Geografia no cotidiano: ensino médio, 3º ano


Regionalização socioeconômica



Baixar 11.43 Mb.
Página57/239
Encontro18.07.2022
Tamanho11.43 Mb.
#24300
1   ...   53   54   55   56   57   58   59   60   ...   239
Geografia no cotidiano ensino m dio, 3 ano
ticket
Regionalização socioeconômica
Para trabalhar com dados da economia e da produção mundial, é necessário recorrer a uma regionalização que tenha esses elementos como critérios. Apesar de se fazerem muitas críticas às formas de classificação dos países com base na produção ou nos indicadores sociais, como estudamos no capítulo anterior, uma classificação muito utilizada atualmente é a que divide o mundo em países ricos, países de economias emergentes e países pobres.
Os países desenvolvidos ou ricos são aqueles que aplicam a maior parte dos investimentos na produção dos outros dois grupos (emergentes e pobres). São esses os países que apresentam PIB elevado, sediam grandes empresas transnacionais, investem na melhoria das condições de vida da população e, consequentemente, têm elevado IDH. São exemplos desse grupo: Japão, Alemanha, Estados Unidos, Reino Unido, Austrália e Canadá, que serão estudados mais detalhadamente nos Capítulos 5 e 6.
Os países emergentes apresentam capacidade de atrair boa parte dos investimentos dos países ricos, pois possuem uma infraestrutura básica (vias de transportes, de comunicação e indústrias de base), índices de desenvolvimento elevados e médios (analfabetismo em processo de redução, melhoria na escolaridade da população, facilidades no acesso ao Ensino Médio e Superior), certa estabilidade econômica (inflação controlada ou políticas de controle da inflação, dívida externa paga ou em processo de pagamento, moeda estável e parque industrial competitivo) e também estabilidade política. Fazem parte desse grupo países como Brasil, México, Índia, Taiwan, Coreia do Sul, África do Sul e China, que serão estudados no Capítulo 8.

Página 92



MARIO YOSHIDA
Fonte: LACOSTE, Yves. Atlas géopolitique. Paris: Larousse, 2006. (Mapa anterior à independência do Sudão do Sul, ocorrida em 9 de julho de 2011.)
Interdisciplinaridade História Sociologia

Os países pobres constituem um grupo formado por aqueles que são pouco atraentes aos investimentos econômicos na produção ou no sistema financeiro, pois muitos deles não possuem bolsa de valores, infraestrutura básica, parque industrial, mercado consumidor significativo, entre outros fatores. Parte desses países apresenta condições sociais ruins, e outra parte tem sistemas políticos fragilizados por causa de questões internas e de lutas armadas pelo poder; outros ainda saíram enfraquecidos de guerras recentes ou demonstram dependência econômica internacional. São exemplos de países desse grupo: Haiti, Nicarágua, Angola, Moçambique, Albânia, Afeganistão e Bangladesh, que serão estudados no Capítulo 7.


Vale ressaltar aqui uma crítica que se faz à divisão do mundo entre países ricos do Norte e países pobres do Sul. O grau de desenvolvimento (ou subdesenvolvimento) dos países em todo o mundo não obedece à linha do Equador. Ele está relacionado, sim, à distribuição da riqueza e à qualidade de vida da maioria da população desses países, conforme você estudou no Capítulo 3. Ao observar onde exatamente essa linha divide o planeta, encontraremos grande número de países pobres no Hemisfério Norte, como Zâmbia, Sudão, Sudão do Sul e Níger, e países ricos no Hemisfério Sul, como Austrália e Nova Zelândia.
Ao se estudar uma regionalização com base na economia, percebe-se que há divergências nos interesses dos países de cada região, ou ao menos em parte deles, em questões relacionadas à economia, à política, ao meio ambiente, entre outras, como na divisão econômica dos países ricos e pobres, evidenciados no texto a seguir.

Baixar 11.43 Mb.

Compartilhe com seus amigos:
1   ...   53   54   55   56   57   58   59   60   ...   239




©historiapt.info 2022
enviar mensagem

    Página principal