Esferas2-parte1-miolo-001-208. pdf


CRÍTICA Na trama dos textos Memória viva



Baixar 32.12 Mb.
Pdf preview
Página326/371
Encontro24.07.2021
Tamanho32.12 Mb.
#16544
1   ...   322   323   324   325   326   327   328   329   ...   371
CAMPOS ESFERAS2-PARTE1-MIOLO-001-208
CAMPOS ESFERAS2-PARTE1-MIOLO-001-208
 CRÍTICA
Na trama dos textos
Memória viva
Muitos escritores românticos estão na memória brasileira até hoje e ajudam, com seus temas, a manter a 
ideia de brasilidade: a terra, a língua, o exílio e o sentimento de saudade. 
Gonçalves Dias escreveu o poema “Canção do exílio” em 1843, quando tinha 20 anos de idade e era estu-
dante em Coimbra, Portugal. Alguns escritores contemporâneos reinventaram esse poema e escreveram sua 
canção do exílio, tema presente em nossa vida, por questões pessoais ou políticas. 
Outros artistas também dialogaram com o poema de Gonçalves Dias, entre eles 
o cartunista mineiro Caulos. Em Vida de passarinho, há uma citação explícita ao 
texto romântico, mas o humorista fez o sabiá migrar dos versos românticos para a 
denúncia ecológica e política. É o famoso passarinho que indica visivelmente que o 
tronco da palmeira está cortado e não há mais árvore.
Vamos ler o poema de Gonçalves Dias e os quadrinhos de Caulos.
Texto 1
Canção do exílio
Kennst du das Land, wo die Citronen blühn, 
Im dunkeln Laub die Gold-Orangen glühn?
Kennst du es wohl? Dahin, dahin!
Möcht’ ich... ziehn.
Goethe
Minha terra tem palmeiras
Onde canta o Sabiá;
As aves, que aqui gorjeiam, 
Não gorjeiam como lá.
Nosso céu tem mais estrelas
Nossas várzeas têm mais flores, 
Nossos bosques têm mais vida
Nossa vida mais amores.
Em cismar, sozinho, à noite, 
Mais prazer encontro eu lá; 
Minha terra tem palmeiras, 
Onde canta o Sabiá.
Minha terra tem primores
Que tais não encontro eu cá; 
Em cismar — sozinho, à noite — 
Mais prazer encontro eu lá; 
Minha terra tem palmeiras, 
Onde canta o Sabiá.
D2_POR_EM_3046_V2_P1eP2_LA_001_368.indb   172
12/8/16   5:34 PM


173
Leitura e literatura
Não permita Deus que eu morra, 
Sem que eu volte para lá;
Sem que desfrute os primores
Que não encontro por cá;
Sem qu’inda aviste as palmeiras
Onde canta o Sabiá.
DIAS, Gonçalves. Canção do exílio. In: BARBOSA, Frederico (Org.). 

Baixar 32.12 Mb.

Compartilhe com seus amigos:
1   ...   322   323   324   325   326   327   328   329   ...   371




©historiapt.info 2022
enviar mensagem

    Página principal