Campanha da Fraternidade 2012



Baixar 45.04 Kb.
Página1/5
Encontro13.06.2020
Tamanho45.04 Kb.
  1   2   3   4   5

A Campanha da Fraternidade é uma campanha realizada anualmente pela Igreja Católica Apostólica Romana no Brasil, sempre no período da Quaresma. Seu objetivo é despertar a solidariedade dos seus fiéis e da sociedade em relação a um problema concreto que envolve a sociedade brasileira, buscando caminhos de solução. A cada ano é escolhido um tema, que define a realidade concreta a ser transformada, e um lema, que explicita em que direção se busca a transformação. A campanha é coordenada pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). Quaresma, palavra que vem do latim quadragésima, é o período de quarenta dias que antecedem a festa ápice do cristianismo: a ressurreição de Jesus Cristo, comemorada no Domingo de Páscoa. Tempo de jejum, oração e esmola.
Campanha da Fraternidade 2012

Tema: Fraternidade e saúde pública. Lema: “Que a saúde se difunda sobre a terra!”(Cf. Eclo, 38,8)

A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil foi fundada em 14 de outubro de 1952, no Rio de Janeiro. A transferência da sede para Brasília aconteceu em 1977. A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) promove a Campanha da Fraternidade, desde o ano de 1964, como itinerário evangelizador para viver intensamente o tempo da quaresma.

O SUS (Sistema Único de Saúde), inspirado em belos princípios como o da universalidade, cuja proposta é atender a todos, indiscriminadamente, deveria ser modelo para o mundo. No entanto, ele ainda não conseguiu ser implantado em sua totalidade e ainda não atende a contento, sobretudo os mais necessitados destes serviços.


Objetivo Geral

Refletir sobre a realidade da saúde no Brasil em vista de uma vida saudável, suscitando o espírito fraterno e comunitário das pessoas na atenção aos enfermos e mobilizar por melhoria no sistema público de saúde.

Objetivos Específicos

a) Disseminar o conceito de bem viver e sensibilizar para a prática de hábitos de vida saudável; b) Sensibilizar as pessoas para o serviço aos enfermos, o suprimento de suas necessidades e a integração na comunidade.

c) Alertar para a importância da organização da pastoral da Saúde nas comunidades: criar onde não existe, fortalecer onde está incipiente e dinamizá-la onde ela já existe; d) Difundir dados sobre a realidade da saúde no Brasil e seus desafios, como sua estreita relação com os aspectos socio­culturais de nossa sociedade;

e) Despertar nas comunidades a discussão sobre a realidade da saúde pública, visando à defesa do SUS e a reivindicação do seu justo financiamento; f) Qualificar a comunidade para acompanhar as ações da gestão pública e exigir a aplicação dos recursos públicos com transparência, especialmente na saúde.

Revisando: Disseminar; Sensibilizar; Alertar; Difundir; Despertar; Qualificar;
As três partes da camapanha:

1ª Parte – Fraternidade e Saúde Pública. 2ª Parte – Que a Saúde se difunda sobre a Terra. 3ª Parte - Indicações para a Ação transformadora no Mundo da Saúde.

8 Metas da ONU – do Início dos anos 90 até 2015

1 – Reduzir pela metade o número de pessoas que vivem na miséria e passam fome. 2 – Educação básica de qualidade para todos. 3 – Igualdade entre os sexos e mais autonomia para as mulheres. 4 – Redução da mortalidade infantil. 5 – Melhoria da saúde materna. 6 – Combate a epidemias e doenças. 7 – Garantia da sustentabilidade ambiental. 8 – Estabelecer parcerias mundiais para o desenvolvimento.

As três metas relacionadas à saúde são as de número 4, 5 e 6.
Pastoral da Criança:

Destaca-se neste âmbito o trabalho da Igreja através da Pastoral da Criança e da Pastoral da Saúde. A Pastoral da Criança, em suas ações, promove o desenvolvimento integral das crianças pobres, da concepção aos seis anos de idade em seu contexto familiar e comunitário, com ações preventivas de saúde, nutrição, educação e cidadania.

Pastoral da saúde:

A Pastoral da Saúde representa a atividade desempenhada pela Igreja no setor da saúde, é expressão de sua missão e manifesta a ternura de Deus para com a humanidade que sofre.


Conclusão:

Ao longo dos últimos anos, houve mudança no conceito de saúde: de ‘caridade’ para ‘direito’. Hoje em dia, no entanto, esse direito está sendo transformado em ‘negócio’, num mercado livre sem coração! Há necessidade de empoderamento dos pobres, em termos de reivindicação (cidadania) e para fazer algo concreto e forçar o direito básico à saúde.
Oração da Campanha da Fraternidade 2012

Senhor Deus de amor, Pai de bondade, nós vos louvamos e agradecemos pelo dom da vida, pelo amor com que cuidais de toda a criação. Vosso Filho Jesus Cristo, em sua misericórdia, assumiu a cruz dos enfermos e de todos os sofredores, sobre eles derramou a esperança de vida em plenitude. Enviai-nos, Senhor, o Vosso Espírito. Guiai a vossa Igreja, para que ela, pela conversão se faça sempre mais, solidária às dores e enfermidades do povo, e que a saúde se difunda sobre a terra. Amém.


E agora analisemos a oração da Campanha! Ela está dividida em 3 etapas:

1ª Parte: Agradecimento. Senhor Deus nós vos agradecemos pelo dom da vida…

2ª Parte: Memorial. Vosso Filho Jesus Cristo, assumiu a cruz dos enfermos…

3ª Parte: Pedido. Enviai-nos, Senhor, o Vosso Espírito. Guiai a vossa Igreja…


Hino da CF2012

Letra: Roberto Lima de Souza. Música: Júlio Cézar Marques Ricarte


Ah! Quanta espera, desde as frias madrugadas, Pelo remédio para aliviar a dor! Este é teu povo, em longas filas nas calçadas, A mendigar pela saúde, meu Senhor!

Ah! Quanta gente que, ao chegar aos hospitais, Fica a sofrer sem leito e sem medicamento! Olha, Senhor, a gente não suporta mais, Filho de Deus com esse indigno tratamento!

Ah! Não é justo, meu Senhor, ver o teu povo Em sofrimento e privação quando há riqueza! Com tua força, nós veremos mundo novo, (Cf Ap 21,1-7) Com mais justiça, mais saúde, mais beleza!

Ah! Na saúde já é quase escuridão, Fica conosco nessa noite, meu Senhor, (Cf Lc 24,29) Tu que enxergaste, do teu povo, a aflição E que desceste pra curar a sua dor. (Cf Ex. 3,7-8)

Ah! Que alegria ver quem cuida dessa gente Com a compaixão daquele bom samaritano. ( Lc. 10,25-37) Que se converta esse trabalho na semente De um tratamento para todos mais humano!

Ah! Meu Senhor, a dor do irmão é a tua cruz! Sê nossa força, nossa luz e salvação! (Cf. Sl. 27,1) Queremos ser aquele toque, meu Jesus, (Cf. Mc. 5,20-34) Que traz saúde pro doente, nosso irmão!


Refrão:

Tu, que vieste pra que todos tenham vida, (Jo 10,10) Cura teu povo dessa dor em que se encerra; Que a fé nos salve e nos dê força nessa lida, (Mc 5, 34) E que a saúde se difunda sobre a terra! (Cf Eclo 18,8)


Cartaz da CF 2012

Atualiza o encontro do Bom Samaritano com o doente que necessita de cuidado Lc 10,29-37

A mão do profissional da saúde segurando as mãos do doente afasta cultura da morte e viabiliza a acolhida entre irmãos (o próximo). A Igreja como mãe, na sua samaritanidade, aproxima e cuida dos doentes, de todos que se encontram à margem do caminho. O profissional de pé, o enfermo sentado, olhos nos olhos, lembra a acolhida e o compromisso do profissional de saúde, gera relação de confiança. A cruz que sustenta e ilumina o sentido do cartaz recorda a salvação que Jesus Cristo nos conquistou

A alegria do encontro recorda aos profissionais da saúde que foram escolhidos para atualizar em a atitude do Bom Samaritano em relação aos enfermos.


Rituais

Um ritual é um conjunto de gestos, palavras e formalidades, geralmente imbuídos de um valor simbólico, cuja performance é, usualmente, prescrita e codificada por uma religião ou pelas tradições da comunidade. São normalmente usados em casamentos, batizados, velórios, formaturas e outros.





Compartilhe com seus amigos:
  1   2   3   4   5


©historiapt.info 2019
enviar mensagem

    Página principal