Cláudio Vicentino Bruno Vicentino Olhares da História Brasil e mundo



Baixar 2.9 Mb.
Página44/563
Encontro08.10.2019
Tamanho2.9 Mb.
1   ...   40   41   42   43   44   45   46   47   ...   563
34

2. A corrosão do czarismo russo

No início do século XX, diversos aspectos presentes na Rússia - boa parte deles decorrentes de valores herdados do Antigo Regime - chocavam-se com o capitalismo emergente. Mantendo uma estrutura que carregava muitos componentes típicos do mundo feudal, a sociedade russa não mostrava o dinamismo de outras sociedades capitalistas.

A maioria esmagadora da população vivia no campo. A nobreza, detentora de títulos honoríficos, possuía a maior parte das terras férteis e explorava o trabalho dos camponeses, que viviam em situação próxima à servidão. Ao mesmo tempo, os monarcas da dinastia Romanov, no poder desde 1613, governavam seguindo um regime absolutista, tendo a aliança da nobreza, dos oficiais do exército e do clero, ocupantes da parte mais alta da pirâmide social russa.

A partir do final do século XIX, alguns czares adotaram algumas políticas modernizadoras. Entre elas, a abolição da servidão e o incentivo aos investimentos estrangeiros para impulsionar a industrialização. No entanto, a modernização industrial aumentava o contraste entre a estrutura semifeudal que sustentava o czar e as cidades modernizadas. Paralelamente, anarquistas e marxistas difundiam suas ideias entre as populações urbanas e rurais, enquanto grandes greves operárias eclodiam já no começo do século XX.

Não era só a classe trabalhadora que se mostrava insatisfeita. Nas cidades, as camadas médias urbanas e a burguesia emergente também reivindicavam mudanças. Nesse contexto, o czarismo já não dispunha do apoio social de que desfrutara anteriormente. Para agravar seu desgaste, o fracasso do czar Nicolau II na Guerra Russo--Japonesa (1904-1905), ao disputar a Coreia e a Manchúria (na China), incentivou forças de oposição a intensificar pressões contra o despotismo dos Romanov.

A primeira evidência de impasse político ocorreu em janeiro de 1905, quando uma manifestação popular em frente ao Palácio de Inverno, em São Petersburgo, foi reprimida violentamente. Os manifestantes, pacíficos e desarmados, queriam se reunir com o czar para convocar uma Assembleia Constituinte e implantar melhores condições de trabalho e regras trabalhistas.

LEGENDA: O czar Nicolau II em retrato de 1912.

FONTE: Autoria desconhecida/Biblioteca do Congresso, Washington, Estados Unidos

LEGENDA: Em 1902, o pintor russo Sergey Alekseevich Korovin produziu o óleo sobre tela Para o Pentecostes, representando camponeses na Rússia no início do século XX.

FONTE: Galeria Tretyakov, Moscou, Rússia. Fotografia: Wikimedia Commons/Creative Commons



35

Apesar de não desrespeitarem a autoridade do czar, cantando, inclusive, o hino de fidelidade ao governo, Deus salve o czar, os manifestantes foram dizimados às centenas por tropas do exército e da polícia. O episódio ficou conhecido como Domingo Sangrento.

Depois disso, uma onda de protestos e conflitos espalhou-se pelo Império Russo, resultando em uma greve geral e em levantes militares, como o do encouraçado Potemkin (veja o boxe abaixo). As agitações populares, tanto de operários da indústria como de camponeses, estimularam a formação de conselhos de trabalhadores - sovietes, em russo - em várias regiões da Rússia. Diante das crescentes manifestações, o czar lançou o Manifesto de outubro, prometendo a instauração de uma monarquia constitucional e parlamentar.

LEGENDA: Vista geral do Palácio de Inverno em São Petersburgo, Rússia, em um dia de verão. Atualmente, o palácio integra um grande complexo de edifícios conhecido como Museu Hermitage, um dos maiores e mais antigos museus do mundo. Foto de 2015.

FONTE: syolacan/iStock/Getty Images

Boxe complementar:




Catálogo: editoras -> liepem18 -> OBRAS%20PNLD%202018%20EM%20EPUB -> OLHARES%20DA%20HISTÓRIA%20BRASIL%20E%20MUNDO%201%20AO%203º%20ANO%20-%20EDITORA%20SCIPIONE
OBRAS%20PNLD%202018%20EM%20EPUB -> Gilberto Cotrim Bacharel e licenciado em História pela Universidade de São Paulo Mestre em Educação, Arte e História da Cultura pela Universidade Mackenzie Professor de História e advogado Mirna Fernandes
OBRAS%20PNLD%202018%20EM%20EPUB -> Geografia Espaço e identidade Levon Boligian, Andressa Alves 3 Componente curricular Geografia
OBRAS%20PNLD%202018%20EM%20EPUB -> Manual do professor
OBRAS%20PNLD%202018%20EM%20EPUB -> Manual do Professor História Global
OLHARES%20DA%20HISTÓRIA%20BRASIL%20E%20MUNDO%201%20AO%203º%20ANO%20-%20EDITORA%20SCIPIONE -> Olhares da História 1 Brasil e mundo Manual do Professor Cláudio Vicentino
OLHARES%20DA%20HISTÓRIA%20BRASIL%20E%20MUNDO%201%20AO%203º%20ANO%20-%20EDITORA%20SCIPIONE -> Olhares da História 2 Brasil e mundo
OLHARES%20DA%20HISTÓRIA%20BRASIL%20E%20MUNDO%201%20AO%203º%20ANO%20-%20EDITORA%20SCIPIONE -> Cláudio Vicentino Bruno Vicentino Olhares da História Brasil e mundo
OLHARES%20DA%20HISTÓRIA%20BRASIL%20E%20MUNDO%201%20AO%203º%20ANO%20-%20EDITORA%20SCIPIONE -> Olhares da História 1 Brasil e mundo Manual do Professor Cláudio Vicentino


Compartilhe com seus amigos:
1   ...   40   41   42   43   44   45   46   47   ...   563


©historiapt.info 2019
enviar mensagem

    Página principal