Escola Secundária de Sampaio Por uma escola inclusiva de qualidade apresentaçÃo da escola



Baixar 27.15 Kb.
Encontro13.12.2019
Tamanho27.15 Kb.

Escola Secundária de Sampaio

Por uma escola inclusiva de qualidade



APRESENTAÇÃO DA ESCOLA

01.FEV.12

Avaliação Externa 2012

SUMÁRIO

Caracterização da Escola

Resultados

Prestação do Serviço Educativo

Liderança e Gestão

Caraterização da Escola
  • População escolar 2011/2012
  • Caraterização dos alunos
  • Contexto social dos Pais e EE
  • Oferta Formativa
  • Pessoal docente em 2011/2012
  • Pessoal não docente em 2011/2012

População escolar em 2011/2012


Caracterização dos alunos

3ºCICLO

SECUNDÁRIO REGULAR

SECUNDÁRIO PROFISSIONAL

TOTAL

ALUNOS COM

ASE

78

31%

141

28%

91

39%

310

31%

ALUNOS COM

NEE

11

7

1

19

ALUNOS ESTRANGEIROS

10

39

24

73

Contexto social dos Pais e E.E.


Contexto social

Profissões de nível intermédio e super.

Habilitações de nível superior

Habilitações de nível sec. ou sup.

Computador e internet em casa

3º CICLO

29,6%

21,3%

48%

90%

SECUNDÁRIO

26,2%

16%

36%

89%

Oferta Formativa

3ºCICLO

REGULAR

PIEF

TOTAL

41

TURMAS

DIURNAS

10 TURMAS

1 TURMA

SECUNDÁRIO REGULAR

CIÊNCIAS

ECONOMIA

HUMANIDADS

ARTES VISUAIS

10 TURMAS

2 TURMAS

5 TURMAS

3 TURMAS

SECUNDÁRIO PROFISSIONAL

INFORMÁTICA

GESTÃO

MARKETING

TURISMO

DESPORTO

3 TURMAS

2 TURMAS

3 TURMAS

2 TURMAS

1 TURMA

SECUNDÁRIO EFA NOTURNO

ESCOLAR

GESTÃO

INFORMÁTICA

A. EDUCATIVA

8 TURMAS

NOTURNAS

1 TURMA

3 TURMAS

2 TURMAS

2 TURMAS

Pessoal docente em 2011-2012


Antig/Idade

20 a 29 anos

30 a 39 anos

40 a 49 anos

50 a 59 anos

60 ou mais

TOTAL

< 4 anos

1

8

1

1

0

11

5 a 9 anos

0

8

1

1

0

10

10 a 19 anos

0

14

22

3

0

39

20 a 29 anos

0

0

21

23

1

45

> 30 anos

0

0

1

15

0

16

TOTAL

1

30

46

43

1

121

Pessoal não docente em 2011-2012

Antig/Idade

20 a 29 anos

30 a 39 anos

40 a 49 anos

50 a 59 anos

60 ou mais

TOTAL

< 4 anos

0

2

2

0

0

4

5 a 9 anos

0

1

1

0

0

2

10 a 19 anos

0

1

9

5

2

17

20 a 29 anos

0

0

3

11

0

14

> 30 anos

0

0

0

3

0

3

TOTAL

0

4

15

19

2

40

Docentes do quadro 99/82% Docentes contratados 22/18%

Assistentes operacionais 28 Assistentes administrativos 12

1. Resultados

1.1. Resultados Académicos

1.2. Resultados Sociais

1.3. Reconhecimento da Comunidade


1.1. Resultados Académicos

  • Evolução dos resultados internos contextualizados
  • EVOLUÇÃO DAS TAXAS DE TRANSIÇÃO/CONCLUSÃO


7ºANO 8ºANO 9ºANO

1.1. Resultados Académicos

  • Evolução dos resultados internos contextualizados
  • EVOLUÇÃO DAS TAXAS DE TRANSIÇÃO/CONCLUSÃO


10ºANO 11ºANO 12ºANO

1.1. Resultados Académicos

  • Evolução dos resultados externos contextualizados
  • PERCENTAGEM DE POSITIVAS NOS EXAMES DO 9ºANO


Língua Portuguesa Matemática

1.1. Resultados Académicos

  • Evolução dos resultados externos contextualizados
  • MÉDIAS OBTIDAS NOS EXAMES DO 11ºANO


BIOL. GEOL. FIS. QUI. A GEOM. DESC.A MACS

1.1. Resultados Académicos

  • Evolução dos resultados externos contextualizados
  • MÉDIAS OBTIDAS NOS EXAMES DO 12ºANO


PORTUGÊS MATEMÁTICA A HISTÓRIA A DESENHO A

1.1. Resultados Académicos

  • Resultados externos contextualizados

Ranking da Escola SIC/Expresso

2009

2010

2011

DISTRITO

Ensino Básico

320 (1300)

359 (1295)

245 (1291)

2º lugar

Ensino Secundário

140 (504)

104 (485)

124 (478)

5º lugar

1.1. Resultados Académicos

  • Qualidade do sucesso

2007

2008

2009

2010

2011

CI

13,0

12,6

13,0

13,3

12,8

CE

9,8

10,9

11,0

11,4

11,0

CI-CE

3,2

1,7

2,0

1,9

1,8

DIFERENÇA ENTRE CI/CE POR DISCIPLINA EM 2011

1.1. Resultados Académicos

  • Abandono e desistência

PERCENTAGEM DE ABANDONO E DESISTÊNCIA

1.2. Resultados Sociais

    • Participação dos pais e alunos nos órgãos e estruturas da Escola
    • Participação dos pais e alunos em atividades organizadas pela Escola
    • Ação de melhoria nº3

Participação na vida da escola e assunção de responsabilidades
    • Conjunto de normas de conduta afixado em todas as salas de aula
    • Atuação da direção de forma assertiva mas com firmesa e em curto espaço de tempo
    • Gabinete de apoio à disciplina
    • Ação de melhoria nº2 que inclui formação de docentes

Cumprimento de regras e disciplina
    • Participação dos alunos e professores nas campanhas do Banco Alimentar
    • Participação dos alunos e professores em campanhas de solidariedade para várias instituições
    • Parceria com Rotary Club para ações de voluntariado

Formas de solidariedade

1.2. Resultados Sociais

  • Impacto da escolaridade no percurso dos alunos

ENTRADAS NO ENSINO SUPERIOR POR OPÇÃO

PERCURSO DOS ALUNOS APÓS CONCLUIREM CURSOS PROFISSIONAIS

1.3. Reconhecimento da comunidade


QUESTIONÁRIOS DA IGE

1.3. Reconhecimento da comunidade

  • Grau de satisfação da comunidade educativa

1.3. Reconhecimento da comunidade


QUESTIONÁRIOS CAF II
  • Grau de satisfação da comunidade educativa
  • Formas de valorização do sucesso dos alunos
    • Quadro de valor, mérito e excelência
    • Momentos solenes de entrega de diplomas
  • Contributo da Escola para o desenvolvimento da comunidade envolvente
    • Oferta formativa diversificada designadamente em regime pós laboral
    • Participação do diretor em várias estruturas concelhias
    • Cedência das instalações da escola para formação

2. Prestação do Serviço Educativo

2.1. Planeamento e Articulação

2.2. Práticas de Ensino

2.3. Monitorização e avaliação das aprendizagens


2.1. Planeamento e articulação


Gestão articulada do currículo
    • Articulação curricular vertical pelos Grupos Disciplinares
    • Articulação curricular horizontal pelos Conselhos de Turma
    • Conselhos de Curso e diretores dos cursos profissionais
    • Enriquecimento curricular através dos projetos PIS, Desporto Escolar e outros

Contextualização do currículo e abertura ao meio
    • Oferta educativa diversificada de acordo com as opções dos alunos
    • A abertura dos cursos profissionais em função do tecido empresarial
    • UFCD e EFA de acordo com necessidades identificadas pelo CNO
    • Múltiplas atividades que visam valorizar o património local

Trabalho cooperativo entre docentes
    • Condições horárias para a realização de encontros formais
    • Atribuição de uma hora da componente não letiva
    • Distribuição de serviço de modo a privilegiar equipas de ano

2.2. Práticas de ensino

    • Adequação dos currículos e dos instrumentos de avaliação
    • Apoios pedagógicos acrescidos e sala de estudo
    • Reforço da carga horária nas disciplinas com exame nacional

Práticas de ensino
    • Professor do ensino especial e psicóloga da escola
    • Técnicos no âmbito do Centro de Recursos para a Inclusão ( CRI)

Adequação dos apoios aos alunos com NEE
    • Definição anual de metas de resultados
    • Estrutura intermédia do NAI
    • Reflexão periódica pelos Grupos Disciplinares sobre os resultados obtidos

Exigência e incentivo à melhoria dos desempenhos
    • Valorização do trabalho laboratorial e experimental
    • Uso das TIC em contexto de sala de aula
    • Mobilização da Plataforma Moodle

Metodologias ativas e experimentais no ensino e nas aprendizagens

2.2. Práticas de ensino

    • Oferta do curso de Artes Visuais
    • Clube de teatro
    • Várias atividades de valorização das artes, concursos etc

Valorização da dimensão artística
    • Valorização dos recursos existentes na BE/CRE
    • Regulamentação das atividades de enriquecimento curricular com prejuízo de aulas
    • Reintrodução do 2º toque e rigor no cumprimento dos horários)

Rendibilização dos recursos educativos e do tempo dedicado às aprendizagens
    • Coordenadores e subcoordenadores de departamento
    • Plataforma Moodle como base de dados
    • Supervisão da prática letiva apenas no âmbito da ADD

Acompanhamento e supervisão da prática letiva

2.3. Monitorização e avaliação das aprendizagens

  • Diversificação das formas de avaliação
    • Utilização das várias modalidades de avaliação designadamente a formativa
    • Diversificação dos instrumentos de avaliação
    • Testes, relatórios, ensaios, portefólios, apresentações orais etc
  • Aferição dos critérios e dos instrumentos de avaliação
    • Elaborados pelos grupos disciplinares e monitorizados pelo CP
    • Elaboração de testes iguais ou com a mesma matriz
    • Adesão ao projeto dos testes intermédios do GAVE
  • Eficácia das medidas de apoio educativo
  • Prevenção da desistência e do abandono
    • Criação de turmas CEF e Cursos Profissionais
    • Projeto EPIS, turma PIEF

Ano

Nº alunos com APA ou A. Móvel

Transitaram de ano

Eficácia



27

27

100%



23

23

100%



34

26

76%

3. Liderança e Gestão

3.1. Liderança

3.2. Gestão

3.3. Autoavaliação e melhoria


3.1. Liderança

    • Promove-se a necessidade de vestir a camisola da Escola
    • Comemora-se na Escola datas importantes com momentos de convívio
    • São atribuídos pela Escola prémios aos alunos em momentos solenes

Visão estratégica e fomento do sentido de pertença e de identificação com a Escola
    • Delegação formal de competências nas várias estruturas
    • Delegação formal de competências nos elementos da direção
    • Delegação formal de competências nos chefes e coordenadores

Valorização das estruturas intermédias
    • Projeto do centro de recursos educativos e formação de Sesimbra
    • Projeto do centro recursos para a inclusão com a Cercizimbra
    • Parcerias com várias instituições, CMS, Centro de Saúde, Rotary Club, Empresas etc

Desenvolvimento de projetos, parcerias e soluções inovadoras
    • Exercício de uma gestão de proximidade em que se privilegia o diálogo e a negociação.

Motivação das pessoas e gestão de conflitos
    • Mobilizamos vários recursos como os serviços da CMS, Bombeiros, Proteção civil, Biblioteca Municipal, Sesimbra FM, Jornal de Sesimbra. Temos tido também vários projetos financiados.

Mobilização dos recursos da comunidade educativa

3.2. Gestão

    • Docentes: privilegia-se a cont. pedagógica e a formação de equipas de ano
    • Pessoal não docente: privilegia-se as comp. específicas e alguma rotatividade
    • Tem-se em conta a competência e a aceitação das pessoas na atrib. de cargos

Critérios e práticas de organização e afetação dos recursos e distribuição de serviço
    • Tem-se em conta as opções dos alunos e procura-se que fiquem com alguns colegas anteriores
    • Procura-se formar turmas heterogéneas e não turmas de bons e maus alunos
    • Elaboram-se horários desencontrados por ano de escolaridade

Critérios de constituição dos grupos e das turmas, de elaboração dos horários
    • No caso dos docentes processo decorreu com normalidade embora tenha gerado mau estar
    • No caso do pessoal não docente o processo está estabilizado não tendo gerado conflitos

Avaliação do desempenho e gestão das competências dos trabalhadores
    • Estrutura intermédia apenas com competências na formação contínua
    • Valorização do trabalho cooperativo entre docentes para o desenvolvimento profissional

Promoção do desenvolvimento profissional
    • E-mail institucional, Plataforma Moodle, Site, Página no Facebook, Sesimbra FM e Jornal

Eficácia dos circuitos de informação e comunicação interna e externa

3.3. Autoavaliação e melhoria

    • Processo de autoavaliação interna assumido pela comunidade com naturalidade
    • Identificação das áreas a melhorar e constituição de equipas para a sua implementação

Coerência entre a autoavaliação e a ação para melhoria
    • Foram implementadas algumas medidas como o QVME e a elaboração anual de PFE

Utilização dos resultados da avaliação externa na elaboração dos planos de melhoria
    • Foram incluídas na equipa de autoavaliação, alunos, pais, funcionários e amigo crítico
    • Foram apresentados os resultados à comunidade e envolveram-se pessoas nas AM

Envolvimento e participação da comunidade educativa na autoavaliação
    • Os resultados são monitorizados em todos os períodos letivos e no final do ano
    • Os ciclos de AI têm decorrido em períodos de 2 anos e envolvem os 9 critérios da CAF

Continuidade e abrangência da autoavaliação
    • Está assumido pela comunidade como necessário o processo de autoavaliação para a melhoria dos resultados
    • Está criada uma estrutura intermédia para tratar exclusivamente do processo de autoavaliação

Impacto da autoavaliação no planeamento, na organização e nas práticas profissionais

3.3. Autoavaliação e melhoria

3.3. Autoavaliação e melhoria


Escola Secundária de Sampaio

Por uma escola inclusiva de qualidade



APRESENTAÇÃO DA ESCOLA

01.FEV.12

Avaliação Externa 2012


Compartilhe com seus amigos:


©historiapt.info 2019
enviar mensagem

    Página principal