Caminhos do homem: do imperialismo ao Brasil no século XXI, 3º ano



Baixar 8.19 Mb.
Página298/464
Encontro08.10.2019
Tamanho8.19 Mb.
1   ...   294   295   296   297   298   299   300   301   ...   464
Sabendo um pouco mais

Heitor Villa-Lobos (1887-1959) é considerado pelos especialistas o mais expressivo compositor brasileiro, em grande parte por ter transitado entre o erudito e o popular, resgatando com sua obra as raízes, o folclore, as tradições e os valores culturais populares. Em entrevista realizada em 1993, o compositor Antônio Carlos Brasileiro de Almeida Jobim (1927-1994), mais conhecido como Tom Jobim, fez referência a Villa-Lobos.



Tom Jobim: “Villa-Lobos é reconhecidamente um gênio”

[...] Sempre tive uma enorme admiração por Villa-Lobos. Mas ele foi muito maltratado no Brasil. Foi acusado de tudo, até de ser ladrão do folclore brasileiro. Vejam que absurdo. Diziam assim: “isso não é música do Villa. Isso é roubado do folclore brasileiro!” Ele, um dia, se revoltou e disse em uma entrevista: “Podem dizer o que quiserem. O folclore sou eu.” E, realmente, o folclore nas mãos do Villa virava uma outa coisa! Ele era um gênio! E foi muito perseguido por isso. Tem gente até hoje falando mal do Villa-Lobos! Até hoje! Ele é de 1887 e morreu com 82 anos. Já se vão 34 anos da morte do Villa e o pessoal do contra não se esquece de falar mal e perseguir a memória do Villa. É incrível. Você imagina o Teatro Municipal tocando ópera e o Villa escrevendo a “Floresta Amazônica”. Ninguém entendia nada. Houve resistência, é claro. O Villa era uma inovação completa. [...]



JOBIM, A. C. B. de A. Tom Jobim fala sobre Villa-Lobos. PMB: Prêmio da Música Brasileira, [S.l], 5 mar. 2013. Disponível em: . Acesso em: 26 abr. 2016.

Arleyrp/W. Commons

Cartaz de divulgação da apresentação de Villa-Lobos na Semana de Arte Moderna, no Teatro Municipal. São Paulo (SP), 1922.
Página 248

A cultura erudita, não raramente, é concebida como uma referência que deve ser entendida por todos como portadora de um padrão estético homogeneizador.

Nesse sentido, ela acaba por mascarar conflitos e contradições inerentes à sociedade.

Por outro lado, é importante considerar que as ideias e concepções que permeiam a chamada cultura erudita, quando são difundidas entre as camadas populares, acabam sofrendo transformações significativas.

Assim, a cultura popular não absorve inteiramente a “cultura oficial” que lhe é imposta de cima para baixo e de fora para dentro. Pelo contrário, as camadas populares dela se apropriam e a modificam, seguindo os próprios referenciais e padrões estéticos, transformando, portanto, os valores culturais originais. Esse fenômeno foi denominado circularidade cultural pelo historiador italiano Carlo Ginzburg.


Catálogo: editoras -> liepem18 -> OBRAS%20PNLD%202018%20EM%20EPUB -> HISTÓRIA%20CAMINHOS%20DO%20HOMEM%201%20AO%203º%20ANO%20-%20BASE -> DOCX
OBRAS%20PNLD%202018%20EM%20EPUB -> Ronaldo vainfas
OBRAS%20PNLD%202018%20EM%20EPUB -> Oficina de história: volume 1
OBRAS%20PNLD%202018%20EM%20EPUB -> Gilberto Cotrim Bacharel e licenciado em História pela Universidade de São Paulo Mestre em Educação, Arte e História da Cultura pela Universidade Mackenzie Professor de História e advogado Mirna Fernandes
OBRAS%20PNLD%202018%20EM%20EPUB -> Geografia Espaço e identidade Levon Boligian, Andressa Alves 3 Componente curricular Geografia
OBRAS%20PNLD%202018%20EM%20EPUB -> Manual do professor
OBRAS%20PNLD%202018%20EM%20EPUB -> Manual do Professor História Global
DOCX -> Caminhos do homem: das origens da humanidade à construção do mundo moderno, 1º ano
DOCX -> Caminhos do homem: da era das revoluções ao Brasil no século, XIX, 2º ano


Compartilhe com seus amigos:
1   ...   294   295   296   297   298   299   300   301   ...   464


©historiapt.info 2019
enviar mensagem

    Página principal