Campus Cornélio Procópio



Baixar 0.66 Mb.
Página8/25
Encontro12.01.2022
Tamanho0.66 Mb.
#20995
1   ...   4   5   6   7   8   9   10   11   ...   25

O ÁTOMO DE THOMSON


Já na Grécia antigam, fatos demonstravam que a matéria poderia ser divisível. Uma das primeiras demonstrações para a presença de cargas elétricas na matéria é o fenômeno da eletricidade estática, criada por meio do atrito de materiais com capacidade isolante. Este fenômeno era observado quando âmbar (eléctron, em grego), ao ser atritado em tecidos adquiria a capacidade de atrair corpos leves (NIELS, 1967; ASSIS, 2010).

Os experimentos que conseguiram provar que o átomo era divisível utilizaram pesquisas referentes a descargas elétricas com alta voltagem que atravessavam gases em diferentes pressões. O avanço, nesta área, estava intimamente ligado ao desenvolvimento na produção de ampolas de vidro. Na elaboração desses dispositivos estão envolvidos os nomes de pesquisadores e técnicos, tais como Geissler, Plucker, Rumkorf e Crookes (OLIVEIRA, L. A. A.; SILVA, C. S.; OLIVEIRAS, O. M. M. F., 2013; MARTINS, 2001).

Utilizando o tubo de Crookes, e investigando propriedades dos raios catódicos J. J. Thomson propôs que o átomo continha partículas subatômicas negativas. Sendo o átomo neutro, tais partículas tinham que serem contrabalanceada por cargas positivas. Dessa maneira, Thomson chegou à seguinte conclusão sobre a estrutura atômica, que as partículas negativas, denominadas por ele de corpúsculos, mais tarde denominados como elétrons), ficam incrustados numa esfera positiva (Figura 1) (BRAATHEN, 2011).
Figura 1: Modelo atômico proposto por J. J. Thomson

Elétrons (partículas negativas) incrustados em uma esfera de carga positiva



Fonte: Larissa Krause Marcon.
Esse modelo ficou conhecido como “modelo pudim de passas”, sendo que a massa do pudim representaria a esfera carregada positivamente e as passas os elétrons carregados negativamente.



    1. Baixar 0.66 Mb.

      Compartilhe com seus amigos:
1   ...   4   5   6   7   8   9   10   11   ...   25




©historiapt.info 2022
enviar mensagem

    Página principal