





  1. Compartilhe com seus amigos:
  1   2   3   4   5   6   7   8   9


©historiapt.info 2019
enviar mensagem

    Página principal