Ensino Fundamental II (Segundo Ciclo) e Ensino Médio pierre auguste renoir (1841-1919)



Baixar 4.7 Mb.
Página6/13
Encontro17.03.2020
Tamanho4.7 Mb.
1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   13
2ª Etapa: Conhecendo Renoir
Sugere-se que o (a) professor (a) faça aulas expositivas tratando da vida do artista e, em conjunto, exponha obras para acompanhar o percurso do mesmo. A proposta é projetar as obras tanto para a apreciação, quanto para a análise de alguns aspectos técnicos e de temática empregada pelo artista, bem como:



1) O que está sendo retratado? Qual o tema?

2) Qual foi a escolha de cores empregada?

3) Há mais de um plano na obra ou apenas a figura central se destaca?

4) Há começo, meio e fim na figura retratada?

5) Há linhas que demarcam bem o que está na tela?

6) Como muda a obra do artista ao longo do tempo?



Nascimento e primeiras experiências
Pierre Auguste Renoir nasceu em Limoges, interior da França, em 1841, filho de um alfaiate e de uma modista. Sua família se mudou para Paris em 1845 e foram morar perto do Louvre. Fizeram parte do grande êxodo do campo para a cidade, que ocorreu no período, buscando melhores condições de trabalho. Em 1848, Renoir tornou-se aprendiz de um pintor de azulejos, onde iniciou sua vida artística realizando cópias altamente técnicas em objetos de decoração.

Nesse momento, Paris e toda a Europa passavam por uma fase de industrialização e Renoir foi trabalhar em uma fábrica de decorações, onde fazia azulejos, leques e tecidos de temática religiosa. Incentivado pelo patrão, se matriculou na Escola de Bellas Artes em 1861, mesmo ano em que foi aceito para acompanhar o artista Charles Gleyre em seu ateliê. Por ser pobre, Renoir trabalhava de dia e a noite estudava, mas isso somente durou até que a indústria que trabalhava fosse mecanizada e ele deixou o trabalho fabril.

Na Escola de Bellas Artes, Renoir iniciou uma amizade com Claude Monet e com Alfred Sisley, além disso, todos eles se reuniram ao redor de Édouard Manet, artista da geração anterior que sofria duras críticas por ter eliminado a linha entre os objetos, mas que para eles era considerado um herói. Os artistas impressionistas tinham o hábito de ir ao Balneário de Grenouillère, onde faziam estudos sobre as cores e suas composições e retratavam banhistas, jogos e brincadeiras.

Apesar de próximo dessa geração, Renoir chegou a ter algumas de suas obras aceitas no Salão de Paris. Uma delas é “La Esmeralda”, de 1864. “Lise com a sombrinha”, no entanto, foi a primeira obra com o qual foi conhecido, atraindo críticas negativas e positivas em relação à forma como retratou o seu vestido. “Diana, caçadora”, foi outra obra que atraiu os críticos e foi também inspirado na mesma mulher que o anterior, de nome Lise.



“Lise com a Sombrinha” - Pierre Auguste Renoir, 1867.

Disponível em: https://www.wikiart.org/pt/pierre-auguste-renoir/lise-com-sombrinha-1867







“Diana, caçadora” - Pierre Auguste Renoir, 1867.

Disponível em: http://virusdaarte.net/renoir-diana-cacadora/
Renoir e os impressionistas:
Em 1870, Renoir foi convocado para a Guerra Franco-Prussiana, a qual nunca chegou a nenhuma batalha real, tendo sido afastado por uma doença antes mesmo de participar de qualquer ação. Isso o afastou um pouco do dia-a-dia dos impressionistas, já que ele deixou de frequentar os círculos. Ele, no entanto, participou das primeiras exposições realizadas pelo grupo. As pinturas abaixo são do começo dos anos 1870:




“Barcos a Vela em Argenteuil” - Pierre Auguste Renoir, 1874.

“O Baile no Moulin de la Galette” - Pierre Auguste Renoir, 1877.



Disponível em: https://pt.wikipedia.org/wiki/O_baile_no_moulin_de_la_Galette

“A Leitora” - Pierre Auguste Renoir, 1876.



Disponível em: http://marcosalvito.blogspot.com/2017/01/mire-e-veja-027-leitora-1874-pierre.html
Paralelo às obras impressionistas, Renoir realizava também trabalhos feitos por encomenda, de forma diferente de seus colegas. Além disso, o artista não gostava de ficar restrito a regras na sua arte. Gostava de pintar paisagens, mas se dedicou mais a pintar cenas do cotidiano de Paris e pessoas dançando ou em situações de prazer e hedonistas. Para ele, a questão mais importante era o retrato do belo, o prazeroso, retrava, portanto, muitas mulheres nuas e em poses consideradas, na época, sensuais.

“Madame Charpentier e seus filhos” - Pierre Auguste Renoir, 1878.



Disponível em: http://virusdaarte.net/renoir-madame-charpentier-e-seus-filhos/

“Retrato de Madame Henriot” - Pierre Auguste Renoir, 1876.

Disponível em: https://pt.wikipedia.org/wiki/Ficheiro:Pierre-Auguste_Renoir_-_Portrait_of_Madame_Henriot_.jpg




Compartilhe com seus amigos:
1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   13


©historiapt.info 2019
enviar mensagem

    Página principal