Componente curricular


MAIS ATIVIDADES NÃO ESCREVA NO LIVRO



Baixar 3.97 Mb.
Página24/438
Encontro29.10.2019
Tamanho3.97 Mb.
1   ...   20   21   22   23   24   25   26   27   ...   438
21

MAIS ATIVIDADES



NÃO ESCREVA NO LIVRO

1. (ENEM/MEC) [...] Depois de longas investigações, convenci-me por fim de que o Sol é uma estrela fixa rodeada de planetas que giram em volta dela e de que ela é o centro e a chama. Que, além dos planetas principais, há outros de segunda ordem que circulam primeiro como satélites em redor dos planetas principais e com estes em redor do Sol. [...] Não duvido de que os matemáticos sejam da minha opinião, se quiserem dar-se ao trabalho de tomar conhecimento, não superficialmente mas duma maneira aprofundada, das demonstrações que darei nesta obra. Se alguns homens ligeiros e ignorantes quiserem cometer contra mim o abuso de invocar alguns passos da Escritura (sagrada), a que torçam o sentido, desprezarei os seus ataques: as verdades matemáticas não devem ser julgadas senão por matemáticos.

(COPÉRNICO, N. De Revolutionibus caelestium.)

Aqueles que se entregam à prática sem ciência são como o navegador que embarca em um navio sem leme nem bússola. Sempre a prática deve fundamentar-se em boa teoria. Antes de fazer de um caso uma regra geral, experimente-o duas ou três vezes e verifique se as experiências produzem os mesmos efeitos. Nenhuma investigação humana pode se considerar verdadeira ciência se não passa por demonstrações matemáticas.

(VINCI, Leonardo da. Camets.)

O aspecto a ser ressaltado em ambos os textos para exemplificar o racionalismo moderno é:

a) A fé como guia das descobertas.

b) O senso crítico para se chegar a Deus.

c) A limitação da ciência pelos princípios bíblicos.

d) A importância da experiência e da observação.

e) O princípio da autoridade e da tradição.

Resposta correta: d.

2. (UFGD-MS) Localizada próximo às ilhas Marianas, no oceano Pacífico, a Fossa das Marianas é considerada o local mais profundo dos oceanos, atingindo cerca de onze quilômetros de profundidade. Usando adequadamente a notação de potencia de dez, qual das opções a seguir equivale à mesma profundidade?

a) 1,1 ∙ 103 m

b) 1,1 ∙ 106 cm

c) 1,1 ∙ 102 dm

d) 1,1 ∙ 1012 mm

e) 1,1 ∙ 103 hm

Resposta correta: b.

3. (UFPR) Sobre grandezas físicas, unidades de medida e suas conversões, considere as seguintes igualdades:

1 - 3.000 m3 = 30 litros

2 - 0,206 m2 = 2.060 cm2

3 - 180 km/h = 50 m/s

4 - 2 dias = 172.800 s

5 - 2,5 ∙ 108 g = 250 toneladas

Estão corretos os itens:

a) 1, 2, 3 e 4 apenas.

b) 2, 3, 4 e 5 apenas.

c) 1, 2, 3, 4 e 5.

d) 2 e 5 apenas.

e) 1, 3 e 4 apenas.

Resposta correta: b.

4. (UFPE) Um estudante de Física aceita o desafio de determinar a ordem de grandeza do número de feijões em 5 kg de feijão, sem utilizar qualquer instrumento de medição. Ele simplesmente despeja os feijões em um recipiente com um formato de paralelepípedo e conta quantos feijões há na aresta de menor comprimento c, como mostrado na figura. Ele verifica que a aresta c comporta 10 feijões. Calcule a potência da ordem de grandeza do número de feijões no recipiente, sabendo-se que a relação entre os comprimentos das arestas é: a/4 = b/3 = c/1

CRÉDITO: Paulo César Pereira

Resposta: 104

5. (UERJ) Um evento está sendo realizado em uma praia cuja faixa de areia tem cerca de 3 km de extensão e 100 m de largura. A ordem de grandeza do maior número possível de adultos que podem assistir a esse evento, sentados na areia, é de:

a) 104

b) 105

c) 106

d) 107

Resposta correta: c.

22

A HISTÓRIA CONTA

Um peso e uma medida

Temos necessidade de medir quantidades desde os primórdios das civilizações. Os mesopotâmios e os egípcios estão entre os mais antigos povos a usar sistemas de pesos e medidas.

Outros povos, mais cedo ou mais tarde, também foram desenvolvendo padrões que servissem de referência para medir ou pesar quantidades. Durante a Idade Média, era comum que cada reino determinasse suas unidades de comprimento de acordo com as partes do corpo do rei. Assim, surgiram unidades como pé, braça e polegada. No entanto, à medida que um povo entrava em contato com outros, principalmente para comprar e vender mercadorias, a diferença de unidades causava problemas, visto que o comprimento do pé de um soberano muito provavelmente não seria o mesmo do de outro. Ainda que não se usassem as partes do corpo de uma pessoa como padrão, se cada cidade ou vilarejo adotasse a sua unidade arbitrariamente, a confusão estaria armada na hora de travar relações comerciais.

Até o final do século XVIII, as unidades de medida variavam de um lugar para outro. Mas, em 1790, a Assembleia Nacional Constituinte da França decidiu que deveria ser criado um sistema de medida que fosse simples, estável e uniforme. Então, a Academia de Ciências de Paris instituiu o Sistema Métrico Decimal como padrão. Vivia-se a época da Revolução Francesa, com seus ideais de liberdade, igualdade e fraternidade. Daí a ideia de criar um sistema universal, que servisse para o mundo todo. Surgiu, assim, o Sistema Internacional de Unidades (SI), que hoje é adotado por quase todos os países do mundo.

O quilograma e o metro são duas das unidades básicas que fazem parte do Sistema Internacional (outras unidades básicas são segundo, ampere, kelvin, mol e candela).

A unidade de massa escolhida pelos franceses foi o quilograma (kg), definido como a massa de um decímetro cúbico de água destilada a 4 °C (temperatura em que a água está em sua densidade máxima). Porém, no final do século XIX, construiu-se um cilindro constituído de uma liga de platina e irídio com massa de um quilograma para ser adotado como quilograma-padrão, abandonando-se a ideia de relacioná-lo com a água.

Quanto ao metro, ficou decidido que seria determinado com base nas dimensões da Terra, ou seja, seria relacionado a uma fração da circunferência do planeta: o comprimento da décima milionésima parte do quarto do comprimento do meridiano que passa por Dunquerque, na França, e por Barcelona, na Espanha.

LEGENDA: Os egípcios foram os primeiros a utilizar sistemas de pesos e medidas, principalmente na agricultura.

CRÉDITO: Séc. XVIII a.C. Afresco. Em Tumba de Mennah. Egito. Foto: Erich Lessing/Album Art/Latinstock

23

Atualmente, para que se tenha maior precisão, usa-se a luz como referência para a determinação do metro, que é definido como o espaço percorrido pela luz no vácuo durante o intervalo de tempo de

1/ 299.792.458 segundo.

Tanto o cilindro de platina quanto o metro-padrão universal podem ser encontrados no Bureau Internacional de Pesos e Medidas da França. Curiosamente, os Estados Unidos, além de Mianmar, Libéria, Jamaica e Gâmbia, não adotaram o SI. O Reino Unido, apesar de ter adotado oficialmente o SI, parece não ter a intenção de que este substitua completamente o seu sistema próprio, usado internamente.

LEGENDA: Representação da aplicação do Sistema Métrico na França, no fim do séc. XVIII.

CRÉDITO: 1800. Ilustração. Coleção particular. Foto: Jean-Loup Charmet/SPL/Latinstock

LEGENDA: Equipamentos do laboratório de Lavoisier, 1787.

CRÉDITO: Antoine-Laurent Lavoisier. 1787. Ilustração. New York Public Library. Foto: Photoresearchers/Latinstock

Agora responda


Catálogo: editoras -> liepem18 -> OBRAS%20PNLD%202018%20EM%20EPUB -> FÍSICA%201°%20AO%20%203°%20ANO%20-%20FTD
OBRAS%20PNLD%202018%20EM%20EPUB -> Cláudio Vicentino Bruno Vicentino Olhares da História Brasil e mundo
OBRAS%20PNLD%202018%20EM%20EPUB -> Caminhos do homem: do imperialismo ao Brasil no século XXI, 3º ano
OBRAS%20PNLD%202018%20EM%20EPUB -> Ronaldo vainfas
OBRAS%20PNLD%202018%20EM%20EPUB -> Oficina de história: volume 1
OBRAS%20PNLD%202018%20EM%20EPUB -> Gilberto Cotrim Bacharel e licenciado em História pela Universidade de São Paulo Mestre em Educação, Arte e História da Cultura pela Universidade Mackenzie Professor de História e advogado Mirna Fernandes
OBRAS%20PNLD%202018%20EM%20EPUB -> Geografia Espaço e identidade Levon Boligian, Andressa Alves 3 Componente curricular Geografia
OBRAS%20PNLD%202018%20EM%20EPUB -> Manual do professor
FÍSICA%201°%20AO%20%203°%20ANO%20-%20FTD -> Componente curricular


Compartilhe com seus amigos:
1   ...   20   21   22   23   24   25   26   27   ...   438


©historiapt.info 2019
enviar mensagem

    Página principal