Hpp historia V3 pnld2018 Capa al pr indd


de povos que o continente africano abriga e o fato de



Baixar 43.85 Mb.
Pdf preview
Página361/513
Encontro04.08.2022
Tamanho43.85 Mb.
#24483
1   ...   357   358   359   360   361   362   363   364   ...   513
HisTPassadoPresente 3 MP 0027P18043 PNLD2018
de povos que o continente africano abriga e o fato de 
eles terem não uma única história, mas experiências 
históricas e culturais variadas, distintas e ricas
9
. Proble-
matizar a história única, não apenas dos africanos e da 
4
FENELON, Déa Ribeiro; CRUZ, Heloísa Faria; PEIXOTO, Maria do Rosário Cunha. In: FENELON, Déa Ribeiro et al. (Org.). Muitas memórias, outras histórias. São 
Paulo: Olho d´Água, 2004. p. 6.
5
Uma explicação pontual sobre a proposta de cada seção de texto e de atividades da coleção pode ser encontrada no item 3 (Organização da obra) deste 
Manual.
6
Ver SADER, Emir. Século XX: uma biografia não autorizada. São Paulo: Fundação Perseu Abramo, 2001. p. 129.
7
Exemplos dessa afirmação podem ser encontrados na seção Enquanto isso... dos Capítulos 4 e 10 do Volume 1, 1 e 3 do Volume 2 e 2 e 11 do Volume 3.
8
Exemplos disso podem ser encontrados na página 182 do Volume 1, página 140 do Volume 2 [seção Eu também posso participar do Capítulo 8] e na página 118 
do Volume 3 [do Capítulo 6 no subtítulo A Frente Negra Brasileira].
9
No Capítulo 3 do Volume 1, por exemplo, destacamos o fato de a civilização egípcia ser africana, o que muitas vezes passa despercebido pelos alunos. Ver 
também o Capítulo 10 do Volume 1, que trata de alguns reinos africanos.
2
HPP_v3_PNLD2018_MPGERAL_289a304.indd 292
6/2/16 5:51 PM


MANUAL DO PROFESSOR 293
África, mas de outros povos e continentes, é um impor-
tante caminho para desenvolver o senso crítico dos 
alunos e incentivá-los a criar novas formas de se expres-
sar e enxergar o mundo, além de desconstruir sensos 
comuns e preconceitos. A escritora nigeriana Chima-
manda Adichie faz uma interessante reflexão sobre o 
assunto: “é impossível falar sobre única história sem 
falar sobre poder. Há uma palavra, uma palavra da tribo 
Igbo, que eu lembro sempre que penso sobre as estru-
turas de poder do mundo, e a palavra é ‘nkali’. É um 
substantivo que livremente se traduz: ‘ser maior do que 
o outro’. Como nossos mundos econômico e político, his-
tórias também são definidas pelo princípio do ‘nka-
li’. Como são contadas, quem as conta, quando e quan-
tas histórias são contadas, tudo realmente depende do 
poder. Poder é a habilidade de não só contar a história 
de outra pessoa, mas de fazê-la a história definitiva 
daquela pessoa. O poeta palestino Mourid Barghouti 
escreve que se você quer destituir uma pessoa, o jeito 
mais simples é contar sua história, e começar com ‘em 
segundo lugar’. Comece uma história com as flechas dos 
nativos americanos, e não com a chegada dos britâni-
cos, e você tem uma história totalmente diferente. Co-
mece a história com o fracasso do Estado africano e não 
com a criação colonial do Estado africano e você tem 
uma história totalmente diferente. (...) Quando nós re-
jeitamos uma única história, quando percebemos que 
nunca há apenas uma história sobre nenhum lugar, nós 
reconquistamos um tipo de paraíso”.
10
Tanto estudos produzidos nas últimas décadas 
quanto a Lei n
o
10 639 (e depois a Lei n
o
11 645) indicam 
a necessidade de se fazer, na sala de aula, um traba-
lho mais sistemático e intenso em relação à história 
da África e dos afrodescendentes. Alguns estudos 
mostram, por exemplo, que muitas vezes as crianças, 
os adolescentes e os jovens afrodescendentes não se 
identificam como negros, uma vez que, quase sempre, 
são retratados nos meios de comunicação, incluindo 
os livros didáticos, em situações socialmente negati-
vas: vinculados à pobreza, submissos (na condição de 
escravos e no ato de serem açoitados, por exemplo), 
relacionados à violência, etc.
11
Cientes disso, buscamos esclarecer como ocorreu 
o processo que resultou na lamentável exclusão social 
de boa parte da população afrodescendente no Brasil 
e no mundo. Ao mesmo tempo, procuramos destacar o 
relevante papel desempenhado pelos povos africanos 
ao longo da História. Na coleção, textos e imagens 
mostram, por exemplo, a participação dos africanos 
e afrodescendentes na construção da sociedade bra-
sileira. Indivíduos que, ao longo dos séculos, ocuparam 
espaços na economia, na cultura e na política brasilei-
ras, por meio de manifestação pública ou intelectual
12
.
Incluímos, também, informações, textos, imagens 
e atividades críticas que demonstram o quanto nossa 
cultura é marcada pela herança africana. Além disso, 
sempre que foi possível, incentivamos a reflexão sobre 
as formas de preconceito aparentemente “impercep-
tíveis” e enraizadas em nossa sociedade.

Baixar 43.85 Mb.

Compartilhe com seus amigos:
1   ...   357   358   359   360   361   362   363   364   ...   513




©historiapt.info 2022
enviar mensagem

    Página principal