Caminhos do homem: do imperialismo ao Brasil no século XXI, 3º ano



Baixar 8.19 Mb.
Página117/464
Encontro08.10.2019
Tamanho8.19 Mb.
1   ...   113   114   115   116   117   118   119   120   ...   464
Clube nuclear

Há ao menos um simbolismo positivo no novo tratado de desarmamento nuclear entre EUA e Rússia, anunciado pelos presidentes Barack Obama e Dmitri Medvedev na sexta-feira, dia 26 de março de 2010.

A meta é reduzir em sete anos o arsenal de cada um dos países para um máximo de 1 550 ogivas com capacidade de alcance intercontinental. Os norte-americanos detêm atualmente cerca de 2 200 artefatos desse tipo, e os russos, 2 800.

Obama anunciou o plano como um passo importante para superar a herança dos “dias mais negros” da Guerra Fria. “Fortalecemos nossos esforços globais para impedir a proliferação destas armas e garantir que outras nações assumam suas próprias responsabilidades”, completou. O recado tem mais de um destinatário. A começar pelo Irã, que Washington acusa de desenvolver programa nuclear com fins militares, e pelos países, como o Brasil, que hesitam em apoiar sanções contra Teerã no Conselho de Segurança. A mensagem também se destina aos envolvidos na revisão quinquenal do Tratado de Não Proliferação Nuclear (TNP). Para tentar conter o surgimento de novas potências atômicas, os EUA pressionam países que não aderiram ao Protocolo Adicional do TNP – caso do Brasil – a fazê-lo. O protocolo autoriza inspeções não programadas em unidades de enriquecimento de urânio dos signatários.

É, no mínimo, duvidoso que o acordo contribua para alcançar tais objetivos. Mesmo com os cortes, os dois países continuaram a ter os maiores arsenais do mundo, o que limita a possibilidade de servirem de exemplo para quem quer que seja.

A dinâmica que impulsiona novos países a desenvolverem armas nucleares, de resto, segue uma lógica que escapa à relação entre EUA e Rússia. É difícil crer que a tendência de longo prazo quanto a isso não seja oposta à desejada pelo governo dos EUA. O mais provável é que o número de integrantes do clube venha a crescer nos próximos anos.

CLUBE nuclear. Folha de S.Paulo, São Paulo, 29 mar. 2010.
Página 98

Registre em seu caderno:




Catálogo: editoras -> liepem18 -> OBRAS%20PNLD%202018%20EM%20EPUB -> HISTÓRIA%20CAMINHOS%20DO%20HOMEM%201%20AO%203º%20ANO%20-%20BASE -> DOCX
OBRAS%20PNLD%202018%20EM%20EPUB -> Ronaldo vainfas
OBRAS%20PNLD%202018%20EM%20EPUB -> Oficina de história: volume 1
OBRAS%20PNLD%202018%20EM%20EPUB -> Gilberto Cotrim Bacharel e licenciado em História pela Universidade de São Paulo Mestre em Educação, Arte e História da Cultura pela Universidade Mackenzie Professor de História e advogado Mirna Fernandes
OBRAS%20PNLD%202018%20EM%20EPUB -> Geografia Espaço e identidade Levon Boligian, Andressa Alves 3 Componente curricular Geografia
OBRAS%20PNLD%202018%20EM%20EPUB -> Manual do professor
OBRAS%20PNLD%202018%20EM%20EPUB -> Manual do Professor História Global
DOCX -> Caminhos do homem: das origens da humanidade à construção do mundo moderno, 1º ano
DOCX -> Caminhos do homem: da era das revoluções ao Brasil no século, XIX, 2º ano


Compartilhe com seus amigos:
1   ...   113   114   115   116   117   118   119   120   ...   464


©historiapt.info 2019
enviar mensagem

    Página principal