Diretrizes curriculares da educaçÃo infantil da amauc campo de experiência: o eu, o outro, o nóS



Baixar 163.65 Kb.
Página1/15
Encontro01.11.2019
Tamanho163.65 Kb.
  1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   15

DIRETRIZES CURRICULARES DA EDUCAÇÃO INFANTIL DA AMAUC

CAMPO DE EXPERIÊNCIA: O EU, O OUTRO, O NÓS

Bebês (0 a 1 ano e seis meses)




Objetivos de aprendizagem
e desenvolvimento


Experiências de aprendizagem

  1. Perceber que suas ações têm efeitos nas outras crianças e nos adultos.




  1. Perceber as possibilidades e os limites de seu corpo nas brincadeiras e interações das quais participa.




  1. Interagir com crianças da mesma faixa etária e adultos ao explorar espaços, materiais, objetos, brinquedos.




  1. Comunicar necessidades, desejos e emoções, utilizando gestos, balbucios, palavras.




  1. Reconhecer seu corpo e expressar suas sensações em momentos de alimentação, higiene, brincadeira e descanso.




  1. Interagir com outras crianças da mesma faixa etária e adultos, adaptando-se ao convívio social.

  1. Ter respeitados, acolhidos, compreendidos e potencializados seus recursos comunicativos do choro, arrulhos, balbucios, olhares, imitação, gestos, expressões corporais e faciais em diferentes momentos do cotidiano;

  2. Receber cuidados, carinhos, toques, massagens, colo, aconchego, consolo e ser estimulada e encorajada a retribuir carinhos, toques, abraços;

  3. Conviver em espaço acolhedor, agradável, confortável, instigante, desafiador, seguro;

  4. Ter valorizada sua organização familiar por meio de fotos, relatos, participação da família em brincadeiras coletivas, etc, assim como conhecer, valorizar e respeitar as diferentes composições familiares dos colegas;

  5. Aprender a conviver respeitando a igualdade entre meninos e meninas de participar das brincadeiras, conviver, brincar.

  6. Apreciar, contemplar, interagir com foto e imagens de si mesmo, de outras crianças, da família, de pessoas da instituição, de pessoas de outros lugares, épocas, culturas, de momentos vividos na instituição;

  7. Ser chamada pelo nome como forma de ir significando a relação nome-criança-pessoa;

  8. Conviver, interagir e brincar com crianças da mesma idade, de outras idades, com professores e demais adultos, estabelecendo relações cotidianas afetivas e cooperativas;

  9. Participar da organização do espaço, expondo suas produções, dando pequenas ideias e colaborando na sua organização;

  10. Ter tempo suficiente e ser encorajada e estimulada para promover as trocas afetivas e cotidianas pelos olhares, gestos, toques, abraços, sorrisos, palavras, entre pares, com outras crianças e adultos;

  11. Receber estímulo, apoio, orientações e participar da resolução dos conflitos gerados pela convivência, afirmando as identidades, a solidariedade, a cooperação;

  12. Participar de brincadeiras e interações sem ter que passar longos períodos esperando a sua vez;

  13. Ter atendidas, reconhecidas e valorizadas suas necessidades de fome, sede, sono, alimentação, fisiológicas, de higiene e cuidados pessoais;

  14. Ter garantida uma transição casa-instituição de educação infantil de forma mais harmoniosa, tranquila e acolhedora possível;

  15. Ter respeitados seus pertences pessoais, brinquedos e objetos de apego, assim como o tempo para desapegar-se;

  16. Perceber na relação família e escola as atitudes de cooperação e complementaridade nas tarefas de cuidar e educar.

  17. Brincar de cuidar de bonecas, dos seus pertences, dos colegas, do ambiente, da natureza, dos espaços de brincar;

  18. Ter incentivo constante para ingestão de alimentos com sabores, odores e cores variadas, que proporcionem alimentação saudável e nutricional, não esquecendo da importância que a água tem para a saúde;

  19. Participar de momentos coletivos de alimentação, para que imitando as crianças mais velhas e interagindo com o professor possa ir desenvolvendo atitudes autônomas de se alimentar com apoio e posteriormente sozinha;

  20. Ter garantido momentos de sono em espaço aconchegante, ventilado, agradável;

  21. Ter garantidos outros espaços para brincar e interagir no caso de não dormir ou repousar;

  22. Ter autonomia para brincar livremente em espaços internos e externos e escolher colegas, brinquedos, cenários, objetos e enredos de brincadeiras.

DIRETRIZES CURRICULARES DA EDUCAÇÃO INFANTIL DA AMAUC

CAMPO DE EXPERIÊNCIA: CORPO, GESTOS E MOVIMENTOS

Bebês (0 a 1 ano e seis meses)





Compartilhe com seus amigos:
  1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   15


©historiapt.info 2019
enviar mensagem

    Página principal