Canais de marketing


ANÁLISE E DISCUSSÃO DOS RESULTADOS



Baixar 119 Kb.
Página6/9
Encontro17.03.2020
Tamanho119 Kb.
1   2   3   4   5   6   7   8   9
ANÁLISE E DISCUSSÃO DOS RESULTADOS

Baseando-se na categoria Emoções Positivas da entrevista, é possível destacar que os participantes já têm definido, subjetivamente, sua relação emocional com o time. Conforme escreve Camalionte e Boccalandro (2017), vida agradável, felicidade, satisfação são formas de definir a emoção positiva, contudo ainda vale ressaltar que "por ser totalmente subjetiva, é composta por sentimentos, como prazer, entusiasmo, êxtase, calor, conforto e sensações afins" (CAMALIONTE, BOCCALANDRO, 2017, p.215).

Diante disto, a tentativa dos participantes em expressar suas emoções pelo clube apresenta-se singular e assim destaca-se a alegria, amor e paixão em torcer de cada um deles, respondendo o que é torcer para seu time e quais emoções que eles sentem:

Peixão - [...] Aaah, deve ser amor [...] A emoção é o amor da torcida. [...] Acho que o que se encaixa nesse aí é o amor mesmo.

Peixe - O que é torcer para meu time? Aaah, existe uma inspiração, um amor que é incondicional que eu gosto muito e eu não trocaria por nada [...] Qual emoção? Vixi. Várias hein?! Muitas. Tanto fazer loucuras, xingar mas ao mesmo tempo amar [...]
O amor é uma emoção essencial ao clube, a alegria é exteriorizada comumente pelo riso diante da conquista, a paixão, ligada mais ao fator de prazer provoca no torcedor o desejo de acompanhar o time, e o Bem-estar tem como desejo o ter uma vida mais sadia e serena como base da relação com o clube (NUNES, 2007).

O segundo elemento de mensuração do Bem-Estar é o engajamento. De acordo com Camalionte e Boccalandro (2017), o engajamento é entregar-se completamente a uma atividade, sentir-se compromissado com aquela tarefa.

O acompanhar o time revela a dimensão do engajamento dos torcedores. A vontade, a motivação presente na tarefa de estar junto com o time, de saber das informações, inclusive as últimas novidades, mobiliza o torcedor a se aproximar do time. E os entrevistados compartilham os meios de aproximar-se de seu clube:

Em relação ao time, há uma busca que por vezes é satisfatória quando é uma notícia boa, por exemplo venceu a partida ou fez uma grande contratação. Já em outras ocasiões, tal busca não é satisfatória, mas a relevância que o clube tem ao torcedor, o esforço em acompanhar e aproximar-se do time e também a sensação em assisti-lo, ou seja, o engajamento dos torcedores marca presença e cada indivíduo subjetivamente exerce influência e é influenciado pela busca e seu potencial resultado, única e exclusivamente por estar envolvido com a equipe, pois o futebol propicia de forma igualitária oportunidades para todos os participantes (RAMOS, 2012).

O terceiro elemento da teoria, o sentido na vida definido, como pertencer ou servir a algo maior, (CAMALIONTE e BOCCALANDRO, 2017) se faz presente nas respostas dos entrevistados quando questionados sobre sua visão em relação ao time que se torce:

Soberano: [...]ele é o soberano, que ele é o maior clube do Brasil. Do mundo, né? [...].

Corinthians: [...] O Corinthians ele é quase que, pra muitos, ele é uma religião né.[...]

Timão: [...] ele faz com que eu me sinta bem, com que eu acredite, aumente assim a minha fé sabe? De acreditar, porque tá ali um jogo difícil e eu consigo acreditar que tudo pode muda no apito final. Então eu aumento minha fé.
A busca pelo sentido se dá pela visão que o torcedor tem de seu clube, sendo confirmada pela contribuição em seu projeto de vida e nos comportamentos do cotidiano, pois sentem-se pertencentes a algo maior que eles mesmos, apontando então para seu time de futebol.

A Realização Positiva é o quarto fator para basear o bem-estar. Conforme escreveram Camalionte e Boccalandro (2017), tal fator se define como a concretização dos objetivos traçados pelo indivíduo, a grosso modo, é o sucesso do plano elaborado. Sendo assim, os torcedores, depositam suas expectativas em seus times.

Fica claro a importância da expectativa posta, do quanto o momento confirma ou não tal expectativa, e independente da confirmação, há o otimismo, esperança, satisfação e o contentamento equilibrando as emoções internas dos torcedores com os resultados externos do clube, corroborando para a realização positiva dos participantes.

Por fim apresenta-se o elemento Relacionamentos Positivos. De acordo com os autores Camalionte e Boccalandro (2017), as interações sociais mostram-se uma condição necessária para encontrar a felicidade. Em meio a torcida de futebol, esta prática é comum:



Alvinegro Praiano: Ah… da melhor forma possível. Quando o Santos veio jogar aqui (Lins) eu fiz amizade com uma menina que eu nunca tinha visto na vida porque eu tava sozinha no estádio e ai a gente fez amizade e foi fazendo mais amizades. Sempre da melhor forma possível. Falou que é santista a gente tenta conversar

Alviverde: [...] Aaah, geralmente quando você encontra um palmeirense, você sente como se essa pessoa fosse da sua família. É como se ela entendesse o que você tá sentindo.
A relação positiva entre os torcedores do mesmo time ou rivais enaltecem o espetáculo futebol, assim como gera a convivência benéfica nos diversos ambientes levando na esportiva as brincadeiras, cutucadas, pitadas dos rivais sobre o clube. Camalionte e Boccalandro (2017) defendem que, não necessariamente os ambientes esportivos, mas ambientes que promovam relações interpessoais, onde pessoas podem se divertir umas com as outras, são comuns e variados nos dias atuais, devido a tamanha relevância em se relacionar com o outro, bem como os diversos torcedores.
CONCLUSÃO
O trabalho comprovou a influência do futebol no bem-estar subjetivo. Os torcedores refletem nas equipes as emoções positivas individuais. Engajam-se com a finalidade de viver um real envolvimento com seu time, servindo-o e tendo a sensação de pertencimento ao próprio clube. Além de criarem expectativas quanto as conquistas e se contentarem e manterem-se satisfeitos com os resultados, eles interagem entre torcedores de forma positiva.

Diante disto, a partir da teoria do Bem-Estar de Seligman, os cinco elementos básicos, sendo eles, Emoções Positivas, Engajamento, Sentido na Vida, Realizações Positivas e Relacionamentos Positivos, contribuem para que o bem-estar subjetivo do torcedor seja manifestado antes, durante ou após o jogo.

Sendo assim, a hipótese é confirmada, pois o futebol é um esporte que atrai e envolve uma massa torcedora por emergir em cada um dos torcedores sensações e sentimentos singulares que resultam num torcer próprio, embora tal massa seja composta por inúmeras pessoas com seus respectivos estilos e personalidades.

Portanto, a máxima no "mundo da bola" faz-se verídica: o futebol não é só um jogo. E este trabalho contribuiu para a confirmação da influência dele no Bem-Estar dos torcedores.





Compartilhe com seus amigos:
1   2   3   4   5   6   7   8   9


©historiapt.info 2019
enviar mensagem

    Página principal