Entre memória e história: o sítio histórico terreiro de Pai Adão através da perspectiva de Pierre Nora “lugares de memória”



Baixar 73.06 Kb.
Pdf preview
Página5/9
Encontro17.06.2020
Tamanho73.06 Kb.
1   2   3   4   5   6   7   8   9
1- Exú

2- Ogum

3- Oxê-ossí (que é o mesmo Odé)

4- Otim

5- Iroco

6- Oxú-marí (arco-iris)

7- Abaluayê (S. Sebastião)

8- Nanan-burucú (encantada dagua, mai do

Abaluayê)

9- Yê-uá (outra encantada dagua)

10- Obá (N. S. dos Praseres, Santa Guerreira)

11- Oxum (dona da agua dôce)

12- Yemanjá (dona do mar)

13- Yamassí

14- Dadá

15- Baianênyn

16- Onanminhã (pai de Xangô)

17- Xerê

18- Xangô

19- Oyá ou Yamessan (Sta Barbara)

20- Orixá-lá (pai de todos os santos)

Na ocasião, mais precisamente no momento do toque,

realizado, nos dias atuais, no Sítio de Pai Adão, num ritual público-

religioso dedicado a um orixá específico, foram invocados e cantados

os seguintes Orixás, pela ordem:

1. Exu

2. Ogum

3. Odé

4. Obaluaê

5. Nanã



Ano 1 • N. 1 • jan./jun. 2010 - 51

6. Euá

7. Obá

8. Oxum

9. Yemanjá

10. Xangô

11. Yansã

12. Orixalá

Além destes orixás invocados no momento do toque, também

continua sendo preservado o culto ao Orixá Irokô e Olofinho. O

Orixá Iroko trata-se de uma árvore sagrada (gameleira). Segundo

informações colhidas com o pai de santo do terreiro:

Todo pé de gameleira é considerado refúgio das

almas. Tem uma época em que a mulher não pode

passar por perto de um pé de Irokô. Antigamente

todas as obrigações de Egum eram feitas no pé de

Irokô, por isso é que a mulher não chegava perto em

nenhuma época (CAMPOS, 1992).

Outro informante revelou-me que “O Irokô o que é? É a

obra da natureza. É o fenômeno da natureza. É a ávore de onde se

extrai a essência para que nós possamos adorar” (CAMPOS, 1992).

Tia Inês (Ifá Tinuké), ao vir para o Brasil, trouxe consigo

várias divindades, sob a forma de símbolos, imagens, objetos, inclusive

sementes. A respeito dessas sementes, a  Gameleira, que é venerada

como a divindade “Iroko”,acima mencionada, e um Baobá com mais

de um século de existência e 10m de diâmetro, (exemplar raro no

Brasil por serem mais comumente encontrada espécimes desse porte

nos locais de onde são nativas, na ilha de Madagascar, no continente

africano e na Austrália).

A casa se apresenta, em sua conjuntura política, como uma

grande comunidade de negros africanos e de seus descendentes, porém

aberta a outras raças. Com a morte de Tia Inês (Ifá Tinuké), ela passou

a ser liderada por Felipe Sabino da Costa (Ope Watanan), conhecido

por Pai Adão,sucessor de Tia Inês. Esse foi a maior personalidade da

história do Xangô do Recife, por seus poderes espirituais, por seu



52 • U

NIVERSIDADE

 C

ATÓLICA


 

DE

 P



ERNAMBUCO

conhecimento profundo dos fundamentos dos ritos, dos conhecimentos

estéticos e mitológicos da tradição, e do seu domínio no idioma Iorubá.

O Babalorixá atual é Manoel do Nascimento Costa, mais conhecido

como Manuel Papai, e a Iyalorixá é Maria do Bonfim (na nação Nagô-

Egbá sempre são duas pessoas que dirigem a casa: um Babalorixá e

uma Iyalorixá, ou seja, um pai e uma mãe-de-santo).

Assim sendo, voltamos para o eixo da nossa discussão.

Segundo Nora, a memória são fragmentos de histórias do passado, de

um cotidiano que já não existe e que são retidos para preparar o futuro.

Dessa forma, o Sítio Histórico de Pai Adão, que, mesmo nos momentos

de maiores dificuldades e das adversidades políticas e religiosas,

conseguiu manter quase intacta toda a tradição Nagô, trazida através

da Diáspora Negra durante o período colonial brasileiro que precedeu

a República, é de maneira contundente um espaço destinado à “lugar

de memória” das tradições religiosas de matrizes africanas.

Nesse caso, ao interpretarmos o referido Sítio como um lugar

de memória, estaremos valorizando e enfatizando, ainda mais, a história

e a resistência daqueles negros que, diferentemente das injurias que a

sociedade perpetrou à época (início do século vinte), ao acusarem de

fetichistas e de que ofereciam riscos à saúde pública com seus rituais

animistas, foram eles, valentes herdeiros de uma tradição, que lutaram,

de forma desprivilegiada, contra os governantes, os intelectuais e toda

a repressão da sociedade branca em questão, para manter viva e íntegra

suas memórias.

Também é objetivo nosso, neste estudo, analisarmos de que

forma o Terreiro de Pai Adão se enquadrou nos critérios de Patrimônio




Compartilhe com seus amigos:
1   2   3   4   5   6   7   8   9


©historiapt.info 2019
enviar mensagem

    Página principal