Geografia no cotidiano: ensino médio, 3º ano



Baixar 11.43 Mb.
Página14/239
Encontro18.07.2022
Tamanho11.43 Mb.
#24300
1   ...   10   11   12   13   14   15   16   17   ...   239
Geografia no cotidiano ensino m dio, 3 ano
ticket
Interdisciplinaridade Biologia Física Química
AMPLIANDO CONCEITOS
Nanotecnologia
Para alguns estudiosos, entramos em um período que poderia ser caracterizado como Quarta Revolução Industrial. Essa fase se apoia basicamente na biotecnologia, na nanotecnologia e em um conjunto multidisciplinar de ciências exatas e cognitivas.
De acordo com a ONU, biotecnologia significa “qualquer aplicação tecnológica que utilize sistemas biológicos, organismos vivos, ou seus derivados, para fabricar ou modificar produtos ou processos para utilização específica”. (ONU, Convenção de Biodiversidade 1992, Art. 2). A nanotecnologia busca estender a capacidade humana de manipular a matéria até os limites do átomo, permitindo a fabricação de produtos de alta qualidade com custo bem reduzido e com o mínimo de impacto ao ambiente.
O físico estadunidense Richard Feynman (1918-1988), em 1959, levantou a hipótese de que, em um futuro próximo, seria possível “dispor os átomos um por um da forma que desejarmos”. Portanto, ele foi o precursor do conceito de nanotecnologia, que, mais tarde, foi popularizado pelo cientista e engenheiro estadunidense Eric Drexler. Ele se referiu à possibilidade de construir máquinas à escala molecular, de apenas uns nanômetros de tamanho, como motores, braços de robô e até computadores inteiros bem menores que uma célula. Portanto, a nanotecnologia não só possibilitaria a confecção de produtos de alta qualidade a um custo bem reduzido, como também a criação de novas unidades de produção, as nanofábricas.

JORIS VAN DEN HEUVEL/SHUTTERSTOCK
O microchip representa um dos grandes avanços da nanotecnologia. Foto de 2012.

Página 23


O papel dos países periféricos na atual organização do espaço geográfico mundial
Atualmente, parte dos países emergentes e de menor desenvolvimento econômico, ou periféricos, além de exportar matérias-primas e alimentos, passou a vender produtos industrializados ou pré-industrializados, o que não era comum em períodos anteriores. Isso determinou uma Nova Divisão Internacional do Trabalho (DIT). Essa mudança ocorreu após a Segunda Guerra Mundial, quando os Estados Unidos se tornaram a maior potência econômica do planeta.
A configuração mais concreta desse processo foi a mundialização de empresas, isto é, a instalação de filiais das empresas dos Estados Unidos em diferentes países periféricos, estabelecendo uma relação ainda maior de dependência. Esse processo, adotado também por empresas europeias e japonesas, ocasionou a reorganização de um grande número de países e foi responsável pela atual configuração do espaço mundial.
Assim, alguns países periféricos, além de assumirem o papel de produtores de matérias-primas e de artigos industrializados ou pré-industrializados para exportação, constituem locais onde as empresas estrangeiras se instalaram aproveitando-se da mão de obra e das matérias-primas baratas, dos incentivos fiscais e do menor rigor das leis trabalhistas e ambientais para aumentar seus lucros.

LUCAS CARVALHO/GEOIMAGENS
O Chile é um dos maiores produtores mundiais de cobre, metal com larga aplicação na indústria. Na foto, exploração de cobre na região de Coquimbo, 2012.

Baixar 11.43 Mb.

Compartilhe com seus amigos:
1   ...   10   11   12   13   14   15   16   17   ...   239




©historiapt.info 2022
enviar mensagem

    Página principal