Histórico e contextualização do Programa



Baixar 334.08 Kb.
Página38/50
Encontro17.03.2020
Tamanho334.08 Kb.
1   ...   34   35   36   37   38   39   40   41   ...   50



Internacionalização

A internacionalização do Programa pode ser auferida por meio de uma série de indicadores que o situam entre os cursos mais reconhecidos internacionalmente. Entre estes indicadores podemos citar:


1) o investimento e realização de nos acordos, convênios e projetos com instituições estrangeiras. Neste sentido, o Programa coordena cinco projetos internacionais aprovados em editais bi ou multilaterais no Brasil e nos países das instituições parceiras:

a) “A religião no espaço público no Brasil e na Itália”. Cooperação internacionalAcordos bilaterais, Edital CNPq/CNR (Itália) 017/2013. Vigência: 2013 - 2015.

b) “Transnacionalização religiosa”. Cooperação internacional. Edital CAPES /NUFFIC 006/2009. Vigência: 2009-2016;

c_) Rede de intercâmbio científico em antropologia social. Cooperação internacional. Edital CAPES - CAPG-BA 008/2013. IDAES/UNSAM (Argentina), UFRJ/Museu Nacional e PPGAS/UFRGS. Vigência 2013 – 2017;

d) “Perspectivas en los estudios sobre tramas locales de atención y acceso a servicios de salud”. Cooperação internacional. Ministerio de Educación de la Nación/ SPU – UBA, Programa Hacia un Consenso del Sur para el Desarrollo y la Inclusión. Vigência: 1/08/2014 até 31/08/2015;

e) “Tecnologias de governabilidade e investigação criminal: ciência, política e controle social”, aprovado em edital 038/2013, CAPES-FCT 2014-2015. Instituições participantes: PPGAS/UFRGS e Centro de Estudos Sociais – CES da Universidade de Coimbra – Portugal. Vigência: 2014-2015.


2) Pela sua liderança na área de antropologia e ciências sociais no âmbito do Mercosul, que se expressa pela coordenação de projetos de pesquisa, publicações, organização de eventos, mobilidades estudantis, redes de pesquisa, orientações de doutorado, professores visitantes que se deslocam nos dois sentidos, a presença de alunos dos países da região no Programa.
3) Esta internacionalização se estende para outros países da América Latina, por meio da participação: a) entre outras redes de colaboração, no Grupo Montevidéu, no Foro Latinoamericano de Antropología del Derecho (FLAD), no CLACSO, na RIMAAL –“Red de Investigacion Interdisciplinaria sobre el Mundo Árabe y America Latina, etc; b) na realização de trabalho de campo em países latino-americanos (Bolívia, Colômbia, Peru, Equador, Argentina, Chile, Paraguai, Uruguai, Venezuela, Suriname); c) na apresentação de proposta nos editais de pesquisador e professor visitante estrangeiro para colegas latino-americanos (PVE CNPq e CAPES/); d) na promoção de eventos científicos e o convite a pesquisadores latino-americanos para participarem nos eventos realizados no Programa, assim como o incentivo para docentes e discentes do Programa para participarem em eventos em outros países da América Latina.
4) A cooperação com os países da África, especialmente Moçambique, Angola e Cabo Verde, que se efetua não apenas pela atuação de docentes e egressos do Programa para a criação de programas de pós-graduação nestes países e a sua integração como docentes e orientadores, mas também pelo crescente número de estudantes africanos no Programa, pelos projetos de cooperação acadêmica com realização de missões de trabalho e de estudo, pela publicação conjunta de artigos e coletâneas, assim como a realização de trabalho de campo nestes países.
5) O estímulo à mobilidade acadêmica por meio de estágios de doutorado sanduiche e de mestrado no exterior, associados aos convênios e projetos de cooperação, estabelecidos entre o PPGAS/UFRGS e outros centros de ensino e pesquisa. Além de firmar projetos de cooperação na América Latina e países da África, ressalta-se o envio de estudantes em estágio de doutorado no exterior para centros internacionais de excelência, localizados nos Estados Unidos, Inglaterra e França, países com número maior de estudantes realizando doutorado sanduiche durante o ano de 2015.
6) A expansão de convenções de cotutelas de doutorado com parceiros estrangeiros, consolidando o reconhecimento que o Programa tem conseguido em nível internacional.
7) O incentivo à publicação docente e discente em periódicos com qualificação e abrangência internacionais, assim como em livros e coletâneas com impacto no campo científico.
8) A discussão de temas contemporâneos na pesquisa desde uma abordagem interdisciplinar por meio de eventos científicos, convites a pesquisadores de ponta na área para oferecerem tópicos de ensino no Programa.
9) Pelo número de professores estrangeiros que estiveram no Programa em 2015 para realização conjunta de pesquisas, organização e participação em eventos, proferir palestras, conferências, aulas abertas.





Compartilhe com seus amigos:
1   ...   34   35   36   37   38   39   40   41   ...   50


©historiapt.info 2019
enviar mensagem

    Página principal