Caderno de Leituras e ditora s chwarcz



Baixar 43.11 Kb.
Pdf preview
Página4/57
Encontro15.02.2021
Tamanho43.11 Kb.
1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   57
Entre 3 e 4 anos, quando o nome próprio frequenta as salas de aula como elemento de 
base para o processo de alfabetização, esse texto — o nome próprio — pode receber um 
tratamento literário. O professor pode fazer entre os pais uma pesquisa sobre a forma como 
escolheram os nomes de seus filhos e pedir que escrevam essas histórias, que depois serão 
lidas em classe. Os textos dos pais podem vir a compor o “Livro das histórias dos nomes” 
dos alunos da turma.
Já aos 5 e 6 anos, quando muitos alunos ainda não escrevem convencionalmente, o pro-
fessor pode propor a criação oral, coletiva, de uma história que envolva um fato ligado ao dia 
a dia da escola, como uma festa junina, uma excursão ou um evento esportivo. A proposta 
pode se valer da criação de uma aventura vivida por um personagem imaginário que tivesse 
tomado parte em qualquer um desses acontecimentos. Essa história, registrada pelo profes-
sor enquanto é produzida (inventada, revisada e concluída), deve ter o realismo como exi-
gência para sua criação, ou seja, deve ser baseada em experiências dos alunos que estiveram 
efetivamente presentes. Depois de pronta, ela pode ser ilustrada e lida para outras classes. 
Livros como Histórias de avô e avó, em que o autor narra memórias de sua convivência 
com os avós, são um exemplo de textos de base realista que divertem e emocionam. Nas pri-


Compartilhe com seus amigos:
1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   57


©historiapt.info 2019
enviar mensagem

    Página principal