Escatologia bíblica o que é Escatologia?



Baixar 166.29 Kb.
Página10/37
Encontro17.03.2020
Tamanho166.29 Kb.
1   ...   6   7   8   9   10   11   12   13   ...   37
Leiamos:

Dn 1:3; (aqui começa o cativeiro de 70 anos de Judá, predito em (Jr 27:6)).


Lemos em Dn 2:1, que após um ano no palácio, Daniel ainda cursava os ensinos babilônicos, quando isso aconteceu... sinal que Deus usa quem está estudando...
Agora o rei tivera um sonho..., que esqueceu..., que o fez perder o sono... é Deus quem dá, e quem tira o sono, seja rei, ou plebeu.

Já que todos os sábios, astrólogos, adivinhos, magos, encantadores, os caldeus, não conseguiam decifrar o enigma, Daniel resolveu colocar nas mãos do Deus todo poderoso. Chamou os amigos para orar (Dn 2:17-23), como é bom ter amigos que oram, Deus atende com mais urgência as orações unânimes... E foram orar.


O Deus que tudo pode, onde o querer e o efetuar está em suas mãos, deu o entendimento do sonho a Daniel, e este o passou ao rei (Dn 2:29-35).


O sonho profético (Dn 2:36-43).


Na interpretação do sonho, aparece uma enorme estátua, nela está predita o futuro da história das nações, do “tempo dos gentios’’, começando por Nabucodonosor até ao final da vinda de Jesus.


Estão representados na estátua os quatro últimos impérios mundiais, até a vinda de Cristo. E o futuro do mundo gentílico (Dn 2):


Babilônia (cabeça de ouro) 2:32,37,38;


Medo-Pérsa (peito e os braços de prata) 2:32,39;


Grécia (ventre e os quadris de bronze) 2:32,39;


Roma (pernas de ferro, e os pés parte de ferro; parte de barro, Dn 2:35,40-43);


Alguns pormenores interessantes:


Deus não trata com incrédulos. Depois, as coisas de Deus, somente os santos compreendem.


Foi Deus quem decretou, que dali em diante haveria apenas quatros impérios mundiais, até a consumação do “tempo dos gentios”.

Que o último império humano seria o Romano (pernas de ferro, pés de barro e ferro). O mais longo da história que, aliás, abrange até nossos dias.


As duas pernas simbolizam o governo romano que já existiu sendo o ocidental (capital Roma que caiu em 476 d.C), e o oriental (capital Constantinopla que caiu em 1453 d.C).


Que o barro e o ferro não se misturam, significam que não haverá nações unidas, o ferro é ditatorial, o barro a democracia (o povo).


Os dez dedos dos pés da estátua simbolizariam dez reinos como forma ou expressão final do império romano nos últimos dias. “Dn 2:44... mas nos dias destes reis...’’ e estes dez reis também corresponderiam aos dez chifres do quarto animal (Dn 7:24), e aos dez chifres da besta do apocalipse (Ap 13:1; 17:3). Trata-se de um poder político que existiu, e que no presente não existe, mas, que voltará a existir. (Ap 17:8 “era, e não é, e está para emergir’’). Na forma dos dez dedos ainda não existiu, somente na forma das duas pernas.


A pedra que derrubará a estátua esmiuçando-a dando fim ao governo humano que foi cortada sem auxilio de mãos é “JESUS’’ o único que tem poder para derrubar o império do mal e governar para sempre.


A crescente inferioridade dos metais na estátua nos mostra a degradação moral, e política do mundo, que vai piorar cada dia mais.


A estátua começou grande, como um colosso, mas acabará em pó, esmiuçada. A pedra era pequena, e encherá toda a terra (Dn 2:35).


As nações gentílicas não findarão pacificamente. Mas, de maneira violenta e catastrófica, na guerra do Armagedom.


Terminando os quatro impérios humanos, viria no final através da colisão da pedra no pé da estátua, um novo reino não mais humano. Este virá do céu sem intervenção humana. (Dn 2:44,45). Reino Milenar de Cristo.


Para o entendimento mais abrangente deste estudo precisamos compreender como foi também o sonho dado por Deus a Daniel (Dn 7:1-8 ).


As setentas semanas de anos (7x70 = 490), na visão de Daniel .


(o decreto de Deus para os judeus). (Dn 9:24)


A outra também importante visão de Daniel está no capitulo nove, onde Deus revelou a Daniel o futuro do povo de Israel.

Se não entendermos bem esta profecia, das setenta semanas de Daniel, tampouco entenderemos o sermão da montanha (Mt 24), e muito menos o livro do apocalipse (6 ao 22), pois este abrange e confirma o que Deus deu a Daniel. E como executaria.


Nas contagens de Daniel o cativeiro de Israel em Babilônia, de 70 anos já havia terminado, pois lendo os livros de (2Cr 36:21; Jr 25:11,12), dava a contagem certa, e o rei já estava castigado. E no calendário profético dos judeus não pode ser a mais, nem a menos, e sim exato. Então ao invés de sair para a briga como seria o normal para muitos crentes, foi Daniel orar ao Senhor para que cessasse aquele cativeiro, pois fora o próprio Deus que ordenara ao rei Nabucodonosor que aprisionasse a Israel pelo não cumprimento do ano sabático, ano de descanso da terra (já passara 500 anos de monarquia e o povo judeu não cumprira o que está determinado em Lv 25:3-5). Então Daniel queria a resposta de Deus.


Deus mandou um emissário, o anjo Gabriel com a resposta, após 21 dias de oração (Dn 10:13).

Após Arcanjo Miguel vir e lutar contra as potestades, e deixar Gabriel passar.
Se Daniel esperava o repatriamento imediato, Deus queria continuar com o propósito de fazer o povo judeu entender que somente há um Deus que governa. E assim decretou para Daniel o seu plano, e o que Ele desejava fazer com o povo judeu.

9:24 -“Setenta semanas estão determinadas sobre o teu povo e sobre a tua santa cidade, para extinguir a transgressão, e dar fim aos pecados, e expiar a iniqüidade, e trazer a justiça eterna, e selar a visão e a profecia, e ungir o Santo dos santos.


9:25- Sabe e entende: desde a saída da ordem para restaurar e para edificar Jerusalém, até ao Messias, o Príncipe, sete semanas e sessenta e duas semanas; as ruas e as tranqueiras se reedificarão, mas em tempos angustiosos.


9:26- E depois das sessenta e duas semanas, será tirado o Messias e não será mais; e o povo do príncipe, que há de vir, destruirá a cidade e o santuário, e o seu fim será com uma inundação; e até ao fim haverá guerra; estão determinadas assolações.


9:27- E ele firmará um concerto com muitos por uma semana; e, na metade da semana, fará cessar o sacrifício e a oferta de manjares; e sobre a asa das abominações virá o assolador, e isso até à consumação; e o que está determinado será derramado sobre o assolador’’.


O inicio do cumprimento das setentas semanas de Daniel, dividiremos em etapas:


1ªetapa - sete semanas de anos (49 anos), reconstrução de Jerusalém.


Em 445 a.C, o Rei Artaxerxes expediu um decreto para a reconstrução de Jerusalém entregue a Neemias (Ne 2), seu copeiro, seu provador, seu mordomo, estava triste, devido a desolação em que se encontrava Jerusalém, a terra de seus pais, providência de Deus que vela pela sua palavra. E assim após sete semanas (49 anos) de trabalhos, após muita luta, oposições e pelejas, a missão estava encerrada. Cumprindo assim também a primeira etapa da profecia de Daniel. E assim chegamos ao ano 397 a.C.

2ª etapa - 62 semanas de anos (434 anos), até a morte do Ungido.


Nesse período nasce o Messias, cumpre o seu ministério terreno e é morto. Neste período há muitas guerras.

*Os 434 anos (62 semanas de anos), vão desde o ano 397 a.C, até o dia da morte de Cristo (33 dC).


*Estamos aproximadamente no ano 33 d.C, já se cumpriram duas etapas da profecia de Daniel, (7 semanas + 62 semanas) = 69 semanas ou 483anos.
*** No ano 70 d.C ocorre a destruição de Jerusalém pelo general romano Tito, que descendo o monte das Oliveiras, surpreende os judeus, Jerusalém é destruída juntamente com o seu templo, e os judeus são espalhados pelo mundo (diáspora).

*Resta então ainda a última semana, ou 7 anos. Que será cumprida na grande tribulação.


*** Com a morte do Messias, Deus pára a contagem da profecia; esta última semana que resta, ficará para ser contada após o arrebatamento da Igreja. Agora Deus travou o relógio para os judeus, e abre a porta da salvação para os gentios, a oportunidade agora é para todos os que quiserem ser salvos, serem filhos de Deus. É somente aceitarem o sacrifício de Jesus... ...todo aquele que nele crê, terá vida eterna.

Estamos agora num intervalo de tempo, pois passaram 69 semanas de anos ou 483 anos e o relógio de Deus parou para os judeus. No momento exato quando o povo judeu rejeitou o Messias, crucificando-o, Deus travou o relógio para os judeus, e pelo acontecido foi aberta a porta para os gentios e todos quantos entenderem o sacrifício de Jesus, a sua morte de cruz, o alto preço pago pela salvação da humanidade. Todos poderão ser salvos, agora estamos na dispensação da graça


Deus não faz tratado com os judeus a mais de 2000 anos, a porta está aberta para todos, não tem mais privilégios, existe sim uma doutrina, a bíblia é a profecia de Deus para nós.

Mas, falta ainda uma semana, a última, a septuagésima. Mas agora a regra é outra, preferência única é a Igreja, aquele que foi rejeitado, crucificado, mas, que ressuscitou, e está no céu, com o nosso Deus, que é o criador de tudo, e sabe tudo, é quem regerá esse final, quer para os salvos, judeus e gentios.


Hoje estamos em 2007 juntamente com a Igreja, aguardamos o retorno de Jesus para buscar-nos. E então o destino mudou, a Igreja vai para o céu. E a última semana da profecia de Daniel terá inicio. Será a semana de tribulação.


3ª etapa - O que a bíblia revela sobre a última semana de Daniel:


A Igreja não estará mais aqui, e sim no céu com Jesus, nas Bodas do Cordeiro;
O Espírito Santo será retirado, junto com a Igreja;
Aqui na terra haverá muito pânico, e desespero, pois muita gente vai desaparecer, seremos raptados.

5 – O Surgimento do anticristo. (Ap 13:1)


A vida precisa continuar, vamos falar da tribulação, o Juízo de Deus vai ser derramado, mas agora inverte tudo, Deus vai tratar somente com os judeus;

Os demais moradores da terra sofrerão, com os juízos de Deus, afinal o evangelho foi pregado a toda criatura. Ninguém será inocente;


O mundo estará num caos total, social, político, físico, religioso, moral, econômico, onde ninguém se entenderá. Não haverá paz. O mundo da tribulação vai precisar de um super homem, que tenha poderes sobrenaturais para a solução dos problemas. Ou seja, estará criado então o momento sem igual na história para a manifestação do anticristo. Afinal, o mundo jaz no maligno. E agora tudo será dele.


A apostasia e o indiferentismo espiritual, bem como o espírito de desobediência, a anarquia e a escalada galopante da feitiçaria, fazem parte do preparo final do mundo, pelo diabo, para o reino de seu preposto, o anticristo. (2 Ts 2:3; 1Jo 2:18; 4:3; 2Jo 7)


Quando Deus enviou seu Filho Jesus a terra, ele preparou tudo para o recebê-lo. Assim cremos que a manifestação do anticristo não poderá ser de improviso. Imaginamos que o diabo (o dragão) seu deus, já está com tudo pronto só aguardando a partida da igreja. Creio que o palco já está armado. O anticristo já está por aí.


Mas quem será este homem, como será seu governo, como ele se apresentará como solução para tudo, de onde virá a solução, quem vai estar por trás dele?




Compartilhe com seus amigos:
1   ...   6   7   8   9   10   11   12   13   ...   37


©historiapt.info 2019
enviar mensagem

    Página principal