Cláudio Vicentino Bruno Vicentino Olhares da História Brasil e mundo



Baixar 2.9 Mb.
Página284/563
Encontro08.10.2019
Tamanho2.9 Mb.
1   ...   280   281   282   283   284   285   286   287   ...   563
225

A América Central

Após a independência, a região central da América, que fizera parte do Vice-Reinado da Nova Espanha no período colonial, passou a se chamar Províncias Unidas da América Central. Em 1838, os interesses das elites locais, associados aos dos Estados Unidos e da Inglaterra, propiciaram a formação de diversos Estados autônomos na região: Guatemala, Honduras, El Salvador, Nicarágua e Costa Rica, alinhados especialmente aos Estados Unidos.

Para manter seus benefícios na região, os estadunidenses promoveram ali diversas intervenções armadas, como no Panamá, em 1903, para garantir o controle da Zona do Canal, e outras que tinham o objetivo de sufocar movimentos guerrilheiros locais, como o do líder nicaraguense Augusto César Sandino (1895-1934), entre 1927 e 1934.

Desprezando o princípio de não intervenção e autodeterminação dos povos, os Estados Unidos mantiveram a região sob seu controle não somente por meios econômicos e diplomáticos. No final dos anos 1970, e principalmente nos anos 1980, os movimentos populares ganharam força na América Central, colocando em risco a supremacia estadunidense. O principal exemplo dessa nova conjuntura foi a Revolução Sandinista, de 1979, na Nicarágua, que derrubou a ditadura de Anastácio Somoza (1925-1980), aliada dos Estados Unidos.

A posição de força dos Estados Unidos, entretanto, nunca foi abandonada, pelo contrário, foi exposta ao mostrar apoio aos ex-soldados somozistas (os "contras"), que provocaram a desorganização interna do país. Apesar disso, em 1990 o governo sandinista, de tendência socialista, promoveu eleições livres com a participação de diversos partidos, seguindo assim uma via diferente do caminho trilhado pela Revolução Cubana. Nessas eleições, o líder sandinista Daniel Ortega foi derrotado por Violeta Chamorro, da União Nacional Opositora (UNO), partido pró-Estados Unidos.

Derrotado nas eleições que se seguiram, Daniel Ortega voltou ao poder ao ser eleito em 2006 e reeleito em 2012.

O Panamá, num amplo movimento nacional pela retomada do controle da Zona do Canal - que desde sua inauguração em 1914 era administrado pelos Estados Unidos -, conseguiu acordos com o governo de Jimmy Carter (1977-1981), pelos quais os estadunidenses se comprometeram a devolver o canal à soberania panamenha até o ano 2000. Ainda antes da retomada da zona do canal, o país foi invadido por forças estadunidenses em 1989, que derrubaram o presidente Manuel Antonio Noriega, acusado de ligações com o tráfico internacional de drogas. Noriega cumpriu 21 anos de prisão nos Estados Unidos e na França por narcotráfico e lavagem de dinheiro. Foi extraditado para o Panamá em dezembro de 2011, para cumprir pena de 20 anos por vários crimes, entre os quais o desaparecimento e assassinato de opositores durante seu governo, que foi de 1983 a 1989.

Outra intervenção estadunidense ocorreu no Haiti, em 1994, dessa vez para reempossar o presidente Jean-Bertrand Aristide, um padre católico democraticamente eleito, mas deposto por uma junta militar. A operação garantiu que Aristide cumprisse seu mandato até ser sucedido por René Préval, que, com as eleições de 2000, devolveu o cargo a Aristide. Contudo, o novo governo de Aristide não conseguiu reverter o quadro de dificuldades econômico-sociais nem a corrupção e a violência entre facções políticas.

Em 2004, Aristide foi deposto e o país mergulhou em confrontos armados, seguidos da intervenção de tropas estadunidenses e francesas, respaldadas pela Organização das Nações Unidas (ONU). Meses depois coube às tropas brasileiras a liderança das forças de paz da ONU - a Missão de Estabilização das Nações Unidas no Haiti -, da qual também participaram militares de outros países latino-americanos, como Argentina e Chile. No início de 2006, foram realizadas eleições presidenciais, vencidas por René Préval, enquanto continuavam presentes os efetivos militares da ONU e a expectativa de um desenvolvimento concreto dessa que é a nação mais pobre das Américas e de menor Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) do continente. IDH é o indicador usado pela ONU desde os anos 1990 para avaliar o desenvolvimento de uma população com base em dados como o poder de compra das pessoas, a expectativa de vida e a educação, analisados de modo comparativo entre as nações.

LEGENDA: Apesar das derrotas eleitorais dos anos 1990, os sandinistas continuaram como importante força política na Nicarágua. Acima, Daniel Ortega em foto dos anos 1980.

FONTE: Reprodução/Memorial da América Latina, São Paulo, SP.

226

LEGENDA: O terremoto que atingiu o Haiti, em janeiro de 2010, causou a morte de mais de 200 mil pessoas e mais de 300 mil feridos, além de milhares de desabrigados. Na foto, de abril de 2010, cerimônia de hasteamento da bandeira haitiana, diante do Palácio Presidencial, na capital Porto Príncipe, parcialmente destruído pelos tremores.

FONTE: Thony Belizaire/Agência France-Presse/Getty Images

No início de 2010, um forte terremoto abalou o Haiti, provocando grande devastação e perda de centenas de milhares de vidas, dificultando ainda mais o processo de reconstrução do país. A essas dificuldades somou-se a busca da normalização política, com a eleição de Michel Martelly em 2011. Em fevereiro de 2016, foi instituído um governo provisório perante o adiamento das eleições presidenciais.




Catálogo: editoras -> liepem18 -> OBRAS%20PNLD%202018%20EM%20EPUB -> OLHARES%20DA%20HISTÓRIA%20BRASIL%20E%20MUNDO%201%20AO%203º%20ANO%20-%20EDITORA%20SCIPIONE
OBRAS%20PNLD%202018%20EM%20EPUB -> Gilberto Cotrim Bacharel e licenciado em História pela Universidade de São Paulo Mestre em Educação, Arte e História da Cultura pela Universidade Mackenzie Professor de História e advogado Mirna Fernandes
OBRAS%20PNLD%202018%20EM%20EPUB -> Geografia Espaço e identidade Levon Boligian, Andressa Alves 3 Componente curricular Geografia
OBRAS%20PNLD%202018%20EM%20EPUB -> Manual do professor
OBRAS%20PNLD%202018%20EM%20EPUB -> Manual do Professor História Global
OLHARES%20DA%20HISTÓRIA%20BRASIL%20E%20MUNDO%201%20AO%203º%20ANO%20-%20EDITORA%20SCIPIONE -> Olhares da História 1 Brasil e mundo Manual do Professor Cláudio Vicentino
OLHARES%20DA%20HISTÓRIA%20BRASIL%20E%20MUNDO%201%20AO%203º%20ANO%20-%20EDITORA%20SCIPIONE -> Olhares da História 2 Brasil e mundo
OLHARES%20DA%20HISTÓRIA%20BRASIL%20E%20MUNDO%201%20AO%203º%20ANO%20-%20EDITORA%20SCIPIONE -> Cláudio Vicentino Bruno Vicentino Olhares da História Brasil e mundo
OLHARES%20DA%20HISTÓRIA%20BRASIL%20E%20MUNDO%201%20AO%203º%20ANO%20-%20EDITORA%20SCIPIONE -> Olhares da História 1 Brasil e mundo Manual do Professor Cláudio Vicentino


Compartilhe com seus amigos:
1   ...   280   281   282   283   284   285   286   287   ...   563


©historiapt.info 2019
enviar mensagem

    Página principal