Hpp historia V3 pnld2018 Capa al pr indd


InterPretAndo doCUmentoS: teXto



Baixar 43.85 Mb.
Pdf preview
Página512/513
Encontro04.08.2022
Tamanho43.85 Mb.
#24483
1   ...   505   506   507   508   509   510   511   512   513
HisTPassadoPresente 3 MP 0027P18043 PNLD2018
InterPretAndo doCUmentoS: teXto
(p. 213)
a) O princípio básico do individualismo é a afir-
mação de que cada pessoa só pode se ocupar 
de um campo limitado da realidade. Assim, um 
indivíduo não pode elaborar regras ou princípios 
que poderiam ser aplicados a todos os demais
já que ele não tem a capacidade de analisar to-
das as variáveis necessárias para a formulação 
de tais princípios. Por causa disso, não existe 
nenhum tipo de prerrogativa ou direito que 
possibilite aos indivíduos obrigarem os demais a 
se comportarem da forma que eles consideram 
mais correta. Essa teoria do individualismo abre 
caminho a um tipo de liberalismo político, so-
cial e econômico, na medida em que ele afirma 
que não é legitimo criar regras para obrigar ou 
constranger os indivíduos a realizar determina-
das atividades, ou proibir outras. Nesse caso, 
todos são livres para decidir de acordo com seus 
interesses o que é melhor a ser realizado.
b) De acordo com Hayek, as pessoas não podem 
interferir nas decisões das outras pessoas pelo 
fato de não terem capacidade de discernir o que 
é melhor ou pior para as demais. Isso não implica 
na inexistência de regras coletivas ou sociais, mas 
apenas que tais regras devem ser formuladas e 
concordadas por todos que delas participarão. 
Nesse sentido, pode-se dizer que esse tipo de 
individualismo enfraquece a atuação do Estado, 
na medida em que este só pode interferir naquele 
campo em que todos os indivíduos entram em 
acordo. Nos demais aspectos da vida, o Estado 
não teria o direito de atuar como um juiz para 
decidir o que é certo ou errado.
HPP_v3_PNLD2018_MPESPEC_305a384.indd 362
6/2/16 5:50 PM


MANUAL DO PROFESSOR 363
c) Não, o neoliberalismo não defende a completa 
inexistência do Estado. O que os teóricos do ne-
oliberalismo, entre os quais se destaca Hayek, 
defendem é que o Estado deve interferir em 
espaços mínimos da vida social, especialmen-
te naqueles nos quais os cidadãos admitiriam 
unanimemente que é necessária a interferência 
do Estado.
d) A proposta da atividade é fazer com que os 
alunos reflitam sobre as implicações éticas da 
teoria individualista proposta por Hayek e se-
guida por outros teóricos do neoliberalismo. 
Nesse sentido, é possível que os alunos apontem 
as dificuldades de organizar as relações sociais 
segundo os princípios individualistas, na medida 
em que determinados indivíduos, especialmen-
te aqueles que formam grupos minoritários no 
interior da sociedade, podem se encontrar des-
protegidos de garantias que permitam o acesso 
a direitos ou recursos para a sobrevivência. Além 
disso, pode-se apontar que existem efeitos con-
cretos da aplicação das políticas neoliberais que 
demonstram que tais princípios, longe de trazer 
igualdade social e diminuição dos conflitos, 
provocam a ampliação das desigualdades exis-
tentes nas sociedades. Por outro lado, os alunos 
podem também concordar que é importante 
respeitar a individualidade e defender que tais 
princípios podem garantir às pessoas que ajam 
de acordo com seus interesses e não sofram a 
opressão de outros grupos ou mesmo do Esta-
do. Professor, essa atividade pode resultar em 
pontos de vista distintos entre os alunos, assim 
pode ser conveniente propor uma discussão em 
sala de aula, de modo que aqueles que enxergam 
a teoria individualista de Hayek de modo nega-
tivo apresentem seus argumentos e o mesmo 
para aqueles que concordam com essa teoria. 
Ao final, pode-se tentar formular uma posição 
consensual em sala de aula, ou mesmo apontar 
a impossibilidade de construir um consenso em 
torno dessa teoria.

Baixar 43.85 Mb.

Compartilhe com seus amigos:
1   ...   505   506   507   508   509   510   511   512   513




©historiapt.info 2022
enviar mensagem

    Página principal