Hpp historia V3 pnld2018 Capa al pr indd


ascensão e queda da borracha



Baixar 43.85 Mb.
Pdf preview
Página70/513
Encontro04.08.2022
Tamanho43.85 Mb.
#24483
1   ...   66   67   68   69   70   71   72   73   ...   513
HisTPassadoPresente 3 MP 0027P18043 PNLD2018
ascensão e queda da borracha
Segundo a historiadora estadunidense especializada em história da 
América Latina e do Caribe, Barbara Weinstein, durante o auge da extração 
da borracha na Amazônia, entre 1895 e 1915, o faturamento com as expor-
tações do produto gerou um enriquecimento rápido da região, o que pos-
sibilitou o surgimento de uma elite formada, sobretudo, por seringalistas, 
grandes comerciantes e banqueiros. Manaus e Belém se tornaram cidades 
modernas, com a construção de largas avenidas, praças, mercados e edifí-
cios imponentes, como o Palácio do Governo e o Teatro Amazonas, ambos 
localizados em Manaus.
A euforia com as possibilida-
des de geração de riquezas por 
meio da produção de borracha, en-
tretanto, não durou muito. Atraídos 
pela perspectiva de lucros ainda 
maiores, os ingleses transplanta-
ram mudas de seringueiras para 
o Ceilão (atual Sri Lanka) e Cinga-
pura, onde a planta passou a ser 
cultivada em grandes proprieda-
des que faziam uso de técnicas 
para o aumento da produção, en-
quanto no Brasil ela permanecia 
crescendo espontaneamente na 
floresta. Com esse processo, em 
pouco tempo os asiáticos passa-
ram a liderar a produção mundial 
do látex, desbancando os produto-
res brasileiros. Em 1919, as vendas 
brasileiras no mercado externo 
não chegavam a 10% das exporta-
ções mundiais do produto.
1
O Teatro Amazonas, construído 
em 1896, é hoje um símbolo do 
período de riqueza e esplendor 
observado na região amazônica, 
durante o ciclo da borracha.
Foto de 2015.
Is
m
ar
Ing
be
r/
Pu
ls
ar
Im
agen
s
47
Brasil: do final do século XIX à Revolução de 1930 

CAPÍTULO 3
HMOV_v3_PNLD2018_046a073_U1_C3.indd 47
21/05/16 20:08


A questão do Acre
No final do século XIX, quando a produção da borracha estava no auge, o 
governo brasileiro buscou uma solução para as disputas de terras fronteiriças 
à Bolívia, inclusive o território do Acre. A questão territorial existia desde os 
tempos do Império, graças a um acordo realizado durante a Guerra do Paraguai.
A região pertencia à Bolívia, que a arrendou, em 1901, a uma empresa es-
tadunidense de produção de borracha, a Bolivian Syndicate. Em 1903, tropas 
bolivianas tentaram expulsar grupos de brasileiros que ocupavam boa parte 
da região. Liderados pelo militar gaúcho Plácido de Castro, os brasileiros 
derrotaram as tropas bolivianas e proclamaram a independência do Acre.
A disputa pelo controle da região terminou após a assinatura do
 Tratado 
de Petrópolis
em 1903. Para ficar com o Acre, o governo brasileiro se compro-
meteu a pagar 110 mil libras de indenização à Bolivian Syndicate e 2 milhões 
de libras ao governo boliviano. Também concordou em construir a Estrada 

Baixar 43.85 Mb.

Compartilhe com seus amigos:
1   ...   66   67   68   69   70   71   72   73   ...   513




©historiapt.info 2022
enviar mensagem

    Página principal