Entrando no clima



Baixar 15.6 Kb.
Encontro08.10.2019
Tamanho15.6 Kb.

UNIVERSIDADE ESTÁCIO DE SÁ

CURSO: HISTÓRIA EAD

DISCIPLINA: ASPECTOS ANTROPOLÓGICOS E SOCIOLÓGICOS

DA EDUCAÇÃO

PROFESSORA: SIMONE BARRETO MAGALHÃES

TUTOR: MAURO LEÃO

TÍTULO DA ATIVIDADE ESTRUTURADA:

“ENTRANDO NO CLIMA” UMA ANALISE SOCIOLÓGICA DAS RELAÇÕES ENTRE A SOCIEDADE E O MEIO AMBIENTE

ALUNO: NORMA DE ALMEIDA PEREIRA CORLOSKI

TURMA: 2017. 1 EAD

DATA: 28/04/2017

A ameaça de extinção do gado pantaneiro

Cientistas e criadores trabalham para salvar o gado pantaneiro, raça que sustentou as fazendas pantaneiras por séculos. Hoje é ameaçada de desaparecer.

Técnicos e criadores trabalham para salvar uma raça de gado típica do Pantanal. Ela é quase tão antiga quanto o Brasil e sustentou as fazendas por séculos. Entretanto hoje está ameaçada por desaparecer.

O gado Tucura ou Pantaneiro, como preferem os técnicos, suporta o calor intenso e terrenos encharcados do Pantanal.

Para evitar que o Tucura seja extinto a Embrapa e algumas universidades criaram núcleos de preservação da raça em Aquidauana, Mato Grosso do Sul, existe um rebanho com 150 animais puros. “Nós temos um trabalho muito interessante de localizar esses animais. Nós vamos lá, fazemos a coleta de sangue, fazemos uma análise do DNA, comprovamos que são pantaneiros e trazemos para a fazenda da universidade”, explica Marcos Vinícius Oliveira, professor e Zootecnista.

O professor descreve as características do animal que identifica o animal como sendo legítimo gado pantaneiro. Entretanto, o gado pantaneiro ainda não é oficialmente reconhecido como uma raça. O processo para o reconhecimento está em andamento no Ministério da Agricultura.

Seu Marcos um pantaneiro criador dessas raças e de outras mais, conta a sua trajetória familiar e sua expectativa em particular, pois desde sua infância convive com os inúmeros benefícios que o gado tem a oferecer tanto o leite quanto a carne. Para manter viva a raça pantaneira seu Marcos decidiu participar do projeto de conservação.

“Quando se pensa no lado de tempo, investimento e dinheiro pode ser aparentemente um mau investimento, mas quando se trata da história do país e a riqueza do Mato Grosso do sul, da história dos meus antepassados, isso, pra mim não tem preço, e até me emociono. É manter a memória viva do meu pai.”

A preservação da raça é importante, não apenas para livrá-la da extinção considerando sua fácil adaptação e o potencial. Portanto, o estudo e a parceria com a comunidade é primordial para o produtor ter seu valor de produção agregado ao sentimento de resgatar a sua identidade cultural.

Na ótica Weberiana, a sociologia é essencialmente hermenêutica, ou seja, ela está em busca do significado e dos motivos últimos que os próprios indivíduos atribuem as suas ações.

Quando o seu Marcos, o pantaneiro, nascido e criado no Pantanal indaga o motivo de participar do projeto, mesmo não sendo um investimento, em curto prazo, benéfico, pois é um gasto de tempo e dinheiro, ele esclarece que o objetivo principal não é o resgate da raça do gado pantaneiro e sim, a memória de sua família e seus costumes, embora o projeto, futuramente, também o trará um beneficio financeiro.

As análises de Weber também contemplam o papel do conhecimento cientifico no mundo moderno. O pensador entendeu que a ciência era um dos fatores fundamentais do processo de desencadeamento do mundo.

Do ponto de vista sociológico. Weber mostrou que a ciência faz parte de um processo histórico geral de racionalização e intelectualizarão da vida. Para Weber, a modernidade achava-se dilacerada por um conflito de valores- na linguagem de Weber- pela guerra dos Deuses- e a escolha do sentido último da vida era uma responsabilidade pessoal que não podia ser creditada a ciência.

O trabalho minucioso que a universidade faz para resgatar uma raça que, outrora, foi considerada sustento de fazendas de criação e devido aos conflitos existentes durante os séculos está quase sendo dizimada é, portanto, de suma importância para o desenvolvimento não só do estado do Mato grosso como também do Brasil.

Ao saber cientifico cabe a explicação e os mecanismos de funcionamento do mundo e não a determinação do ser verdadeiro, da verdadeira natureza, ou mesmo da verdadeira felicidade.

Mas apesar de retirar o sentido último do mundo, Weber destacou que a ciência contribui com a vida do indivíduo, ao oferecer-lhes meios de domínio prático da realidade, a capacidade de avaliar meios e fins e, acima de tudo, clareza; ou seja, meios para pensar de forma lógica, sistemática e clara.

Para Weber o capitalismo é um fenômeno que atravessa a história, pois a busca o lucro já pode ser localizada nas sociedades primitivas e antigas nas grandes civilizações e mesmo nas sociedades não ocidentais.

Concluindo então, o pensamento de Seu Marcos, embora seja um criador e faça parte de uma sociedade capitalista, também busca através de sua participação, valorizar e construir um futuro que inclua o resgate de sua cultura e dos seus antepassados. Deste modo percebe-se que de uma forma geral seu Marcos, ainda que sendo um sujeito do mundo moderno, não racionalizou o seu pensamento em detrimento do capital, pois na sua subjetividade os valores que estão presentes em sua vida demonstram que a educação que lhe foi dada, de certa forma, privilegiava as relações humanas que foram desenvolvidas naquela comunidade da qual fazia parte. Portanto, o valor de seu Marcos não está ligado apenas ao valor de um homem bem sucedido em seus negócios e sim no seu valor enquanto ser humano, o que nos dimensiona a educação com base na pedagogia do cultivo que revela à ética e os valores que devem orientar os sujeitos em sua vida.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS



INTRODUÇÃO A MAX WEBER- MUNDO EDUCAÇÃO

O DUALISMO HOMEM NATUREZA E SUAS IMPLICAÇÕES À EDUCAÇÃO AMBIENTAL: AUTORA EDILEUZA DIAS QUEIROZ

G1.GLOBO.COM/ECONOMIA/AGRONEGÓCIOS/GLOBORURAL/NOTÍCIAS/2017/04 EDIÇÃO DO DIA 09/04/2017 ATUALIZADO EM 09/04/2017


Compartilhe com seus amigos:


©historiapt.info 2019
enviar mensagem

    Página principal