Esportes e o cérebro o surpreendente resultado da autópsia em cérebro de atleta que matou amigo e se suicidou na prisão



Baixar 23.6 Kb.
Página1/4
Encontro08.10.2019
Tamanho23.6 Kb.
  1   2   3   4

Esportes e o cérebro - O surpreendente resultado da autópsia em cérebro de atleta que matou amigo e se suicidou na prisão.

Camilla Costa - Da BBC Brasil em São Paulo – dez 17



Colocado sobre uma mesa de laboratório, horas após a morte de seu dono, o cérebro de Aaron Hernandez tinha uma aparência saudável. Ele era, afinal, um jogador de futebol americano de apenas 27 anos de idade e menos de duas décadas de carreira.

Hernandez jogava no time New England Patriots cuja carreira acabou depois que ele foi condenado pelo assassinato de um amigo. Ele cometeu suicídio no último mês de abril.

Mas um exame póstumo detalhado de seu cérebro surpreendeu os especialistas. O órgão havia sido danificado por um caso de Encefalopatia Traumática Crônica (ETC) tão grave que parecia o de um atleta de 60 anos.

Os cientistas americanos consideram o caso mais grave já registrado para alguém da idade do ex-jogador.

"A ETC é uma doença degenerativa que tem como gatilho inicial o trauma repetitivo em qualquer parte da cabeça", disse à BBC Brasil Paulo Caramelli, neurologista e professor da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), que estuda a doença.

A doença já foi conhecida como "demência pugilística", por afetar principalmente boxeadores, que costumam ser atingidos por golpes na cabeça.

No entanto, no início dos anos 2000, o neuropatologista americano-nigeriano Bennet Omalu causou controvérsia ao publicar seus estudos sobre um ex-jogador de futebol americano que havia morrido da doença. O caso foi retratado no filme Um Homem entre Gigantes, de 2015.

A ETC causa transtornos de comportamento como agressividade, depressão e falta de controle emocional, além de distúrbios cognitivos, como perda de memória e demência.

Ela tem, no entanto, diferentes níveis de gravidade, que geralmente aumentam à medida em que a pessoa envelhece. Ou seja, quanto mais velho um atleta, por exemplo, mais grave costuma ser seu caso.




Compartilhe com seus amigos:
  1   2   3   4


©historiapt.info 2019
enviar mensagem

    Página principal