Caminhos do homem: do imperialismo ao Brasil no século XXI, 3º ano


Beatos: a palavra se refere a indivíduos extremamente devotos. Messianismo



Baixar 8.19 Mb.
Página209/464
Encontro08.10.2019
Tamanho8.19 Mb.
1   ...   205   206   207   208   209   210   211   212   ...   464
Beatos: a palavra se refere a indivíduos extremamente devotos.

Messianismo: crença popular relativa à vinda de um messias, um salvador, que livraria o povo de pecado e da pobreza, levando-o ao reino de plena felicidade.

TRABALHANDO COM FONTES HISTÓRICAS

Apenas mais recentemente o tema da Guerra de Canudos tem sido objeto de estudos mais amplos, ocupando mais espaço nos livros didáticos. Segundo o historiador José Antônio Sola, esse fato se deve provavelmente à natureza de contestação política e social do movimento. Afinal, a luta dos seguidores de Antônio Conselheiro era também contra o catolicismo oficial e a rígida hierarquia da Igreja, contra o domínio dos coronéis sobre os homens do campo e a omissão do Estado em relação aos graves problemas sociais. Por essas razões, desde o início – primeiro as autoridades civis e militares da Bahia – tentou-se liquidar o movimento. Os sertanejos conheciam profundamente as condições naturais do Sertão e sabiam utilizá-las a seu favor, o que facilitou suas primeiras vitórias. Finalmente, o governo da República organizou uma expedição militar com cerca de 10 mil soldados pesadamente armados que utilizou canhões de última geração importados da Alemanha.

A repressão total ao movimento foi apresentada por uma imprensa comprometida com o governo como “um ato de saneamento contra o fanatismo”. No local em que existia o Arraial do Belo Monte (Canudos), posteriormente foi construída uma represa. Muitos se perguntam: “o que teria ficado debaixo das águas?”

A seguir, é apresentado um texto do historiador Rui Facó, no qual o autor rompe com a ideia muito difundida de que os habitantes de Canudos preocupavam-se principalmente com as questões espirituais.

Avança, fraqueza do governo!”

A verdade é que os habitantes de Canudos viviam uma vida muito dura, tinham que ser homens práticos e em contato direto com a realidade que os esmagava, para cuidarem somente da alma, da salvação no céu, como se tentava fazer crer. A vida exigia que fossem homens frios e implacáveis com o inimigo, para poderem lutar com vantagem pela própria sobrevivência.

E assim foi. Não só morriam, combatendo o inimigo peito a peito, mas enfrentavam as forças armadas enviadas para atacá-los com o objetivo de exterminá-los.

Desafiavam-nas, impávidos:

– Avança, fraqueza do governo!

Era o seu grito de guerra.



FACÓ, R. Cangaceiros e fanáticos. 4. ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1976. p. 117.
Página 182

In: CUNHA, Euclides da. Os sertões. 22. ed. [S.l.]: [s.n.], [1952].

Ilustração de Ib Andersen.

Esta é uma das ilustrações do artista Ib Andersen utilizada na 22ª edição do livro Os sertões, de Euclides da Cunha. Nela, pode-se ver uma representação do resultado da terceira expedição enviada pelo governo para reprimir o movimento. Conforme o próprio Euclides da Cunha, correspondente do jornal O Estado de S. Paulo que esteve na região do conflito, que percebeu que Canudos era um problema social. Em seu livro, exaltou a resistência sertaneja ao escrever: “Canudos não se rendeu. Exemplo único em toda a história, resistiu até o esgotamento completo. Caiu no dia 5 (de outubro de 1897), ao entardecer, quando caíram os seus últimos defensores. Eram quatro apenas: um velho, dois homens feitos e uma criança, na frente dos quais rugiam, raivosamente, cinco mil soldados”.



Acervo Iconographia



Antônio Conselheiro (1897), de Pereira Neto. Charge.

Esta charge de Pereira Neto foi publicada em fevereiro de 1897 na revista Ilustrada, no Rio de Janeiro. Faz referência à difícil situação de Antônio Conselheiro, representado inteiramente cercado no Arraial de Canudos e sob a mira de quatro canhões do exército, após anos de resistência dos sertanejos, que chegaram a derrotar três expedições militares anteriores. O autor da charge faz um jogo de palavras ironizando a condição de Conselheiro, sugerindo que ele deveria se “fiar na Virgem ou no Bom Jesus” e que estaria “metido em verdadeiros canudos”. Canudos foi uma expressão utilizada pelos inimigos do movimento, em uma referência aos bambus que cresciam na região em que foi erguida a cidade de Belo Monte pelos sertanejos.


Página 183

Registre em seu caderno:




Catálogo: editoras -> liepem18 -> OBRAS%20PNLD%202018%20EM%20EPUB -> HISTÓRIA%20CAMINHOS%20DO%20HOMEM%201%20AO%203º%20ANO%20-%20BASE -> DOCX
OBRAS%20PNLD%202018%20EM%20EPUB -> Ronaldo vainfas
OBRAS%20PNLD%202018%20EM%20EPUB -> Oficina de história: volume 1
OBRAS%20PNLD%202018%20EM%20EPUB -> Gilberto Cotrim Bacharel e licenciado em História pela Universidade de São Paulo Mestre em Educação, Arte e História da Cultura pela Universidade Mackenzie Professor de História e advogado Mirna Fernandes
OBRAS%20PNLD%202018%20EM%20EPUB -> Geografia Espaço e identidade Levon Boligian, Andressa Alves 3 Componente curricular Geografia
OBRAS%20PNLD%202018%20EM%20EPUB -> Manual do professor
OBRAS%20PNLD%202018%20EM%20EPUB -> Manual do Professor História Global
DOCX -> Caminhos do homem: das origens da humanidade à construção do mundo moderno, 1º ano
DOCX -> Caminhos do homem: da era das revoluções ao Brasil no século, XIX, 2º ano


Compartilhe com seus amigos:
1   ...   205   206   207   208   209   210   211   212   ...   464


©historiapt.info 2019
enviar mensagem

    Página principal