Curso de medicina bruno pereira dantas laura eliza r



Baixar 6 Mb.
Página1/2
Encontro12.12.2019
Tamanho6 Mb.
  1   2

UNIVERSIDADE POTIGUAR

PRÓ-REITORIA ACADÊMICA

ESCOLA DE SAÚDE

CURSO DE MEDICINA

BRUNO PEREIRA DANTAS

LAURA ELIZA RÊGO

RENATA SYNARA SOUZA SALDANHA

RYWKA TENENBAUM MEDEIROS GOLEBIOVSKI

RUANA BENTO PIRES

PROJETO DE INTERVENÇÃO NO BAIRRO DE MONTE CASTELO

Agente Comunitário de Saúde: “Cuidar é preciso!”

Orientador: Dr. Flávio Bastos Pinto

NATAL/RN - 2014

RESUMO: Diante da necessidade crescente e da ampliação constante que ocorre atualmente na estratégia de saúde da família (ESF), torna-se cada mais evidente um dos componentes da equipe: O agente comunitário de saúde (ACS). Sabe-se que este representa um elo entre a equipe multiprofissional e a comunidade, sendo dessa forma, peça fundamental para um bom funcionamento de toda a ESF. Na rotina diária desse serviço pode-se perceber uma série de problemas referentes a esses profissionais, os quais podem ser descritos tanto no âmbito da sua qualificação quanto em relação a sua qualidade de vida. Todo esse quadro reflete em uma série de profissionais inseguros em relação as suas atividades, vulneráveis a diversos ambientes e doenças as quais não possuem informação básica que lhe permita fazer qualquer abordagem inicial. Além disso, foi evidenciado entre esse grupo, uma importante prevalência de doenças crônicas, como Hipertensão arterial sistêmica, Diabetes Mellito e Asma, as quais se encontram muitas vezes descompensadas. O estudo em questão tem como objetivo compreender o perfil de saúde dos ACS, assim como realizar um trabalho de educação permanente com os mesmos em uma UBS localizada no bairro de Monte Castelo no município de Parnamirim-RN. Para tal intuito, foi realizada em um primeiro momento, palestra motivacional, sendo exposto a importância, história e função dos ACS. Além, disso foi realizada uma pesquisa qualitativa com os profissionais através de um questionário que visava avaliar a sua qualidade de vida e as relações estabelecidas entre eles e os demais componentes da equipe. Em um segundo momento, foi realizada nova convocação dos Agentes para que os mesmos pudessem esclarecer as mudanças ocorridas, assim como relatar os principais problemas e dúvidas que se mantiveram. Baseado nesse relato, foi organizado um cronograma de palestras e atividades que visam qualificar, prestar assintência e valorizar os ACS na ESF e na sociedade.

PALAVRAS-CHAVE: Educação permanente, Saúde do trabalhador, Valorização,Motivação.



ABSTRACT: In face of growing need and the actual constant expansion in the family health strategy (ESF), becomes each day more important a component of the team: The community health agent (CHA). It is a link between the multidisciplinary team and the community, and thus, key piece for a good functioning of the whole ESF. In the daily routine of this service can see a number of problems related to these professionals, which can be described either as part of their qualification and in relation to their quality of life. All this framework reflects in a series of unsecured professionals regarding their activities, vulnerable to various work places and diseases which do not have basic information that allows you to make any initial approach. Furthermore, it was evident among this group, a significant prevalence of chronic diseases, such as systemic hypertension, diabetes mellitus and asthma, which are often uncompensated. This study aims to understand the health profile of ACS, as well as conduct a continuing education work with them in a UBS located in Monte Castelo neighborhood in Parnamirim City/RN. For this purpose, in the first moment was realized motivational speech, where the importance of the history and function of the ACS was exposed. In addition, a qualitative research with professionals through a questionnaire that aim their quality of life and the relationships established between them and the other team members was held. In a second step, the new call agents was made to clarify the changes that have occurred, as well as report the main problems and questions that remained. Based on this report, it was organized a schedule of lectures and activities to qualify, provide assistance and value the ACS in the ESF and in the society.

INTRODUÇÃO

O Agente Comunitário de Saúde (ACS) surgiu no Brasil em alguns estados do Nordeste, na década de 1970. No entanto a disseminação da ideia foi em 1991, com o Programa de Agentes Comunitários de Saúde – PACS. A Princípio, o programa focalizava a mortalidade materna- infantil, posteriormente expandindo para o apoio à organização da atenção básica em saúde. Em 1994 o Ministério da Saúde (MS) anunciou a criação do Programa Saúde da Família (PSF), atualmente Estratégia Saúde da Família (ESF), ao qual o PACS foi incorporado.

A categoria profissional do ACS foi instituída em 2002 por meio da Lei Nº 10.507, que caracteriza este profissional “pelo exercício de atividade de prevenção de doenças e promoção da saúde, mediante ações domiciliares ou comunitárias, individuais ou coletivas.” (BRASIL, 2002)

NA ESF, o trabalho das equipes é um dos elementos-chave no cenário da atenção básica à saúde no Brasil, sendo o ACS um personagem importante no fortalecimento do SUS, o qual assume uma posição bidirecional; uma vez que atua como elo entre a comunidade e os demais membros da equipe. Ele quem oferece à equipe as informações necessárias a respeito do contexto da comunidade, e detectam também situações de risco.

A Portaria nº 648/GM de 28 de março de 2006 estabelece as atribuições do ACS: ações desenvolvidas que busquem a integração entre a equipe de saúde e da população; adscrição das famílias da microárea, desenvolver ações educativas permanentes para promover saúde e a prevenção das doenças; conforme o planejamento da equipe; cadastrar todos os indivíduos da microárea; orientar as famílias sobre os serviços de saúde; desenvolver atividades de promoção da saúde, de prevenção das doenças e de agravos, e de vigilância à saúde, por meio de visitas domiciliares e de ações educativas individuais e coletivas nos domicílios e na comunidade, mantendo a equipe informada, principalmente a respeito daquelas em situação de risco; acompanhar, por meio de visita domiciliar, todas as famílias e indivíduos sob sua responsabilidade; cumprir com as atribuições atualmente definidas para os ACS em relação à prevenção e ao controle da malária e da dengue.

Ao refletir sobre o trabalho do ACS e a proposta de atuação no PACS/PSF pudemos observar que não lhes são oferecidos uma supervisão ou suporte para a continuidade e melhor desenvolvimento dos seus deveres. Portanto esses profissionais acumulam responsabilidades, frustração e insatisfação com o trabalho.

Diante de tamanha importância, nenhum apoio ou recursos para atuarem com eficácia em sua comunidade. Esse trabalho propõe um trabalho de educação permanente que complemente o conhecimento desses profissionais e retire possíveis dúvidas sobre as situações de risco e patologias presentes na comunidade. Assim como a avaliação da qualidade de vida desses agentes.

OBJETIVO

Valorizar assim como promover qualificação profissional, educação permanente e qualidade de vida ao Agente comunitário de saúde(ACF) visando motivá-lo e fortalecer o seu vínculo com os demais componentes da equipe e da sociedade.



METODOLOGIA

O trabalho foi realizado em dois momentos distintos. A primeira parte foi realizada em Maio de 2014, com a aplicação de Questionário para avaliação da qualidade de vida e da saúde para cinco agentes comunitários da equipe da Unidade de Saúde de Monte Castelo. Trata-se de um questionário validado para a língua Portuguesa que possui 4 domínios avaliados: Domínio da saúde(D1), Domínio da atividade física (D2), Domínio do ambiente ocupacional (D3) e Domínio da percepção da QV(D4).Foi realizado nesse mesmo momento palestra motivacional, sendo exposto a importância, história e função dos Agentes comunitário de saúde (ACS), assim como a abordagem do tema Alzheimer. A segunda parte foi realizada em Agosto de 2104 com nova convocação dos Agente, os quais relataram os problemas, dúvidas, assim como as melhorias observadas no ambiente de trabalho. Baseado nesse relato, foi organizado um cronograma de palestras, o qual encotra-se exposto abaixo.



CRONOGRAMA




Compartilhe com seus amigos:
  1   2


©historiapt.info 2019
enviar mensagem

    Página principal