Camila quadros



Baixar 5.01 Kb.
Pdf preview
Página35/46
Encontro17.03.2020
Tamanho5.01 Kb.
1   ...   31   32   33   34   35   36   37   38   ...   46
Canção 2: “Dor, dor, dor” 
Meu bisavô me falou 
Que no tempo da escravidão 
Era dor muita dor tanta dor 
Morriam de dor os negro meus irmãos 
Dor, dor, dor (Coro) 
O sangue jorra no chicote do feitor 
(Coro) 
O negro morre de saudade sem amor 
(Coro) 
Dona Isabel sua lei não adiantou 
(Coro) 
O negro morre de paris a salvador 
(Coro) 
O sangue jorra na caneta do doutor 
(Coro) 
A raça negra não nasceu para ter senhor 
(Coro) 
Minha alma é livre o berimbau me libertou 
Autor: 
Mestre 
Toni 
Vargas, 
Grupo 
Senzala. 
Localizada 
em: 
.  Acesso  em  16  de  novembro 
2017. 
 
Canção 3: “Negralização”  
Quem foi que disse que Isabel me libertou, Camará 


91
 
 
Quem foi que disse que Isabel que me salvou, Camará 
Quem foi que disse que a minha liberdade 
Foi o fruto da bondade da princesa se enganou 
A libertação do negro, não foi bem assim, Camará 
Foi dura a batalha contra o branco ruim, Camará 
Nossa abolição, conquistada na força da cor 
Com coragem, muita luta, muito sangue e muita dor 
Nego chorou, nego chorou 
Quando morreu Zumbi, Camará 
Nego chorou, nego chorou 
Quis sumir daqui, Camará 
E voltar pra mãe África, sua terra querida 
Ser livre pelos campos, dono de sua própria vida 
E hoje em dia o negro, quando joga capoeira 
Sente orgulho da raça, raça afro-brasileira 
Traz na cor a história de uma guerra de verdade 
Do negro clamando paz, lutando por liberdade 
Não  conseguimos  identificar  a  data  e  a  autoria  dessa  canção.  Localizada  em: 
. Acesso em 16 de novembro de 2017. 
 



Compartilhe com seus amigos:
1   ...   31   32   33   34   35   36   37   38   ...   46


©historiapt.info 2019
enviar mensagem

    Página principal