Da violncia



Baixar 0.75 Mb.
Pdf preview
Página19/20
Encontro11.02.2022
Tamanho0.75 Mb.
#21556
1   ...   12   13   14   15   16   17   18   19   20
ARENDT, Hannah. Da Violência
1st die menschliche Agression unbefriedbar?, Munique, 1968. 

82 – von Holst, op. cit., p. 283: “Nicht, weil wir Verstandeswesen, sondem weil wir ausserdem ganz urtümliche 

Triebwesen sind, ist unser Dasein im Zeitalter der TechniA: gefiihrdet”. 

83 – Armas de longo alcance, vistas pelos polemologistas como havendo libertado os instintos agressivos do 

homem a ponto de não mais funcionarem os controles de salvaguarda da espécie humana (ver Tinbergen, op. 

cit.), são tidas por Otto Klineberg (“Fears of a Psychologist,” in Calderop. cit., p. 208) como uma indicação 

“de que a agressividade pessoal não desempenhava qualquer papel importante como uma razão para a 

guerra”. Os soldados, para prosseguir na discussão, não são assassinos, e os assassinos – que agem movidos 

pela “agressividade pessoal” não são provavelmente nem mesmo bons soldados. 

84 – Estou parafraseando uma sentença de Noam Chomsky (op. cit., p.371), que é muito bom em sua exposição 

da “fachada de preocupação e de pseudociência” e o “vácuo” intelectual por detrás de tudo isto, 

especialmente nos debates sobre a guerra do Vietnam. 

85 – ’Se se ler as publicações da SDS será possível verificar que têm eles freqüentem ente recomendado as 

provocações a policia como estratégia para ‘desmascarar’ a violência das autoridades.” Spender (op. cit p.92) 

 

69




comenta que esse tipo de violência “leva ao sentido duplo onde o provocador está desempenhando ao mesmo 

tempo os papéis de assaltante e vítima”. A guerra contra a hipocrisia abriga um número de grandes perigos, 

alguns dos quais examinei brevemente em On Revolution, Nova Iorque, 1963, pp. 91-101. 

86 – Ver apêndice XV, p. 57 87 – Fanon, op. cit., p. 47. 

88 – J. G1enh Gray, The Wamors (Nova Iorque, 1959), é altamente perceptivo e instrutivo esse ponto, deveria ser 

lido por todos interessados na prática da violência. 

89 – Fanon, op. cit., pp. 85 e 93, respectivamente. 

90 – Sorel, op. cit. capítulo 2, “On Violence and the Decadence of the Middle Classes.” 

91 – “Introduction, Letter to Daniel Helevy”, IV 

92 – Ibidem, capítulo 7, “The Ethics of the Producers,” I. 

93 – Ibidem, capítulo 4, “The Proletarian Strike”, II. 

94, – Ibidem. ver especialmente capítulo 5, III, e o capítulo 3, “Prejudices against Violence”, III. 

95 – Ibidem. Apêndice 2, “Apology for Violence”. 

96 – Isto foi enfatizado recentemente por Barbara Deming em seu apelo pela ação não-violenta “On Revolution 

and Equilibrium”, in Revolution: Violent and Nonviolent, republicado de Liberation, fevereiro, 1968. Afirma ela 

a respeito de Fanon, na página 3: “É minha convicção que é possível citá-lo também como autor que faz um 

apelo pela não-violência... Todas as vezes em que encontrar a palavra ‘violência’ em suas páginas, substitua-

a pela expressão ‘ação radical e não comprometedora’. Sustento que com a exceção de algumas poucas 

passagens, essa substituição pode ser feita e que a ação que ele sugere poderia bem ser ação não-violenta.” 

Ainda mais importante para os meus propósitos: Mais Deming tenta também distinguir claramente entre o 

poder e a violência, e reconhece que a “subversão não-violenta” significa “exercer a força ... Recorrendo até 

mesmo ao que só se pode chamar de força física” (p.6). Entretanto, ela curiosamente subestima o efeito 

dessa força de subversão, que só não chega a ser a violência física, ao dizer: “os direitos humanos do 

adversário são respeitados” (p. 7). Apenas o direito à vida do adversário, e nenhum dos demais direitos 

humanos, é realmente respeitado. O mesmo se pode dizer daqueles que advogam “a violência contra objetos” 

em contraposição à “violência contra pessoas”. 

97 – Citado do instrutivo ensaio de S. E. Finer “Pareto and Pluto-Democracy: The Retreat to Galapagos,” in The 


Baixar 0.75 Mb.

Compartilhe com seus amigos:
1   ...   12   13   14   15   16   17   18   19   20




©historiapt.info 2022
enviar mensagem

    Página principal