Hpp historia V3 pnld2018 Capa al pr indd



Baixar 43.85 Mb.
Pdf preview
Página237/513
Encontro04.08.2022
Tamanho43.85 Mb.
#24483
1   ...   233   234   235   236   237   238   239   240   ...   513
HisTPassadoPresente 3 MP 0027P18043 PNLD2018
passadO pReseNte
O teatro experimental do Negro e a constituição de 1946
De acordo com a atual Constituição brasilei-
ra, a prática de racismo é crime inafiançável, im-
prescritível e sujeito a prisão. Até 1988, quando 
a Constituição atual entrou em vigor, a discrimi-
nação racial era considerada apenas uma con-
travenção penal, um delito de pouca gravidade.
Em 1945 e em 1946, lideranças negras se ar-
ticularam e realizaram, nas cidades de São Pau-
lo e Rio de Janeiro, convenções nacionais que 
defendiam a ideia de transformar o racismo em 
crime de lesa-pátria. Encaminhada ao Congres-
so, a proposta não vingou, mas permitiu que, 
em 1951, fosse aprovada a Lei Afonso Arinos, 
que classificava o racismo como contravenção 
penal, o que contribuiu para mostrar à socieda-
de que – ao contrário do que muitos afirmavam 
existiam no Brasil, de fato, a discriminação 
étnica e o preconceito racial. A Lei Afonso Ari-
nos vigorou até os anos 1980.
A pressão exercida sobre os constituintes 
de 1946 foi encabeçada pelos representantes 
do Teatro Experimental do Negro (TEN), grupo 
fundado e dirigido pelo economista e ativista 
social Abdias do Nascimento. O TEN surgira em 
1944 com a proposta de resgatar e afirmar os 
valores humanos e culturais dos afrodescen-
dentes no Brasil por meio da arte, da educação 
e de outras iniciativas culturais. O TEN divulga-
va suas ações no jornal O Quilombo.
Ao mesmo tempo em que oferecia aulas 
de alfabetização, o TEN organizava palestras 
e montava peças de teatro. Sua primeira peça 
foi O imperador Jones, do dramaturgo estaduni-
dense Eugene O’Neill, cuja estreia aconteceu 
em 1945, no Teatro Municipal do Rio de Janei-
ro: esta foi a primeira vez que atores negros se 
apresentaram no palco daquele Teatro, desde 
a inauguração do teatro, em 1909. Até 1968, 
quando as principais lideranças passaram a ser 
perseguidas pela ditadura civil-militar e o TEN 
foi extinto, o movimento se manteve bastante 
ativo no cenário cultural e político nacional, 
angariando importantes apoios entre os inte-
lectuais brasileiros.
Elenco da peça O filho pródigo, de Lúcio Cardoso. Da esquerda
para a direita: Roney da Silva, Ruth de Souza, Abdias Nascimento, 
José Maria Monteiro, Aguinaldo Camargo e Marina Gonçalves 
(Selene). Rio de Janeiro, RJ, 1947.
J
o

M
ed
e
ir
o
s
/C
ed
o
c F
u
n
a
rt
e
Professor(a), veja no 
Procedimento Pedagógico deste 
capítulo uma sugestão de 

Baixar 43.85 Mb.

Compartilhe com seus amigos:
1   ...   233   234   235   236   237   238   239   240   ...   513




©historiapt.info 2022
enviar mensagem

    Página principal