Ex-histA723-F1-2015- indd


(A) a vontade dos sectores mais pobres da sociedade de ver abolida a propriedade privada.  (B)



Baixar 66.26 Kb.
Pdf preview
Página4/13
Encontro27.03.2021
Tamanho66.26 Kb.
1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   13
 (A) a vontade dos sectores mais pobres da sociedade de ver abolida a propriedade privada.

 (B) os interesses do clero e da nobreza, preocupados com a manutenção dos seus privilégios. 

 (C) o exercício da autoridade absoluta dos monarcas como garantia da ordem estabelecida. 

 (D) as aspirações da burguesia, detentora de poder económico mas afastada da vida política. 

3.  A crítica dos filósofos iluministas ao Antigo Regime, sistema em que o povo «foi forçado a receber, sem 

murmurar, as leis que alguns grandes combinaram com o soberano» (linhas 7-8), representava a recusa



 (A) do despotismo esclarecido e da promoção das elites intelectuais.

 (B) do liberalismo moderado e da igualdade natural entre os cidadãos.

 (C) do parlamentarismo e da participação dos cidadãos na vida política. 

 (D) do absolutismo régio e dos privilégios baseados no nascimento. 

4.  A afirmação de d’Holbach «esteja em que mãos estiver, o poder torna-se funesto se não estiver bem 

limitado» (linhas 16-17) demonstra uma conceção política defensora da



 (A) concentração de todos os poderes nas mãos dos monarcas.

 (B) separação entre os poderes legislativo, executivo e judicial. 

 (C) supremacia do poder legislativo sobre o executivo e o judicial. 

 (D) manutenção do poder económico nas mãos da grande nobreza. 

5.  Além de d’Holbach, alguns dos principais filósofos iluministas do século XVIII, apostados em libertar o 

espírito humano do peso da tradição e em guiá-lo através da «razão» (linha 29), foram






Compartilhe com seus amigos:
1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   13


©historiapt.info 2019
enviar mensagem

    Página principal