Instruções aos Autores de Contribuições para o sibgrapi



Baixar 270.89 Kb.
Página50/50
Encontro17.03.2020
Tamanho270.89 Kb.
1   ...   42   43   44   45   46   47   48   49   50
Qualidade de Software: aprenda as metodologias e técnicas mais modernas para o desenvolvimento de software. 2 ed. São Paulo: Novatec Editora, 2007
AMERICAN NATIONAL STANDARD INSTITUTE. Introduction to ANSI. Estados Unidos 2009.Disponível em:
JOINT TECHNICAL COMISSION ONE. Software and Engineering Subcomission 7. 2008. Disponível em:< http://www.jtc1-sc7.org/>
SPINOLA, Mauro de Mesquita. ISO 9000 para software. Textos acadêmicos Universidade Federal de Lavras. 2ª edição. 2005
CAMFIELD, Claudio Eduardo Ramos. GODOY, Leoni Pentiado. Análise do cenário das certificações da ISO 9000 no Brasil: um estudo de caso em empresas da construção civil em Santa Maria – RS. Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis. 2003
FORTES, Marcel Menezes. Requisitos, documentos e registros mínimos para na NBR ISO 9001:2008. Arquivos de Qualidade da Petrobrás. 2ª revisão. 2009
MACHADO, Cristina F. Definindo Processos do Ciclo de Vida de Software

Usando a Norma NBR ISO/IEC 12207 e Suas Ementas 1 e 2. Lavas: UFLA/FAEPE, 2006.


MATOS,Carlos Alberto Oliveira.O que você tem com ISO?. 2009. Disponível em: http://www.itapeva.unesp.br/docentes/carlos_alberto/qua4.pdf Acesso em: 17 Set. 2009
LIMA,Fabio Uchôa. Introdução ISO 9000:Versão 2000. São Paulo 2001. Acesso em: 17 Set 2009. Disponível em: http://novosolhos.com.br/site/arq_material/7431_8104.ppt
Lloyd's Register Quality Assurance do Brasil. ISO 9000:2000. Disponível em: http://www.lrqa.com.br/certificacao/qualidade/iso9000_2000_02.asp Acesso em: 15 Set. 2009
SIMÕES, Arlete Rosemary. SILVA, César Augusto Villela. SILVA, Carlos Eduardo Sanches. TURRIONI, João Batista. O Impacto da Certificação ISO 9000 na Burocratização das Empresas. XXIII Encontro Nacional de Engenharia de Produção. 2003.
Target Engenharia e Consultoria. Facilitadores de informação. Publicada a nova versão ISO 9000:2005. Disponível em:

http://www.target.com.br/portal/asp/Materia/Materia_dados_1.asp?materia=438 Acesso em: 20 Set. 2009


MARSHALL JUNIOR, Isnard. CIERCO, Agliberto Alves. ROCHA, Alexandre Varanda. MOTA, Edmarson Bacelar. LEUSIM, Sérgio. Gestão da Qualidade 9ª edição São Paulo 2008.
MELLO, Carlos Henrique Pereira. SILVA, Carlos Eduardo Sanches. TURRIONE, João Batista. SOUZA, Luiz Gonzaga Mariano. ISO 9001: 2008: Sistema de Gestão da Qualidade para operações de produção e serviços. 2009
MELLOTI, Darlan Jader. SOUSA, Claudio. SALLES, Waterson. ISO 9000:2008 Passos para implementação e upgrade da norma em sua organização. Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia do Espírito Santo – CREA-ES. 2007. Disponível em: http://www.creaes.org.br/downloads/palestra_BSI_3.pdf Acesso em: 22 de Set. 2009
MARANHÃO, Mauriti. ISO série 9000: manual de implementação

versão 2000. 6. ed. Rio de Janeiro : Qualitymark, 2001.


MUTAFELIJA, Boris. STROMBERG, Harvey.Systematic process improvement using ISO 9001:2000 and CMMI. Canton Street Norwood, MA. 2003
SOFTEX, MPS.BR - Melhoria de Processo do Software Brasileiro. Guia Geral 2009.

Sugestão:




  • Etapas na criação de uma norma (só alguns passos);

Visão Geral do texto (Revisor):




  • Texto muito bem escrito, claro e bem embasado.

  • Apenas alguns erros de português (grifados) e erros de formatação.


1 Koscianski e Soares destacam detalhadamente as etapas de criação das normas ISO/IEC.

2A Embrapa destaca a ISO 14000 como uma série de normas referentes a fatores de cunho ambiental


3Dados oficiais retirados do site da ISO

4 Ferreira (2004) classifica um elemento chave como uma parte mínima integrante de um conjunto de conceitos.

5 “Comitê técnico Quality managements and quality assurance (ISO/IEC 176), subcomitê Quality systems (SC 2),conforme a ISO/IEC Guide 21-1:2005” [ABNT 2008,p. v]

6 Não inclui requisitos específicos para sistemas de gestão ambiental, gestão de segurança e saúde ocupacional, gesta financeira ou de risco, mas possibilita o alinhamento e organização dos fatores genéricos dos mesmos [ABNT 2008].

7 O Busineess Process Modeling é um conjunto de alternativas para a construção de modelos de processos executáveis em uma organização [ABREU 2007]

8 Conjunto de fatores, dentre processos, metodologias e pessoas, que se integram no propósito do desenvolvimento de sistemas de informação [CPQD 2009].

9 As emendas da versão de 2008 constituíram-se de apêndices com as terminologias atualizadas adjuntas a conceitos de gestão para processos de software.

10 Institute of Eletrical and Eletronics Engeneers - IEEE

11 Rapid Application Development é um modelo de processo interativo incremental de curta duração [PRESSMAN 2006, p. 41].



Compartilhe com seus amigos:
1   ...   42   43   44   45   46   47   48   49   50


©historiapt.info 2019
enviar mensagem

    Página principal