Companhia Ambiental do Estado de São Paulo



Baixar 97.57 Kb.
Pdf preview
Página10/34
Encontro03.08.2021
Tamanho97.57 Kb.
1   ...   6   7   8   9   10   11   12   13   ...   34
4.3.7. Placas de Petri.

De plástico não tóxico, bem vedadas, de 49mm de diâmetro x 13mm de altura, estéreis.



4.3.8. Recipientes para preparação de meios de cultura.

Devem ser de vidro ou aço inoxidável, limpos e isentos de qualquer substância tóxica (nunca devem

ser de cobre).

4.3.9.  Termômetros.

Devem ter escala adequada ao uso e a coluna de mercúrio não deve apresentar interrupções.

Também podem ser utilizados termômetros eletrônicos digitais, desde que apresentem faixa,

sensibilidade e exatidão adequadas.



4.3.10.  Papel de filtro.

De forma circular, com 11cm de diâmetro, Whatman 40 ou 110, ou equivalente, para separar as

placas do ágar mCP durante a incubação anaeróbia.

5. Meios de Cultura e Soluções

5.1. Ágar mCP modificado

5.1.1. Fórmula:

Triptose.........................................................................................................................................30,0 g

Extrato de levedura.......................................................................................................................20,0 g

Sacarose..........................................................................................................................................5,0 g

L-cisteína ........................................................................................................................................1,0 g

Sulfato de magnésio heptaidratado (MgSO

4

 . 7H


2

O).....................................................................0,1 g

Púrpura de bromocresol................................................................................................................0,04 g

Ágar ..............................................................................................................................................15,0 g

Água destilada ............................................................................................................................ 900mL

pH final após esterilização:  ................................................................................................. 7,6 a 25º C



5.1.2. Preparo.

Pesar os componentes e acrescentar 900mL de água destilada fria. Deixar em repouso durante

aproximadamente 15 minutos. Aquecer em banho-maria, agitando freqüentemente, até a completa

dissolução do meio, tomando cuidado para que não seja atingida a temperatura de ebulição. Ajustar

o pH para 7,6.  Autoclavar a 121ºC durante 15 minutos. Após autoclavação, estabilizar a

temperatura do meio a 50ºC em banho-maria e adicionar os seguintes componentes:

a)  D-cicloserina ............................................................................................................................0,4 g

b)  Sulfato de polimixina ...........................................................................................................0,025 g

c)  Indoxil - 

β

 - D – glucosídeo



Dissolver 0,06g em 80,0mL de água destilada (solução 0,075%). Esterilizar por filtração. Adicionar

este volume ao meio preparado.




CETESB /L5.403 / junho/2004

8

d)  Difosfato de fenolftaleína



Preparar uma solução a 0,5% em água destilada e esterilizar por filtração.  Adicionar 20mL desta

solução ao meio preparado.

e)  Cloreto férrico hexaidratado (FeCl

3

 . 6H



2

O)

Preparar uma solução de cloreto férrico a 4,5%.  Esterilizar por filtração.  Adicionar 2mL desta



solução ao meio preparado.

A seguir, distribuir assepticamente volumes de 4 – 4,5mL em placas de Petri de 49mm x 13mm,

estéreis.



Compartilhe com seus amigos:
1   ...   6   7   8   9   10   11   12   13   ...   34


©historiapt.info 2019
enviar mensagem

    Página principal