Diretor responsável



Baixar 0.87 Mb.
Pdf preview
Página20/157
Encontro08.10.2019
Tamanho0.87 Mb.
1   ...   16   17   18   19   20   21   22   23   ...   157
Programa Luz Para Todos

As distribuidoras da Energias do Brasil avança-

ram durante o ano de 2006, cumprindo totalmente 

as metas de expansão acordadas no Luz para Todos

programa federal de eletrificação rural coordenado 

 Capacidade instalada e evolução projetada (MW)

2004

2005

2006(1)

2007

EDP Lajeado(2)

 249,5 

 249,5 


 249,5 

249,5


Energest

 161,1 


 161,1 

 210,6 


210,6

Cesa 


 58,5 

 58,5 


58,5

83,5


Costa Rica 

16,5 


 16,5 

16,5 


16,5 

Enersul (Porto Murtinho)

4,5

4,5


-

-

Pantanal Energética



 40,8 

 40,8 


 31,2 

31,20


Enerpeixe

-

-



 452,0 

452,0


Total

530,9  

530,9 1.018,3

1043,3

Capacidade instalada e evolução projetada (MW)

Tabela 3

ENERGIAS DO BRASIL




Mai.Jun/2007

17

pelo Ministério de Minas e Energia.



Na Bandeirante, o referido programa realizou 

3.842 ligações e investimento de R$ 10,3 milhões, 

em 2006. Com um total de 6.351 ligações realizadas 

no período 2004-2006, a empresa superou a meta de 

6.217 ligações acordadas com o MME e Aneel.

O Programa Luz para Todos da Escelsa realizou 

11.908 ligações e recebeu investimentos de R$ 52,6 

milhões, em 2006. No período 2004-2006, a Escelsa 

realizou um total de 23.126 ligações no âmbito do 

Luz para Todos, tendo cumprido plenamente a meta 

de 23.052 ligações acordadas com o MME e Aneel.

Em relação à Enersul, foram realizadas 9.860 

ligações e investidos R$ 76,49 milhões, sendo R$ 

71,19 milhões em redes novas e R$ 5,3 milhões em 

adequação de redes incorporadas no ano de 2006. 

Com isso, a companhia cumpriu a meta de ligações 

acordadas com o MME e Aneel, com um total de 

19.347 ligações nos anos 2004 a 2006.



GERAÇÃO

O potencial aumento da demanda por energia elé-

trica no mercado brasileiro torna estratégica a área de 

geração para o crescimento da Energias do Brasil. 

Os negócios de geração envolvem três empresas: 

Enerpeixe, que opera a Usina Hidrelétrica Peixe 

Angical e é controlada a 60% pelo grupo; EDP La-

jeado Energia S.A., que administra a participação de 

27,65% do capital votante e 23,05% do capital total 

na Usina Hidrelétrica Luís Eduardo Magalhães (La-

jeado); e a Energest, que detém 16 usinas nos Estados 

do Mato Grosso do Sul e do Espírito Santo.

Em junho entrou em operação comercial a 

primeira turbina da Usina Peixe Angical, no Rio 

Tocantins, construída em tempo recorde por meio 

de uma parceria com Furnas Centrais Elétricas. A 

obra foi concluída em setembro, 36 meses depois da 

retomada do empreendimento, em 2003. Com potên-

cia instalada de 452 MW, ela praticamente duplicou 

a capacidade de geração da Energias do Brasil, que 

encerrou 2006 com 1.018 MW.

Outras duas obras destacam-se em 2006, ambas 

no Estado do Espírito Santo: o reforço da potência 

da Usina Hidrelétrica de Mascarenhas (50MW), no 

Rio Doce, com a instalação de uma quarta máquina, 

cuja operação comercial iniciou-se em outubro de 

2006; e a Pequena Central Hidrelétrica (PCH) São 

João (25 MW), no Rio Castelo, cuja Licença de 

Operação foi obtida em fevereiro de 2007.

Está programado para 2007 o início da construção 

da PCH Santa Fé, em Alegre, também no Espírito 

Santo, com capacidade de 29 MW (energia assegu-

rada de 16 MW). O investimento é orçado em R$ 

105 milhões e a obra deverá ser finalizada no segundo 

semestre de 2008.

Os investimentos em geração somaram R$ 292,9 

milhões, em 2006 (R$ 700,8 milhões no ano ante-

rior), o correspondente a 35,3% dos recursos aplicados 

pela  Energias do Brasil no ano.

O volume total de produção em 2006 foi de 3.929 

GWh, crescimento de 42,6% em comparação aos 

2.756 GWh do ano anterior. A receita líquida do 

negócio de geração atingiu R$ 458,2 milhões, 164,6% 

mais do que 2005. Esse desempenho reflete a entrada 

em operação da UHE Peixe Angical.

PEIXE ANGICAL

Localizada entre os municípios de Peixe e São Sal-

vador do Tocantins, no estado do Tocantins, Região 

Norte do Brasil, a Usina Peixe Angical foi o primeiro 

empreendimento realizado em parceria com uma 

empresa controlada pelo governo federal. No ano, a 

produção de energia totalizou 1.881,36 GWh.

Executado pela Enerpeixe, empresa constituída 

pela Energias do Brasil (60% de participação) e 

Furnas Centrais Elétricas (40%), o investimento to-

talizou R$ 1,6 bilhão (moeda de dezembro de 2003) e 

recebeu financiamento de R$ 670 milhões do Banco 

Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social 

(BNDES) e bancos privados. Com três unidades 






Compartilhe com seus amigos:
1   ...   16   17   18   19   20   21   22   23   ...   157


©historiapt.info 2019
enviar mensagem

    Página principal