Hpp historia V3 pnld2018 Capa al pr indd



Baixar 43.85 Mb.
Pdf preview
Página492/513
Encontro04.08.2022
Tamanho43.85 Mb.
#24483
1   ...   488   489   490   491   492   493   494   495   ...   513
HisTPassadoPresente 3 MP 0027P18043 PNLD2018
MANUAL DO PROFESSOR 353
para se referir aos governos militares e às práticas de 
tortura, por exemplo. O resultado do trabalho deve ser 
apresentado para o restante da classe ou, se possível, 
para toda a comunidade escolar.
A partir do tema da “abertura lenta, gradual e segura”, 
convém questionar a ideia de que o governo Geisel (1974- 
-1979) tenha sido, desde o início, o governo da abertura 
política. Isso porque houve a continuidade da repres-
são, numa clara demonstração de que a tortura e o 
assassinato não foram meros excessos de algumas 
autoridades, mas a linha mestra do sistema repressivo
conforme interpretação do historiador Marcos Napoli-
tano, em bibliografia indicada. Exemplos dessa situa-
ção foram as circunstâncias das mortes do metalúrgico 
Manuel Fiel Filho e do jornalista Vladimir Herzog. Para 
trabalhar o assunto com os alunos, pode-se recorrer às 
fotografias do assassinato de Vladimir Herzog, dispo-
níveis no site do Instituto vladimir herzog, e analisar 
os elementos que configuram a montagem do suposto 
suicídio. Herzog, após sofrer bárbaro espancamento 
pelos agentes do DOI-Codi, morreu nos porões da di-
tadura. Os agentes anunciaram oficialmente que ele 
havia cometido suicídio e forjaram a cena de maneira 
atabalhoada: com uma tira de pano, amarraram o cor-
po pelo pescoço à grade de uma janela e convocaram 
um perito do Instituto Médico Legal para fotografar a 
“prova” de que o preso dera fim à própria vida, em um 
surto de enlouquecido arrependimento por ter escrito 
uma confissão que aparecia rasgada, no chão.
Sobre a lei da Anistia, é importante fazer uma 
discussão sobre o fato dessa lei ter perdoado os tortu-
radores. Pergunte aos alunos se eles acham que essa lei 
deve ser revista e que os agentes repressores do Estado 
na época devem ser julgados e punidos. É importante 
os alunos terem em mente que o Brasil é signatário de 
documentos internacionais que classificam os crimes 
de tortura como imprescritíveis. Além disso, o relató-
rio final da Comissão Nacional da Verdade apontou os 
responsáveis pelos crimes de tortura e assassinato no 
período da ditadura militar no país. Mesmo assim, eles 
não foram punidos, diferentemente do que ocorreu em 
outros países, como a Argentina. Esse tema é muito 
polêmico e envolve interesses políticos e ideológicos.
Feito isso, é importante os alunos entenderem o 
significado histórico da ascensão dos metalúrgicos 
do ABC, dos intelectuais, dos artistas e de setores da 
classe média e da Igreja católica, que constituíram as 
bases do movimento das diretas Já!. Documentários e 
vídeos, indicados na seção Sugestões de filmes, ao final 
destas orientações, evidenciam os anseios pela rede-
mocratização. Mais uma vez, sugere-se uma “mostra” 
com os discursos feitos pelos participantes das Diretas 
Já. Uma opção interessante pode ser o documentário 
30 anos de democracia: Diretas Já, produzido pela Uni-
vesp TV. O filme apresenta uma série de documentos 
(jornais, vídeos e fotografias) sobre o tema e os rumos 
do Brasil após a ditadura militar.
Todavia, há que se ressaltar o caráter conservador 
da abertura, que não passou pelo voto popular, mas 
sim pela escolha parlamentar do candidato Tancredo 
Neves. Com a morte de Tancredo, José Sarney (vice) 
assumiu a presidência do país.
Na seção Fechando a unidade, na página 202, uma 
série de documentos auxilia o aluno na interpretação 
das várias formas de violência que permearam a Áfri-
ca, a Ásia e a América Latina. De fato, as histórias dos 
respectivos continentes apontam que a violência não 
se dá apenas no âmbito do monopólio estatal, como 
nos lembra o sociólogo britânico Anthony Giddens. As 
próprias relações sociais de regiões historicamente 
marcadas pelo genocídio e pela exclusão de diversos 
grupos são pautadas pela violência física e simbólica 
que se propaga na vida cotidiana. Cumpre, portanto, 
continuar na defesa dos direitos humanos e no cons-
tante aperfeiçoamento da democracia.

Baixar 43.85 Mb.

Compartilhe com seus amigos:
1   ...   488   489   490   491   492   493   494   495   ...   513




©historiapt.info 2022
enviar mensagem

    Página principal