Ensino Fundamental II (Segundo Ciclo) e Ensino Médio pierre auguste renoir (1841-1919)



Baixar 4.7 Mb.
Página4/13
Encontro17.03.2020
Tamanho4.7 Mb.
1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   13

Para aprofundamento:


O livro “História da Arte”, de Graça Proença, é introdutório, voltado para professores e alunos.
PROENÇA, Graça. História da Arte. Editora Somos Educação: São Paulo, 2012.
Também é possível consultar Arnold Hauser.
HAUSER, Arnold. “VII. Naturismo e Impressionismo” in: História Social da Arte e da Literatura. Editora Martins Fontes: São Paulo, 2000.

Proposta de Trabalho:

1ª Etapa: A Belle Époque – Os Impressionistas no centro da Europa



Estabilidade: a Belle Époque
O período conhecido como a “Bela Época” francesa é o primeiro período de estabilidade política e social no país e em toda a Europa, em cerca de quase um século. Ela coincidiu com o início da “Terceira República Francesa” e durou até a Primeira Guerra Mundial.

O governo republicano francês implantou a Constituição Francesa de 1875, na qual retomou grande parte dos ideais dos revolucionários de 1879, como a separação da Igreja e do Estado, a formação do Parlamento e as liberdades civis. Favoreceu a formação de indústrias e criou universidades. Por outro lado, o crescimento do período também está alicerçado na invasão e domínio de territórios africanos através do processo de “Neocolonização” referendado a partir da Conferência de Berlim, em 1885, que garantiu a paz entre os europeus as custas da guerra com os africanos.

Nesse momento, Paris era o centro cosmopolita da Europa e levava sua influência também para países americanos, como o próprio Estados Unidos. Era de lá que saíam as tendências da arte e da literatura, da moda e da música no mundo ocidental. As inovações tecnológicas e o progresso material, como a invenção do telefone, do telégrafo sem fio, do cinema e da fotografia, dos automóveis e o próprio avião – Santos Dumont circulou a Torre Eiffel no primeiro voo da história da humanidade em 1901 -atraíram diversos intelectuais e artistas para viver em Paris, conhecida como a “cidade-luz”. A capital francesa era também o centro do divertimento com a ampla existência de cabarés, teatros e óperas.

O momento em questão foi demarcado por um êxodo rural considerável, aumentando a população urbana, sobretudo a população pobre e trabalhadora que ia atrás de melhores condições de vida e buscava empregos em fábricas e indústrias. A industrialização também gerou maior consumo entre as classes dominantes e a classe média, que ia desde bens de consumo até o entretenimento.

Foi também um período de novas ideias e descobertas que influenciaram a forma de pensar e viver do povo europeu. O “Evolucionismo”, de Charles Darwin, o “Materialismo”, de Karl Marx e Friedrich Engels, os estudos sanitaristas e microbiológicos de Louis Pasteur, transformaram a ideia de matéria e de história.




Compartilhe com seus amigos:
1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   13


©historiapt.info 2019
enviar mensagem

    Página principal