Diretor responsável



Baixar 0.87 Mb.
Pdf preview
Página27/157
Encontro08.10.2019
Tamanho0.87 Mb.
1   ...   23   24   25   26   27   28   29   30   ...   157
REMUNERAÇÃO E BENEFÍCIOS

Durante o ano foi dado início ao processo de 

reestruturação do plano de cargos e salários. Os 

Abertura dos investimentos

Figura 9

ENERGIAS DO BRASIL




Mai.Jun/2007

21

principais objetivos são dotar a empresa de uma 



estrutura mais harmônica, enxuta e funcional, ga-

rantir a profissionalização da organização, alinhar 

o nível de competitividade em relação ao mercado, 

reter talentos e possibilitar a mobilidade nacional 

dos colaboradores.

Outra prioridade envolveu o mapeamento de 

competências a todo o nível gerencial, com a avalia-

ção de aproximadamente 180 gestores, com vistas a 

identificar, reter e desenvolver os talentos da organi-

zação. Simultaneamente, adotou-se nova sistemática 

de acompanhamento e avaliação do desempenho 

dos colaboradores de todas as empresas do grupo. 

O processo considera os resultados alcançados (pelo 

Grupo, empresas, áreas e individuais) e as competên-

cias demonstradas, com vinculação da remuneração 

variável ao desempenho. 

Também em 2006 foi criada a Enerprev – Previ-

dência Complementar do Grupo Energias do Brasil, 

para a gestão de planos de aposentadoria oferecidos 

a todos os colaboradores. A entidade entra em ope-

ração no primeiro trimestre de 2007. Também foi 

contratada nova operadora de saúde, com a oferta de 

planos de assistência médica, hospitalar e odontológi-

ca compatíveis com o mercado de trabalho, e estabe-

lecida nova modalidade de auxílio-medicamento. Os 

colaboradores têm acesso ainda a outros benefícios, 

como auxílio-refeição, auxílio-alimentação, auxílio-

creche e seguro de vida. 

No ano, a remuneração dos colaboradores, soma-

da a encargos e benefícios, totalizou R$ 339 milhões, 

dos quais 51 milhões são referentes a custos não 

recorrentes em função do PDV.



TREINAMENTO

Foram investidos R$ 3,3 milhões em programas 

de capacitação que proporcionaram a média de 127 

horas de treinamento por colaborador, 18,35 % acima 

da média do ano anterior. Com o Programa de In-

centivo à Educação Formal o grupo também custeia 

50% dos cursos de graduação e 80% dos cursos de 

pós-graduação. Em 2006, 213 colaboradores foram 

contemplados com o benefício.

Em outra frente é mantido o Programa de Estágio, 

com a finalidade de atrair talentos e complementar 

a formação educacional de estudantes do ensino téc-

nico e superior, que atuam em diversos setores por 

um período de seis a 24 meses. Em 2006, o quadro 

de estagiários do grupo foi de 126 estudantes.

Já o Programa Menor Aprendiz combina inclusão 

social com capacitação. Ele busca habilitar profissio-

nalmente adolescentes entre 16 e 18 anos de idade, 

oriundos de classes sociais menos favorecidas. Em 

2006, participaram do programa 119 adolescentes.






Compartilhe com seus amigos:
1   ...   23   24   25   26   27   28   29   30   ...   157


©historiapt.info 2019
enviar mensagem

    Página principal