Histórico e contextualização do Programa



Baixar 334.08 Kb.
Página36/50
Encontro17.03.2020
Tamanho334.08 Kb.
1   ...   32   33   34   35   36   37   38   39   ...   50




Inserção Social

O Programa desenvolve um conjunto de atividades voltadas à inserção social por meio de parcerias, convênios e ações conjuntas com o Estado e a sociedade civil. Esta atuação vem possibilitando a inserção e o impacto regional e nacional do Programa tanto em termos da cooperação com a sociedade quanto na análise e formulação de políticas públicas na área social. Neste sentido, podemos registrar a participação de docentes e alunos do PPGAS em atividades de extensão com populações vulneráveis e junto a órgãos governamentais e ONGs. Entre estas atividades, destacamos a realização de laudos antropológicos sobre terras indígenas e quilombolas, a realização de projetos colaborativos na área de registro, documentação e proteção de propriedade intelectual da cultura e do patrimônio de populações tradicionais; defesa dos Direitos Humanos, no que diz respeito a promoção de direitos e reconhecimento social de segmentos discriminados por orientação sexual, desvantagens físicas, vitimados por violências, bem como populações atingidas por desastres ambientais.


Em 2015, destacamos alguns projetos de extensão, coordenados por docentes do Programa: 1) “Reconhecimento e valoração do manejo florestal, do trabalho artesanal e da cultura Kaingang na grande Porto Alegre”; 2) Rede Saberes indígenas na Escola, núcleo UFRGS; 3) “Práticas de Governo, Moralidades e Subjetividades nos Circuitos de Atenção às Pessoas em Situação de Rua”; 4) “Núcleo de Antropologia e Cidadania: atividades de pesquisa e interlocução com a sociedade civil”; 5) “Educação popular e planejamento participativo na comunidade indígena Charrua”; 6) “Saberes musicais compartilhados: etnomusicologia e intervivências universitárias com jovens quilombolas do litoral norte Rio Grande do Sul”.
Em relação às atividades junto ao Estado, destacamos as consultorias para políticas públicas e a oferta de cursos e palestras de formação e capacitação de profissionais nas áreas da Saúde, do Direito, da Segurança Pública, da Infância e Adolescência, da Cultura, das imigrações contemporâneas, da Segurança Alimentar. Muitas dessas atividades são realizadas por meio dos núcleos, envolvendo docentes e alunos de pós-graduação e de graduação, em parcerias com outras instituições governamentais e da sociedade civil. A inserção social se realiza também por meio da cultura, onde destacamos o projeto etnográfico e multimídia de difusão musical com comunidades quilombolas do litoral Norte do Rio Grande do Sul, o qual conta com financiamento IPHAN-MINC.
Outro destaque a fazer em relação à inserção social é o projeto de desenvolvimento social aprovado no edital do MCTI-CNPq/MDS-SAGI Nº 24/2013, que integra professores do Programa, alunos e egressos. O projeto busca compreender o processo de distribuição e consumo de alimentos através do Programa Fome Zero (PFZ) e do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) e Cozinhas comunitárias (CC) e seu impacto nas comunidades em questão, construindo um campo de conhecimento para a reflexão crítica sobre a estruturação e ampliação de programas governamentais voltados a Política de Segurança Alimentar e Nutricional. Para isto procura identificar as famílias recebedoras e suas práticas alimentares no nicho doméstico e acompanhar o fluxo dos alimentos distribuídos nas comunidades através do Programa Fome Zero (PFZ) e do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA). Em termos sociais, visa contribuir para formação de uma rede de pesquisadores dedicados à investigação de temas que envolvam a segurança alimentar e nutricional a partir de perspectivas qualitativas. Como resultado da pesquisa quer fornecer conhecimento científico capaz de auxiliar na elaboração e avaliação de projetos e programas voltados à segurança alimentar e nutricional em comunidades urbanas de baixa renda. Vigência: 1/11/2013 até 30/5/2015.
Há que se fazer referência, ainda, às atividades de uma docente no Centro de Referência em Direitos Humanos, Relações de Gênero e Sexualidade. Este centro constitui-se num espaço de acolhimento a vítimas de discriminação relacionada a gênero e sexualidade e de convívio de mulheres em situação de violência doméstica; população LGBT vítima de discriminação por orientação sexual e identidade de gênero.
Outra atividade importante, representativa da inserção social do Programa, se realiza desde 2014, através do projeto de Estudo de Metodologias para Redução de Vulnerabilidade a Desastres através da Qualificação da Percepção e Comunicação de Riscos, usando Abordagens Interdisciplinares e Participativas, no âmbito do Edital Pro-Integração, com participação de vários grupos de pesquisa do Centro Acadêmico de Estudos e Pesquisas em Desastres (CEPED/RS) da UFRGS. O projeto tem como objetivo contribuir no desenvolvimento de ferramentas e instrumentos para a melhoria da comunicação e percepção de riscos de desastres, bem como a avaliação das vulnerabilidades socioambientais de comunidades expostas. O projeto contou com a criação de uma bolsa de mestrado e envolve 07 mestrandos e 04 doutorandos, que continuaram seus trabalhos de pesquisa e intervenção ao longo do ano de 2015.
Destaca-se também a participação de docentes em grupos técnicos de centros de pesquisa, redes interinstitucionais e de órgãos públicos e organizações governamentais e não governamentais com incidência em problemáticas de grande apelo social. Neste quesito, o Programa conta com docente coordenador antropólogo do Grupo Técnico instituído pela Portaria 874, de 31 de julho de 2008, da Presidência da FUNAI, com a finalidade de realizar estudos necessários à identificação e delimitação das Terras Indígenas de Itapuã e do Morro do Coco, município de Viamão, e da Ponta da Formiga, município de Barra do Ribeiro, no Estado do Rio Grande do Sul. Outro docente é membro consultor do Centro Latino-Americano em Direitos Humanos e Sexualidade (CLAM) e membro do Grupo de Trabalho “Estado Laico” da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC); há uma docente do Programa que é participante do ICAF, International Commission on the Anthropology of Food (inclusive, é Presidente da seção Brasil) e da Rede CORPUS International Group for the Cultural Studies of the Body, além de ser também participante da Rede Interinstitucional de Alimentação e Cultura e coordenadora do GAAB, Grupo de Antropologia da Alimentação Brasileira. Há uma docente que participou como coordenadora da comissão especial para elaborar proposta de regulamentação de um sistema de ingresso Especial para pessoas em situação de refúgio na UFRGS e que também é membro do Conselho de Ações Afirmativas junto à Coordenadoria das Ações Afirmativas da UFRGS, além de fazer parte do Comitê de Atenção a Imigrantes, Refugiados e Apátridas no Rio Grande do Sul. Há um docente que é membro do Grupo de Pesquisa Religião e Sociedade do Conselho Latino-Americano de Ciências Sociais (CLACSO).





Compartilhe com seus amigos:
1   ...   32   33   34   35   36   37   38   39   ...   50


©historiapt.info 2019
enviar mensagem

    Página principal