Centros novo e antigo de salvador



Baixar 281.36 Kb.
Pdf preview
Página1/27
Encontro18.03.2020
Tamanho281.36 Kb.
  1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   27


39

John Gledhill, Maria Gabriela Hita

C

aderno



 C

r

H



, Salvador

, v


. 31, n. 82, p. 39-58, Jan./Abr

. 2018


REQUALIFICAÇÃO URBANA E DESPEJOS EM 

CENTROS NOVO E ANTIGO DE SALVADOR

1

John Gledhill*

Maria Gabriela Hita**

* Universidade de Manchester. Departamento de Antro-

pologia Social. 

Oxford Road. Manchester M13 9PL. Reino Unido 

john.gledhill@manchester.ac.uk

** Universidade Federal da Bahia. Departamento de So-

ciologia. dos Programas de Pós-Graduação em Ciências 

Sociais (PPGCS) e o de Estudos Interdisciplinares sobre 

Mulheres, Gênero e Feminismo (PPGNEIM).

R. Prof. Aristides Novis, 197.  Cep: 40210-909. Federação – 

Salvador – Bahia – Brasil. mghita63@gmail.com

1

 Artigo traduzido do inglês por Phillip Villani, original-



mente apresentado na sessão “Exploring and questioning 

the inner-city in Latin America: urban renewal, historic 

preservation, gentrification and segregation dynamics” no 

congresso de cinquenta anos da Associação de Estudos La-

tino-Americanos, Nova Iorque, 29 de maio, 2016. Dra. Hita 

agradece ao CNPq pelo apoio financeiro recebido para parti-

cipar dessa LASA. Versão sintética foi também apresentada 

no Congresso da UFBA 70 anos, em 2016, na Mesa Redonda 

DOSSIÊ

http://dx.doi.org/10.1590/S0103-49792018000100003



A cidade de Salvador replica o processo de “acumulação por espoliação”, característico de um urbanismo 

neoliberal em todo o mundo. Neste artigo, comparamos como atua a lógica da requalificação urbana em duas 

zonas da cidade. A primeira é uma grande e historicamente combativa favela localizada na região que tem 

se tornado o mais moderno “novo centro” da cidade. Nela, a chave dos problemas são os novos projetos de 

mobilidade urbana e a construção de condomínios para outras classes sociais. A segunda zona é o centro 

colonial da cidade, que experimenta uma nova fase de gentrificação. Ali, as políticas de patrimônio histórico 

se encontram com outras políticas, transformando os remanescentes espaços públicos da cidade neoliberal 

securitizada em zonas mais seguras para turistas e residentes mais ricos. Enfatizamos o valor de um entendi-

mento etnograficamente fundamentado para compreender o que essas mudanças significam para moradores 

pobres da cidade, assim como a complexidade, a heterogeneidade e a ambiguidade de suas diferentes reações.

P

alavras


-

chave


: Cidades. Pelourinho. Gentrificação. Despejos. Resistências. 




Compartilhe com seus amigos:
  1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   27


©historiapt.info 2019
enviar mensagem

    Página principal