Cláudio Vicentino Bruno Vicentino Olhares da História Brasil e mundo



Baixar 0.76 Mb.
Página426/563
Encontro08.10.2019
Tamanho0.76 Mb.
1   ...   422   423   424   425   426   427   428   429   ...   563
322

Comentários e respostas

Atividades

Retome

1 Segundo o dicionário Houaiss, a palavra "província" designa tanto a divisão administrativa do Império brasileiro quanto a "região mais afastada do poder central". Já "estado" significa tanto a divisão territorial de alguns países quanto um "país soberano, com estrutura própria e politicamente organizado". A transformação das províncias em estados se relaciona com o estabelecimento de uma república federativa na medida em que, ao contrário das províncias, que se caracterizavam pela subordinação a um poder central, os estados republicanos adquiriram autonomia, contando com Constituição e orçamento próprios.

2 a) De um lado, encontravam-se as tropas legalistas, enviadas a Santa Catarina pelo presidente Floriano Peixoto para conter os rebeldes que haviam tomado o estado. A elas se somaram exércitos privados formados por florianistas da região. De outro, encontravam-se os gaúchos federalistas, que após se rebelarem no Rio Grande do Sul, haviam marchado para Santa Catarina, proclamando uma república autônoma em Desterro. A eles se somaram os rebeldes da Armada, militares da Marinha que se revoltaram contra o presidente Floriano Peixoto no Rio de Janeiro, tendo fugido para o Sul para se juntarem aos federalistas após serem derrotados pelos legalistas na capital.

b) Os legalistas lutavam pelo restabelecimento da ordem, representada pelo poder centralizado de Floriano Peixoto. Os federalistas lutavam contra a hegemonia positivista na República e pelo estabelecimento do parlamentarismo. Já os rebeldes da Armada lutavam pelo afastamento do presidente e a realização de eleições.

c) Após meses de combate, os rebeldes federalistas e da Armada foram vencidos pela tropa legalista. Desterro, palco do conflito, foi renomeada Florianópolis ("cidade de Floriano") em homenagem ao presidente vitorioso.

3 a) Eram batalhões armados que atuavam ao lado do Exército e das forças públicas que apoiavam o governo.

b) Foram formados durante a segunda Revolta da Armada por voluntários que se identificavam como jacobinos florianistas.

c) Eles passaram a ser perseguidos durante o governo de Prudente de Morais (1897-1898), a quem se opunham. Em 1897, um atentado contra o presidente, realizado por um jacobinista, intensificou a perseguição aos opositores do governo, pondo fim aos batalhões patrióticos.

4 a) Durante a República Oligárquica, as elites agrárias manipulavam as eleições por meio da comissão de verificação e do voto de cabresto. A comissão de verificação era presidida por um político afinado com o Presidente da República e era responsável por impugnar a eleição dos deputados que poderiam fazer oposição ao governo. O voto era chamado de "cabresto" pois o fato de ser aberto permitia que os chefes políticos locais controlassem o eleitor mediante ameaças e barganhas. O aluno também pode citar as fraudes eleitorais, que eram comuns no período.

b) Por meio da política dos governadores, o presidente garantia não intervir nos estados em troca do apoio dos governadores na eleição de deputados e senadores favoráveis ao governo. O governador, por sua vez, recebia o apoio eleitoral dos coronéis (chefes locais), que influenciavam diretamente o pleito por meio do voto de cabresto. Em troca, por meio de sua influência política, ele garantia verbas federais e cargos públicos para as suas regiões.



5 A expressão "política do café com leite" refere-se à hegemonia política e econômica dos estados de Minas Gerais e São Paulo (respectivamente, produtores de leite e café) no governo federal durante a República Oligárquica.

6 O Convenio de Taubaté, realizado em 1906, inaugurou uma série de medidas de valorização do café. Essa valorização consistia na estabilização do câmbio mediante a compra, pelo governo brasileiro, das sacas de café não vendidas no mercado internacional. Desse modo, os cafeicultores tinham condições de manter o preço do produto no mercado externo, transferindo para os cofres públicos (ou seja, para o conjunto da sociedade) o prejuízo vinculado à queda nas exportações. Os ganhos obtidos com essa prática, contudo, eram privados, usufruídos apenas pelos cafeicultores.

7 a) Rui Barbosa incentivou a produção industrial aumentando a emissão de dinheiro destinado às atividades produtivas, instituindo leis que facilitavam a criação de sociedades anônimas industriais e o comércio de ações na Bolsa de Valores, reduzindo as taxas de importação para equipamentos e matérias-primas e aumentando os impostos sobre a importação de produtos industrializados. A principal consequência das medidas do ministro foi a desvalorização da moeda, o aumento da inflação e o consequente encarecimento do custo de vida, levando à falência muitas empresas no Brasil.

b) Os lucros resultantes da exportação do café foram, ainda que de forma indireta, investidos no desenvolvimento da indústria. Foram os cafeicultores os principais incentivadores da imigração estrangeira, da abertura de bancos e caixas de negociação nos centros urbanos. Também investiram na ampliação da malha ferroviária e na importação de máquinas e equipamentos de beneficiamento da produção.




Catálogo: editoras -> liepem18 -> OBRAS%20PNLD%202018%20EM%20EPUB -> OLHARES%20DA%20HISTÓRIA%20BRASIL%20E%20MUNDO%201%20AO%203º%20ANO%20-%20EDITORA%20SCIPIONE
OBRAS%20PNLD%202018%20EM%20EPUB -> Gilberto Cotrim Bacharel e licenciado em História pela Universidade de São Paulo Mestre em Educação, Arte e História da Cultura pela Universidade Mackenzie Professor de História e advogado Mirna Fernandes
OBRAS%20PNLD%202018%20EM%20EPUB -> Geografia Espaço e identidade Levon Boligian, Andressa Alves 3 Componente curricular Geografia
OBRAS%20PNLD%202018%20EM%20EPUB -> Manual do professor
OBRAS%20PNLD%202018%20EM%20EPUB -> Manual do Professor História Global
OLHARES%20DA%20HISTÓRIA%20BRASIL%20E%20MUNDO%201%20AO%203º%20ANO%20-%20EDITORA%20SCIPIONE -> Olhares da História 1 Brasil e mundo Manual do Professor Cláudio Vicentino
OLHARES%20DA%20HISTÓRIA%20BRASIL%20E%20MUNDO%201%20AO%203º%20ANO%20-%20EDITORA%20SCIPIONE -> Olhares da História 2 Brasil e mundo
OLHARES%20DA%20HISTÓRIA%20BRASIL%20E%20MUNDO%201%20AO%203º%20ANO%20-%20EDITORA%20SCIPIONE -> Cláudio Vicentino Bruno Vicentino Olhares da História Brasil e mundo
OLHARES%20DA%20HISTÓRIA%20BRASIL%20E%20MUNDO%201%20AO%203º%20ANO%20-%20EDITORA%20SCIPIONE -> Olhares da História 1 Brasil e mundo Manual do Professor Cláudio Vicentino


Compartilhe com seus amigos:
1   ...   422   423   424   425   426   427   428   429   ...   563


©historiapt.info 2019
enviar mensagem

    Página principal