Geografia no cotidiano: ensino médio, 3º ano


Recursos hídricos (água), florestais (madeira), minerais (petróleo) e energéticos (urânio). 2



Baixar 11.43 Mb.
Página227/239
Encontro18.07.2022
Tamanho11.43 Mb.
#24300
1   ...   223   224   225   226   227   228   229   230   ...   239
Geografia no cotidiano ensino m dio, 3 ano
ticket
1. Recursos hídricos (água), florestais (madeira), minerais (petróleo) e energéticos (urânio).
2. Respostas possíveis: poluição atmosférica (petróleo); desmatamento (extrativismo); desgaste dos solos (agricultura e pecuária).
3. Resposta pessoal.
4. Resposta pessoal.
PÁGINA 239: INTERDISCIPLINARIDADE COM FÍSICA E QUÍMICA E TEMA TRANSVERSAL
Sobre esse tema, ver:
Energia nuclear, os bastidores do programa nuclear brasileiro, de Sydney Grippi. Rio de Janeiro: Interciência, 2006;
Energia nuclear, de Raymond Murray. São Paulo: Hemus, 2005.
PÁGINA 241: ATIVIDADE – ANÁLISE E DEBATE
Esta atividade tem como objetivo discutir as vantagens e desvantagens do uso da energia nuclear e dar oportunidade para o aluno expor seu ponto de vista sobre essa questão polêmica. Deixe que se expressem livremente e sugira uma pesquisa em livros e sites que mostrem os diversos pontos de vista sobre o assunto.
Respostas sugeridas para as questões:
1. Argumentos favoráveis: aplicação em medicina, geração de energia elétrica, propulsão de sondas espaciais. Argumentos contrários: impactos ambientais, radioatividade, possibilidade de construção de bombas atômicas.
2. Resposta pessoal. O aluno poderá se expressar livremente, vendo a possibilidade positiva de um plano pacífico e também os eventuais riscos e ameaças da produção de uma bomba nuclear.
3. Os alunos podem argumentar que a Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), que é um órgão ligado à ONU, tenta controlar a proliferação de armas nucleares em países que ainda não detém esse tipo de artefato bélico. É possível desenvolver uma conversa com os alunos sobre essa postura dessa agência internacional.
4. Para o Irã, é fundamental o fim do embargo econômico, pois possibilita uma maior dinamização de sua economia, além de ser reconhecido por parte dos EUA como potência regional. Enquanto para os EUA, o acordo lhe garante posição hegemônica no Oriente Médio, algo que só pode ser assegurado pela manutenção da região como uma zona livre de armas nucleares.

Página 368


PÁGINA 242: INTERDISCIPLINARIDADE COM QUÍMICA E SOCIOLOGIA
Outro tema a ser trabalhado de modo interdisciplinar é o processo de destilação do petróleo, que dá origem a diferentes produtos: benzina, nafta, gasolina, querosene, óleo diesel, óleo lubrificante, asfalto, piche, parafina e vaselina. A questão geopolítica está presente em várias obras:
Petróleo e poder: o envolvimento militar dos Estados Unidos no Golfo, de Igor Fuser. São Paulo: Unesp, 2008;
A tirania do petróleo, de Antônia Juhasz. Rio de Janeiro: Ediouro, 2009;
Geopolíticas do petróleo, de Phillipe Sebile Lopez. Lisboa: Instituto Piaget, 2007.
PÁGINA 244: SOBRE JEAN TRICART
O estudo dos recursos naturais está presente na obra de muitos pesquisadores, como geólogos, mineralogistas, pedologistas, engenheiros florestais, entre tantos outros. O geógrafo francês Jean Tricart (1920- -2003), por exemplo, destacou-se por seu trabalho na área geomorfológica, trazendo grande contribuição também aos estudos de Biogeografia e Geografia Regional, aplicados à ordenação do território.
Foi professor nas Universidades de Sorbonne e Estrasburgo, na França; presidente da Comissão de Geomorfologia da União Geográfica Internacional (UGI); e publicou mais de 600 trabalhos, traduzidos em diversas línguas.
Na década de 1950, foi responsável por estudos sobre proteção dos recursos hídricos, com o objetivo de colaborar com o planejamento em países subdesenvolvidos. Com isso, atuou primeiro em ex-colônias francesas na África, como Mali, Togo, Benin e outros países da África Central. Além disso, coordenou programas de planejamento hidráulico em bacias de importantes rios, como Níger e Senegal, na África, e Ganges, na Índia. Na América Andina, colaborou com pesquisas sobre solos e levantamentos cartográficos, buscando o desenvolvimento agrícola.
No Brasil, foi consultor do Projeto Radam Brasil, por meio do qual, na década de 1970, foram realizados levantamentos de informações geológicas, geomorfológicas e ambientais utilizando imagens de radar captadas por aviões, principalmente da Amazônia.
Tricart contribuiu ainda para a formação de centros de pesquisas aplicadas em vários países do mundo. Sua obra conseguiu unir teoria e prática, servindo tanto para auxiliar a análise das paisagens como para complementar o trabalho de campo com investigações laboratoriais, imprescindíveis aos estudos dos recursos naturais.
PÁGINA 245: INTERDISCIPLINARIDADE COM BIOLOGIA E TEMA TRANSVERSAL
Sobre o tema, consultar:
A ferro e fogo, a história e a devastação da Mata Atlântica brasileira, de Warren Dean. São Paulo: Companhia das Letras, 1996;
Amazônia: do discurso à práxis, de Aziz Ab’Sáber. São Paulo: Edusp, 2004.
PÁGINA 248: INTERDISCIPLINARIDADE COM BIOLOGIA
Sugestão bibliográfica:
Transgênicos: sementes da discórdia, de José Eli da Veiga (Org.). São Paulo: Senac, 2007;
Os alimentos transgênicos, de Marcelo Leite. São Paulo: Publifolha, 2000;
Biossegurança em biotecnologia, de Pedro Canisio Binsfeld. Rio de Janeiro: Interciência, 2004.
PÁGINA 251: TEMA TRANSVERSAL
Outras informações podem ser obtidas em:
Virtual Water in Food production and Global Trade, de Daniel Zimmer e Daniel Renault. World Water Council, FAO-AGLW, 2003 (em inglês). Disponível em: . Acesso em: mar. 2016;
Site oficial da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo Sabesp. Disponível em: .

Página 369


PÁGINA 252: ATIVIDADE – INTERAGINDO
Respostas sugeridas para as questões:
1. As críticas direcionam-se à concentração de terras promovida em muitos países, onde grandes proprietários monopolizam a produção agrícola, como no caso da empresa estadunidense United Fruit Company (atual Chiquita Brands).
2. Trata da produção dos alimentos – pão e açúcar – desde seu cultivo. Nesse caso, o agricultor tem uma relação mais próxima com sua produção e seus produtos, portanto, antes de serem vistos como mercadorias, esses produtos são alimentos.
3. Resposta pessoal. Os alunos poderão trazer dados sobre a cultura de cana, soja e café, entre outros.
PÁGINA 252: INTERDISCIPLINARIDADE COM LITERATURA
Para criticar a expropriação de terras e a exploração dos trabalhadores rurais, o poeta chileno Pablo Neruda compôs o poema “La United Fruit Co.” (NERUDA, Pablo. Canto geral. São Paulo: Difel, 1979). Os músicos brasileiros Chico Buarque e Milton Nascimento, por sua vez, compuseram, em 1976, a canção “Cio da terra”, que se tornou um hino do movimento pela distribuição de terras no Brasil. Esse é um momento para promover a interdisciplinaridade com a área de Literatura.
PÁGINA 253: ATIVIDADE FINAL – SÍNTESE E COMPREENSÃO
Respostas sugeridas para as questões:
1. a) Os principais países exportadores de petróleo são os do Oriente Médio (Arábia Saudita, Emirados Árabes Unidos, Kuwait, Irã, Iraque e Catar), além de Rússia, Venezuela, Argélia e Líbia. Os principais importadores são os Estados Unidos, a Europa Ocidental, o oeste africano, a China, a Índia e o Japão.
b) Os Estados Unidos, grandes consumidores de petróleo, mantêm relações delicadas com a maioria dessas nações, uma vez que elas podem interferir diretamente em sua economia. No caso do Iraque, país que possui as maiores reservas e produção, os Estados Unidos lideraram as intervenções militares em 1990 e em 2003, formalmente encerradas em 2011.
As relações dos Estados Unidos também foram abaladas com o Irã, após seguidas tentativas de interferência política interna dos iranianos. Dos grandes produtores de petróleo, apenas a Arábia Saudita possui uma relação confortável com os estadunidenses, pois, em 1945, o presidente Franklin Roosevelt se reuniu com o rei Abdul Aziz para, de comum acordo, estreitarem os laços comerciais entre os dois países.
2. a) Estados Unidos e Rússia. Esses arsenais são consequência, principalmente, da corrida armamentista promovida entre as duas grandes potências durante o período da Guerra Fria (1945-1991).
b) Ao possuir armamentos nucleares, essas nações se colocam na posição de controlar estrategicamente o equilíbrio de forças entre si e de outras nações. No entanto, um ataque entre elas pode ter consequências catastróficas, daí a importância dos acordos de desarmamento.
3. a) As regiões tropicais possuem maior biodiversidade, pois são os locais nos quais se encontram florestas equatoriais e tropicais, como a Amazônica e a região do Sudeste Asiático. Essas florestas possuem grande biodiversidade.

Baixar 11.43 Mb.

Compartilhe com seus amigos:
1   ...   223   224   225   226   227   228   229   230   ...   239




©historiapt.info 2022
enviar mensagem

    Página principal